CURSO UMBANDA PÉ NO CHÃO COM NORBERTO PEIXOTO.

O CURSO FOI PROVISORIAMENTE SUSPENSO PELO RECESSO CORONAVÍRUS. REMARCAREMOS FUTURAMENTE E TODOS OS INSCRITOS TEM SUA VAGA GARANTIDA.


CURSO UMBANDA PÉ NO CHÃO COM NORBERTO PEIXOTO.

- PRESENCIAL E GRATUITO.

O curso objetiva transmitir aos participantes uma consciência espiritual, dentro da tradição de oralidade da Umbanda de raiz; presencial, de boca a orelha. A palavra verbalizada é fundamento, conduz axé e um fluxo de consciência do espiritual para o material, do orientador para os “alunos”.

INÍCIO: dia 18 de março de 2020, encontros semanais, toda quarta-feira, com DURAÇÃO de 8 a 10 semanas.

HORÁRIO: das 20 h e 00 min às 21 h e 30 min (o portão de entrada abre às 19 h e 30 min).

LOCAL: Grupo de Umbanda Triângulo da Fraternidade

Rua Barão de Tramandaí, nº 23 – Passo d’Areia

Porto Alegre – RS

INSCRIÇÕES: somente 30 vagas e as inscrições serão presenciais em dia de Gira, na secretaria do Grupo de Umbanda Triângulo da Fraternidade, às sextas-feiras à noite, a partir do dia 28/02/20. Não faremos inscrições por email ou WhatsApp. É pré-requisito comparecer, se fazer presente para se inscrever. As aulas não serão gravadas nem transmitidas ao vivo.

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO:

As aulas serão dinâmicas – o primeiro tempo de sustentação oral pelo facilitador e o segundo interativo com perguntas e respostas. Não utilizaremos recursos audiovisuais e não concederemos certificado. Os conteúdos estão no livro UMBANDA PÉ NO CHÃO. Recomendamos a leitura do livro para melhor aprendizado de cada aula, conforme o programa a seguir:

Origem e história da Umbanda: advento do Caboclo das Sete Encruzilhadas

Estrutura astral do movimento umbandista

O que são Orixás, Guias e Falangeiros

Formas de apresentação dos espíritos

As linhas de trabalho

As firmezas e tronqueiras

O cruzeiro das almas

A Curimba, os cantos e os toques – a música sacra de terreiro

Os preceitos

As consagrações

A convergência universalista da Umbanda

As influências e diferenças dos cultos africanos, da pajelança indígena,

do catolicismo e do espiritismo

O axé através da mediunidade;

Estrutura energética do homem, Carma e regência dos Orixás

Finalidade dos amacis e banhos de ervas

A importância do ritual, o espaço sagrado nos terreiros e sua diversidade de culto

O transe nos terreiros

A incorporação consciente

As diferenças ritualísticas e a formação da consciência umbandista

A união nas desigualdades; Religião, filosofia, ciência e arte

A magia na Umbanda; as dimensões física, etérica, astral e a movimentação

mediúnica de energias entre elas;

O fundamento dos elementos e dos condensadores energéticos: ar, terra, fogo e água, álcool, ervas, a fumaça, o som; as guias; os pontos riscados; a pólvora; as oferendas; a água;

Os fundamentos do congá (atrator, condensador, dispersor, expansor,

transformador e alimentador)

A sessão de caridade;

O preparo

O desenvolvimento mediúnico

O que se aprende nas sessões de desenvolvimento?

Os passes e aconselhamentos espirituais

Por que os Orixás não incorporam?

A desobsessão na umbanda

O que sãos Orixás?

Os sítios vibracionais dos Orixás

Alguns tipos psicológicos associados aos Orixás; Oxalá, Yemanjá, Xangô, Ogum, Iansã, Oxum, Oxossi, Nanã Buruquê, Omulu.


quarta-feira, 17 de julho de 2013

BANHOS DE ERVAS E SEUS MECANISMOS ENERGÉTICOS

“As ervas para os banhos de descarga fluídica, curativos ou desenvolvedores, são eficientes quando receitadas de acordo com o tipo planetário da pessoa necessitada e desde que sejam colhidas sob a influência astrológica e lunar favoráveis. As ervas prenhes de seiva vegetal também estão saturadas de vigoroso potencial magnético, e por esse motivo produzem efeitos miraculosos, eliminando os fluidos perniciosos aderidos ao perispírito e curando as piores enfermidades. Existe na seiva vegetal um 'quantum' de eletricidade tão comum quanto a que se diz biológica e impregna o corpo humano, a qual provém da própria terra, pois é atraída e concentrada pelo duplo etérico, exsudando-se ou se irradiando depois pela aura das plantas, dos animais, das aves e criaturas humanas. Conforme as influências astrológicas e a ação lunar, essa 'eletrização' aumenta, diminui ou fica inativa nos duplos etéricos das plantas. Em consequência, a colheita deve ser tão hábil e inteligente, que se possa aproveitar o máximo de energia 'elétrica vegetal' contida na espécie desejada. Assim, quando o enfermo ou necessitado tem a sorte de adquirir ervas supercarregadas de seiva e potencial eletromagnético, para fazer seus banhos de descarga ou terapêuticas, ele jamais deixa de obter bom proveito. Mas, se a colheita for efetuada sob o influxo astrológico e lunar negativo, não há dúvida, tais ervas não passam de inócuos 'cadáveres vegetais'. (Obra: Mediunidade e Sacerdócio, 1ª edição, pág. 223/224).”

TIPO DE BANHOS:

BANHOS DE DESCARGA COM ERVAS 
“Trata-se de um banho mais elaborado e não tão popular quanto o de sal grosso. Seu efeito é mais duradouro, embora não seja tão invasivo. Algumas ervas são dispersivas de fluidos e limpam a aura, desintegrando miasmas, larvas astrais e outras negatividades. Uma erva excelente para esse tipo de banho é a folha de tabaco e, na sua falta, usa-se o fumo de rolo macerado. (Obra: Mediunidade e Sacerdócio, 1ª edição, pág. 60).”

BANHO DE DESCARREGO

“Esse tipo de banho talvez seja o mais conhecido. Tem como objetivo a descarga das energias negativas.
Em nosso dia a dia passamos por locais e trocamos energias com várias pessoas. Na coletividade predominam os pensamentos pesados eivados de irritação e ansiedade. A egrégora que se forma nos locais de aglomeração humana favorece a criação de miasmas, larvas e vibriões astrais que, pouco a pouco, vão se aderindo aos transeuntes e se alimentando de seus fluidos vitais. Mesmo em constante vigilância, a exposição diária a essa teia de pensamentos deletérios nos faz frágeis, o que torna impossível nos protegermos dado que, em determinados momentos da rotina diária, nosso padrão mental cai e abrimos a guarda. Os banhos de descarga ajudam a nos livrarmos dessas energias negativas e, basicamente, são de dois tipos: banho de sal grosso e banho de descarrego com ervas. (Obra: Mediunidade e Sacerdócio, 1ª edição, pág. 59/60).”

BANHO DE ENERGIZAÇÃO 
“É realizado após os banhos de descarrego, restabelecendo o equilíbrio entre as cargas negativas e positivas dos átomos e moléculas etéricas componentes dos chacras. Recomendado em dias de trabalho mediúnico, especialmente nas sessões em que o médium se sente cansado após o término. Utiliza-se este banho independente de sermos médiuns ou não.
Indicamos um banho fácil de fazer e que pode ser tomado por qualquer pessoa, não causando nenhum mal-estar; pétalas de rosas brancas, amarelas ou vermelhas, alfazema e alecrim. (Obra: Mediunidade e Sacerdócio, 1ª edição, pág. 61).”

BANHO DE FIXAÇÃO 
“Tem finalidade mediúnica e é velado, fechado ao público, pois faz parte de rituais internos de magia, iniciação ou consagração. Este banho é feito por orixás com as ervas astro magnéticas afins às suas sagradas energias e deve ser conduzido por quem é médium e sacerdote. Objetiva um contato límpido e profundo com os guias. Os chacras vibram com similaridade vibratória com o orixá do neófito que está sendo iniciado ou consagrado para o futuro sacerdócio dentro da umbanda, tornando a sua mediunidade bem apurada para o ritual. Sendo as ervas manipuladas ligadas ao orixá regente do médium e, por sua vez, aos guias que o assistem, são prescritas por genuínos chefes de terreiro, médiuns magistas e de incorporação, que obtém verdadeira e profunda cobertura espiritual de que entende do riscado: as entidades astrais da umbanda. (Obra: Mediunidade e Sacerdócio, 1ª edição, pág. 62).”

BANHO DE SAL GROSSO 
“Bastante utilizado e de fácil realização. Feito de sal grosso marinho, trata-se de um ótimo condutor elétrico que descarrega os íons dos átomos com excesso de cargas negativas (ionizados). Atua no duplo etérico, tirando as energias negativas por um processo de desmagnetização.
Os banhos não substituem a reforma íntima e as boas intenções da alma, que vem de dentro para fora. (Obra: Mediunidade e Sacerdócio, 1ª edição, pág. 60).” 
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Google analytics