CURSO UMBANDA PÉ NO CHÃO COM NORBERTO PEIXOTO.

O CURSO FOI PROVISORIAMENTE SUSPENSO PELO RECESSO CORONAVÍRUS. REMARCAREMOS EM BREVE E TODOS OS INSCRITOS TEM SUA VAGA GARANTIDA.


CURSO UMBANDA PÉ NO CHÃO COM NORBERTO PEIXOTO.

- PRESENCIAL E GRATUITO.

O curso objetiva transmitir aos participantes uma consciência espiritual, dentro da tradição de oralidade da Umbanda de raiz; presencial, de boca a orelha. A palavra verbalizada é fundamento, conduz axé e um fluxo de consciência do espiritual para o material, do orientador para os “alunos”.

INÍCIO: dia 18 de março de 2020, encontros semanais, toda quarta-feira, com DURAÇÃO de 8 a 10 semanas.

HORÁRIO: das 20 h e 00 min às 21 h e 30 min (o portão de entrada abre às 19 h e 30 min).

LOCAL: Grupo de Umbanda Triângulo da Fraternidade

Rua Barão de Tramandaí, nº 23 – Passo d’Areia

Porto Alegre – RS

INSCRIÇÕES: somente 30 vagas e as inscrições serão presenciais em dia de Gira, na secretaria do Grupo de Umbanda Triângulo da Fraternidade, às sextas-feiras à noite, a partir do dia 28/02/20. Não faremos inscrições por email ou WhatsApp. É pré-requisito comparecer, se fazer presente para se inscrever. As aulas não serão gravadas nem transmitidas ao vivo.

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO:

As aulas serão dinâmicas – o primeiro tempo de sustentação oral pelo facilitador e o segundo interativo com perguntas e respostas. Não utilizaremos recursos audiovisuais e não concederemos certificado. Os conteúdos estão no livro UMBANDA PÉ NO CHÃO. Recomendamos a leitura do livro para melhor aprendizado de cada aula, conforme o programa a seguir:

Origem e história da Umbanda: advento do Caboclo das Sete Encruzilhadas

Estrutura astral do movimento umbandista

O que são Orixás, Guias e Falangeiros

Formas de apresentação dos espíritos

As linhas de trabalho

As firmezas e tronqueiras

O cruzeiro das almas

A Curimba, os cantos e os toques – a música sacra de terreiro

Os preceitos

As consagrações

A convergência universalista da Umbanda

As influências e diferenças dos cultos africanos, da pajelança indígena,

do catolicismo e do espiritismo

O axé através da mediunidade;

Estrutura energética do homem, Carma e regência dos Orixás

Finalidade dos amacis e banhos de ervas

A importância do ritual, o espaço sagrado nos terreiros e sua diversidade de culto

O transe nos terreiros

A incorporação consciente

As diferenças ritualísticas e a formação da consciência umbandista

A união nas desigualdades; Religião, filosofia, ciência e arte

A magia na Umbanda; as dimensões física, etérica, astral e a movimentação

mediúnica de energias entre elas;

O fundamento dos elementos e dos condensadores energéticos: ar, terra, fogo e água, álcool, ervas, a fumaça, o som; as guias; os pontos riscados; a pólvora; as oferendas; a água;

Os fundamentos do congá (atrator, condensador, dispersor, expansor,

transformador e alimentador)

A sessão de caridade;

O preparo

O desenvolvimento mediúnico

O que se aprende nas sessões de desenvolvimento?

Os passes e aconselhamentos espirituais

Por que os Orixás não incorporam?

A desobsessão na umbanda

O que sãos Orixás?

Os sítios vibracionais dos Orixás

Alguns tipos psicológicos associados aos Orixás; Oxalá, Yemanjá, Xangô, Ogum, Iansã, Oxum, Oxossi, Nanã Buruquê, Omulu.


sexta-feira, 27 de julho de 2012

Emanações etéreo-físicas dos despojos animais

         As emanações primárias e etéreo-físicas dos despojos sangrentos do animal não só impregnam a contextura energética do "duplo-etérico" do homem, como afetam o próprio perispírito e o excitam no atavismo residual das paixões que, na esteira do tempo, modelou a hereditariedade do organismo carnal. A ciência médica explica as tendências hereditárias e atávicas do homem; os psicoanalistas reconhecem a eclosão de certos complexos e recalques originados pelos ancestrais biológicos do ser. Malgrado tais influências ou fenômenos se processarem através dos genes e cromossomos responsáveis pelo metabolismo genético, o certo é que essa influência ancestral ou atavismo psíquico transmite-se e se prolonga do mundo "oculto do psiquismo para a descendência física humana! Em conseqüência, o espírito modela uma configuração "psicofísica" agradável, pacífica e coerente, quando também dispõe de um material" anátomo-fisiológico de boa qualidade; mas, se o atavismo animal o domina e o acicata pelos estímulos energéticos das paixões primárias, então as criaturas sob tal atuação podem gerar estigmas animalescos inconfundíveis.
            Assim como o álcool, entorpecente ou excitante químico pode atuar nos descendentes, desfigurando-lhes as linhas de forças da ideoplastia humana normal, as energias psíquicas do primarismo animal também podem influir no perispírito do homem e plasmar o "fácies" suíno na glutonice, o bovino na estupidez, o eqüino na brutalidade e o caprino na luxúria. 20 O carnivorismo, portanto, excita no homem a influência psíquica atávica da animalidade, podendo desfigurar a configuração humanóide pela interferência de fluidos degradantes absorvidos durante a nutrição zoofágica. 21

            20 - Diz Emmanuel, na obra "Roteiro", capítulo VI, "Perispírito", o seguinte: "O Perispírito é formado de substâncias químicas que transcendem a série estequiogenética conhecida até agora pela ciência terrena, é aparelhagem de matéria rarefeita, alterando-se de acordo com o padrão vibratório do campo interno. O perispírito, quanto à forma somática, obedece às leis de gravidade, no plano a que se afina". É evidente que, sob tais dizeres, verifica-se que o perispírito torna-se mais denso ou sutil, variando mesmo quanto ao tipo de alimentação grosseira ou delicada preferida pelo homem.
            21 - Trecho extraído da obra "Libertação", de André Luiz, capítulo V, "Operações Seletivas", que esclarece muito bem a plastia perispiritual conduzida até à figura animalesca: "A medida que repetia a afirmação, qual se procurasse persuadi-la a sentir-se na condição de irracional mencionado, notei que a mulher, profundamente influenciável, modificava a expressão fisionômica. Entortou-se-lhe a boca, a cerviz curvou-se, espontânea, para a frente, os olhos alteraram-se dentro das órbitas. Simiesca expressão revestiu-lhe o rosto."

            É por isso que o senso-comum da sabedoria popular associa aos pecados humanos as figuras grotescas de certos animais e estigmatiza algumas criaturas com a pecha humilhante de "cara" de cavalo, de suíno, de bode ou de macaco! No entanto, reverencia a figura pacífica, frugal e amorosa de Jesus, comparando-o à ternura, humildade e resignação de um cordeiro!

Ramatís - A Vida Humana e O espírito Imortal

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Google analytics