quinta-feira, 8 de dezembro de 2011

Louvação à Oxum

Nesta sexta, dia 09/12, teremos nossa ùltima sessão pública do ano.

TOQUE E CANTO PARA CABOCLOS E CABOCLAS COM LOUVAÇÃO A OXUM.

Nesta sessão distribuiremos as fitas de proteção - correntinha - para 2012.

MUITO AXÉ DE ABUNDÂNCIA  A TODOS.

C O M P A R E Ç A !!!


Jesus / Oxum - Atributo: Amor. Equilíbrio emocional. Amor doação. Misericórdia e Compaixão. Mãe das águas doces. Oxum possui uma força de penetração fora do comum na natureza humana – é a psicóloga nata. Corresponde a nossa necessidade de equilíbrio emocional; concórdia; complacência e reprodução, não necessariamente reproduzir no sentido físico, mas no emocional que liga a mãe ao rebento vindouro. É a mãe que cuida do feto durante toda a gestação e entrega-o à Iemanjá na hora do nascimento para cumprir a sua missão na vida. O amor-doação de Oxum é aquele que faz a caridade ao próximo, que agasalha, alimenta e reconforta.
E.S.E. cap VI – “Vinde a mim todos vós que estais cansados e aflitos porque eu vos aliviarei, porque o meu fardo é leve e o meu jugo suave”.
Jesus, o psicólogo das almas.  Em Mateus: 25 – “Vinde, benditos de meu Pai, possuí o Reino que vos está preparado desde o princípio, porque  eu estava com fome, e me destes de comer; estava com sede e me destes de beber; andava estranho  e em acolhestes; estava nu e me vestistes; estava doente , e me visitastes; estava preso e me viestes ver”.
Quando foi Senhor, que te vimos com fome, com sede, estranho, nu, doente ou preso e te acudimos? E Jesus respondeu: Em verdade, vos digo, tudo o que fizestes ao menor de meus irmãos, a mim é que os fizestes!
     O Cristo interno não despertará em nós, se não ajudarmos a despertar o Cristo Externo no próximo. Essa é a grande Lei da polaridade cósmica. São Francisco,   Gandhi, Chico Xavier, e tantos outros que encontrando o Cristo nos outros, encontraram-no em si mesmos.
Esta é a máxima da Caridade, auxiliar  e servir aos necessitados, porque só assim estaremos realizando a caridade em nós mesmos, porque como disse São Francisco de Assis: “É dando que se recebe, é perdoando que se é perdoado.”  Há mais felicidade em dar do que em receber...
O beneficiado recebe o bem que eu faço – mas o  benfeitor se torna bom pelo bem que faz, e antes de realizar qualquer bem no outro, ele o realiza em si mesmo. O amor se manifesta através da caridade; sendo assim o meu amor cresce com a minha caridade.
São Francisco beijou as chagas fétidas de um leproso, escolheu o sofrido e ínfimo irmão de Jesus e nesse momento, realizou em si o nascimento de Cristo, rompeu a rigidez que o separava de sua verdadeira auto-realização.  Ao romper com o ego humano, exultou o Eu Divino.


Livro: UMBANDA PÉ NO CHÃO
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Google analytics