CURSO UMBANDA PÉ NO CHÃO COM NORBERTO PEIXOTO.

O CURSO FOI PROVISORIAMENTE SUSPENSO PELO RECESSO CORONAVÍRUS. REMARCAREMOS EM BREVE E TODOS OS INSCRITOS TEM SUA VAGA GARANTIDA.


CURSO UMBANDA PÉ NO CHÃO COM NORBERTO PEIXOTO.

- PRESENCIAL E GRATUITO.

O curso objetiva transmitir aos participantes uma consciência espiritual, dentro da tradição de oralidade da Umbanda de raiz; presencial, de boca a orelha. A palavra verbalizada é fundamento, conduz axé e um fluxo de consciência do espiritual para o material, do orientador para os “alunos”.

INÍCIO: dia 18 de março de 2020, encontros semanais, toda quarta-feira, com DURAÇÃO de 8 a 10 semanas.

HORÁRIO: das 20 h e 00 min às 21 h e 30 min (o portão de entrada abre às 19 h e 30 min).

LOCAL: Grupo de Umbanda Triângulo da Fraternidade

Rua Barão de Tramandaí, nº 23 – Passo d’Areia

Porto Alegre – RS

INSCRIÇÕES: somente 30 vagas e as inscrições serão presenciais em dia de Gira, na secretaria do Grupo de Umbanda Triângulo da Fraternidade, às sextas-feiras à noite, a partir do dia 28/02/20. Não faremos inscrições por email ou WhatsApp. É pré-requisito comparecer, se fazer presente para se inscrever. As aulas não serão gravadas nem transmitidas ao vivo.

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO:

As aulas serão dinâmicas – o primeiro tempo de sustentação oral pelo facilitador e o segundo interativo com perguntas e respostas. Não utilizaremos recursos audiovisuais e não concederemos certificado. Os conteúdos estão no livro UMBANDA PÉ NO CHÃO. Recomendamos a leitura do livro para melhor aprendizado de cada aula, conforme o programa a seguir:

Origem e história da Umbanda: advento do Caboclo das Sete Encruzilhadas

Estrutura astral do movimento umbandista

O que são Orixás, Guias e Falangeiros

Formas de apresentação dos espíritos

As linhas de trabalho

As firmezas e tronqueiras

O cruzeiro das almas

A Curimba, os cantos e os toques – a música sacra de terreiro

Os preceitos

As consagrações

A convergência universalista da Umbanda

As influências e diferenças dos cultos africanos, da pajelança indígena,

do catolicismo e do espiritismo

O axé através da mediunidade;

Estrutura energética do homem, Carma e regência dos Orixás

Finalidade dos amacis e banhos de ervas

A importância do ritual, o espaço sagrado nos terreiros e sua diversidade de culto

O transe nos terreiros

A incorporação consciente

As diferenças ritualísticas e a formação da consciência umbandista

A união nas desigualdades; Religião, filosofia, ciência e arte

A magia na Umbanda; as dimensões física, etérica, astral e a movimentação

mediúnica de energias entre elas;

O fundamento dos elementos e dos condensadores energéticos: ar, terra, fogo e água, álcool, ervas, a fumaça, o som; as guias; os pontos riscados; a pólvora; as oferendas; a água;

Os fundamentos do congá (atrator, condensador, dispersor, expansor,

transformador e alimentador)

A sessão de caridade;

O preparo

O desenvolvimento mediúnico

O que se aprende nas sessões de desenvolvimento?

Os passes e aconselhamentos espirituais

Por que os Orixás não incorporam?

A desobsessão na umbanda

O que sãos Orixás?

Os sítios vibracionais dos Orixás

Alguns tipos psicológicos associados aos Orixás; Oxalá, Yemanjá, Xangô, Ogum, Iansã, Oxum, Oxossi, Nanã Buruquê, Omulu.


quinta-feira, 31 de maio de 2018

O SEGREDO DA AÇÃO.

     A mídia hoje, na busca desenfreada por audiência das emissoras, exalta a violência e as aflições humanas em seus dramas da existência material. Não devemos ser insensíveis aos sofrimentos e o maior serviço à Deus é servir aos caídos no caminho. Todavia, vigiemos para que não sejamos contaminados pelo medo de sobreviver e daí sermos diariamente pessimistas, vítimas do destino e acostumados a reclamar. Não nos afastemos do sentimento de GRATIDÃO e SERENIDADE INTERIOR, independente de condições externas dualistas: apegos e aversões, gostos e desgostos...Vigiemos nossa casa mental e façamos a faxina diária. Busquemos agir no mundo com discernimento espiritual. REFLITAMOS:

O SEGREDO DA AÇÃO – Swami Vivekananda

"Cada ação que praticamos volta para nós como reação; as nossas ações podem agir sobre outras pessoas e reagir sobre nós. Certamente vocês já observaram, que as pessoas quando cometem más ações, tornam-se cada vez mais perversas, e quando praticam o bem ficam cada vez mais fortes, e aprendem a fazer o bem sob quaisquer circunstâncias. A intensificação da ação ocorre porque agimos e reagimos uns sobre os outros.

Tomemos um exemplo da física. Quando executo uma ação, pode-se dizer que minha mente vibra em determinada frequência, e todas as mentes que estão em circunstâncias análogas são afetadas por ela. Se colocarmos em uma habitação diferentes instrumentos musicais, afinados no mesmo tom, observaremos que ao tocarmos em um deles, os outros irão vibrar e reproduzir a mesma nota. Do mesmo modo, as mentes que estiverem vibrando na mesma frequência serão afetadas por pensamentos análogos.

Suponhamos que eu pense ou cometa um mal, então a minha mente passa a vibrar em uma determinada frequência e todas as mentes que estiverem em harmonia com ela serão afetadas. Da mesma forma, quando pratico uma boa ação, minha mente vibra na frequência do bem e as mentes que estiverem em sintonia com ela serão beneficiadas. O poder que uma mente exerce sobre outra depende da intensidade do pensamento.

Segundo este símile, pode-se dizer que assim como as ondas de luz podem levar milhões de anos antes de alcançar um objeto, assim também as ondas mentais podem viajar centenas de anos antes de encontrar um objeto com o qual vibrem em uníssono. É provável que nossa atmosfera esteja cheia de vibrações mentais, boas e más. O pensamento projetado por um cérebro segue vibrando, por assim dizer, até encontrar uma mente devidamente sintonizada que o assimile. Da mesma forma, quando um homem comete más ações cria em sua mente um estado vibratório, que permite às ondas mentais correspondentes entrarem em sintonia. Essa é a razão porque um malfeitor se torna cada vez pior e suas ações se intensificam.

A mesma coisa acontece com as pessoas que praticam boas ações; suas mentes conseguem assimilar, cada vez mais, as ondas semelhantes que existem na atmosfera, intensificando desta forma as suas boas ações. Consequentemente corremos um duplo perigo quando praticamos o mal; primeiro, abrimos nossa mente às más influências que nos rodeiam; segundo, criamos um mal que poderá afetar outras pessoas, talvez daqui a cinquenta anos. Ao fazer o mal, prejudicamos a nós mesmos e aos demais. Ao fazer o bem, beneficiamos a nós mesmos e, ao mesmo tempo, aos demais."

(Texto extraído do livro “Karma Yoga” de Swami Vivekananda).

terça-feira, 8 de maio de 2018

MANIFESTO PÚBLICO - EM DEFESA DA LIBERDADE RELIGIOSA. Por Norberto Peixoto.




            Nenhum religioso, adepto ou sacerdote, tem o direito de exercer intolerância contra outras confissões religiosas. Sentir-se detentor da verdade e tentar ser o colonizador do outro, notadamente preconceituando os afrorreligiosos, é ser disseminador de violência, agressão esta que estrutura uma sociedade ainda intolerante e segregadora. Esforçar-se para deslegitimar e inferiorizar determinada cultura ancestral e milenar e suas expressões, seja ela qual for, é abominável e agride o sagrado direito de expressão da fé individual e coletiva. Infelizmente, historicamente as culturas religiosas da diáspora Africana tem servido como ideal oposto na busca por distinção, hegemonia e poder. Usam-nas como catalizadora no disputado mercado religioso.
       Agradeço profundamente o amparo da ancestralidade africana que vibra em meu espírito e rogo à Exu, o Grande Organizador Cósmico, Orixá partícipe da Criação, que sua ação sobre a minha cabeça (Ori) nunca se ausente.
               Axé, Saravá, Namastê!!!
               Norberto Peixoto.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Google analytics