quinta-feira, 29 de setembro de 2016

EM VÉSPERA DE AMACI...


EM VÉSPERA DE AMACI, é momento propício para refletirmos. 
( ritual de lavagem de cabeça com sumo de folhas ) 

A Umbanda nos convida a conhecermo-nos, a avaliarmo-nos como umbandistas que pretendemos ser, como cidadãos religiosos que escolhemos nos tornar, pois somos ferramentas de uma Ordem Maior - Exu e Orunmilá - que visa o melhoramento de caráter da Humanidade. 

O que procurei fazer para me aperfeiçoar até aqui? O que de fato tenho aprendido com a Umbanda e com os Guias? Fazer essa auto-análise é pertinente todos os dias, não só no AMACI. 

Eu tenho buscado viver os Orixás e os ensinamentos dos abnegados Guias no meu dia a dia, na minha convivência com meu próximo, com aquele que não pensa como eu? Tenho buscado a disciplina de Ogum, a ponderação e polidez de Xangô, o conhecimento e o autoconhecimento de Oxossi? Trabalho a renovação dentro de mim mesmo com Iemanjá, ou na geração de bons sentimentos e de vida de Omulú ou a evolução de Obaluaiê? Será que me esforço para viver o amor de Oxum, mesmo para os que não me são afins? Tenho coragem de olhar meu reflexo no espelho da alma e me aceitar? Faço uso da sabedoria de Nanã ou trato minha vida com a importância que Oxalá me trata? Busco a maturidade de mãe Obá ou a ousadia sensata de Iansã? 

Será que o meu caminho é mesmo a Umbanda? Qual o meu papel dentro dela? 

Não, não é uma prestação de contas com o Pai da Justiça e muito menos um julgamento ou o anúncio de um veredicto. É uma forma de sermos chamados a realidade que nos envolve, com a fé que abraçamos e com aqueles que têm em nós médiuns, a referência de uma religião que merece todo nosso respeito. Como divulgadores da Lei de Umbanda que é algo sério e para gente séria, devemos nos atentar para a estrada que temos aberto sob nossos pés. Vamos percorrê-la conscientes de nossa tarefa? 

Eu não preciso fazer bem a Umbanda, pois a Umbanda já é um Bem em Si. 

Mas a Umbanda pode me fazer bem, quando eu procuro viver e sentir a Umbanda dentro de mim mesmo.

Axé!!!

segunda-feira, 26 de setembro de 2016

A UMBANDA É UMA RELIGIÃO CRISTÃ, não restam dúvidas. Todavia, é uma religião cristã diferente das demais...


A UMBANDA É UMA RELIGIÃO CRISTÃ, não restam dúvidas. Todavia, é uma religião cristã diferente das demais, pois convive harmonicamente com outras tradições teológicas, sem impor uma cartilha ou revelações divinas de um único profeta. Na Umbanda apresentam-se lado a lado os saberes ancestrais do xamanismo, dos nossos índios, dos africanos nagôs, angolas, jejês...Cada terreiro apresenta uma tendência rito litúrgica, ora mais africanizado, ora mais ligado a pajelança, ora mais espírita e catolicizado...e todos não deixam de ser Umbanda em seus aspectos filosóficos e doutrinários que objetivam o melhoramento de caráter dos seres humanos. A Umbanda educa espiritualmente, o que é diferente de catequização. Não existe a minha Umbanda, a tua Umbanda...Quando "umbandistas" respeitarem a Umbanda praticada por outros umbandistas, talvez angariemos maturidade espiritual e comecemos a ser respeitados como Umbanda pela sociedade mais ampla, notadamente ainda intolerante e que busca uma hegemonia religiosa. Para exigirmos respeito temos que primeiro nos respeitar. Axé!!!

sábado, 24 de setembro de 2016

A UMBANDA ESTUDA O ESPIRITISMO...

A UMBANDA ESTUDA O ESPIRITISMO e mesmo tendo a mediunidade e a manifestação dos espíritos em seus ritos, não é espiritismo, tendo identidade própria. O espíritas não entendem a Umbanda, pois a desconhecem por não a estudarem - dizem os espíritas que o "umbandismo" não é espiritismo, repetindo um atavismo milenar, como os fariseus que excluíam e preconceituavam Jesus. No estudo apresentado no vídeo, realizado ontem a noite no Grupo de Umbanda Triângulo da Fraternidade, interpreta-se a RESSURREIÇÃO DE JESUS, sob a perspectiva de uma obra espírita. A Umbanda busca a síntese e convergência dos saberes que melhorem o caráter do ser humano, não se importando com denominações religiosas e doutrinárias terrenas. Axé!!! 

terça-feira, 20 de setembro de 2016

OS ORIXÁS E OS CICLOS DA VIDA....Norberto Peixoto. Vídeo referente ao seguinte capítulo do livro: - primeiro ciclo – o retorno ao corpo físico. Oxum e o recebimento da cabaça da existência, concepção e gestação / Iemanjá e o rompimento da placenta, nascimento com a grande mãe do Ori / Ibeji e a criança “dupla” em ação, os primeiros impulsos atávicos.

A intenção desta obra é dividir interpretações referentes às nossas vidas humanas, correlacionadas com os Orixás. O mediunismo no terreiro de Umbanda atende milhares de pessoas diariamente, a que chamamos de consulentes. Durante os aconselhamentos espirituais, uma rica filosofia espiritual está amalgamada com as orientações das entidades, muitas vezes velada, como a sabedoria dos antigos escravos nagôs, nossos amados pretos velhos afrodescendentes, que a introduziram para somar-se ao evangelho do Cristo. Nesta obra, procuramos tornar estes ensinamentos ocultos declarados, desvelando alguns saberes que se relacionam com a mitologia dos Orixás, que nos remete e resgata a tradição dos antigos Pais de Segredo - Babalaôs - que tanto nos ajudam. Aos que têm preconceito quanto à origem africana da Umbanda (também temos a origem indígena, espírita e católica, variando de terreiro a terreiro a ênfase em uma ou outra), lembramos as palavras do Caboclo das Sete Encruzilhadas:

 - “vim para fundar a Umbanda no Brasil, aqui se inicia um novo culto em que os espíritos de pretos velhos africanos e os índios nativos de nossa terra poderão trabalhar em benefícios dos seus irmãos encarnados, qualquer que seja a cor, raça, credo ou posição social”. 

Obviamente que a maioria destas entidades africanas eram originárias da parte da África que cultuava os Orixás, tanto que o caboclo anunciou a Umbanda e já se utilizou dos nomes dos Orixás que comporiam as Sete Linhas iniciais de trabalho. Aos que classificam de atrasado o saber mitológico dos Orixás, repetimos novamente as palavras do caboclo: 

- “se julgam atrasados os espíritos de pretos e índios, devo dizer que amanhã estarei na casa deste aparelho para dar início a um culto em que estes pretos e índios poderão dar sua mensagem e, assim, cumprir a missão que o plano espiritual lhes confiou. Será uma religião que falará aos humildes, simbolizando a igualdade que deve existir entre todos os irmãos, encarnados e desencarnados. E se querem saber meu nome, que seja este: Caboclo das Sete Encruzilhadas, porque não haverá caminhos fechados para mim". 

MAIORES INFORMAÇÕES SOBRE O LIVRO OS ORIXÁS E OS CICLOS DA VIDA: http://www.livrariadotriangulo.com.br/


Os Orixás e os Ciclos da Vida.


O autor resgata tradições ancestrais, histórias apaixonantes e esclarecedoras e nos aprofunda nos ensinamentos ocultos declarados, desvelando alguns saberes que se relacionam com a mitologia dos Orixás e, consequentemente, com a nossa essência. Em Os Orixás e os Ciclos da Vida,  questões instigantes referentes à existência humana, inspiradas pelo espírito Senhor Ogum Sete Estradas (Ramaogundá), são elucidadas com profundidade. Afinal, o que são os Orixás? Por que eles foram criados? Como estas forças divinas nos influenciam? O que nos impulsiona a renascer em um corpo físico e qual o propósito de estarmos na Terra? Trazemos um carrego de vidas passadas? Isso significa que temos que sofrer para evoluir?

Esta obra, escrita numa linguagem acessível, serve como um guia de estudos e reflexão para umbandistas, adeptos das religiões da diáspora africana e simpatizantes em geral, afeitos a estes saberes milenares que “forjam” inexoravelmente à alma universalista do brasileiro. Que possamos nos conhecer um pouco mais ao entender os Orixás que se associam a nós como condutores dos ciclos das existências humanas. É possível termos um destino mais alvissareiro, com caminhos abertos para a bem-aventurança e corpo fechado para as enfermidades. Cabe somente a nós, a chave está em nossas mãos.

Para comprar:

domingo, 18 de setembro de 2016

O QUE É "DESPACHAR" EXU???

ORIXÁS PRIMOGÊNITOS NA CRIAÇÃO, Oxalá e Exu estão irremediavelmente ligados um a outro e são forças cósmicas e divinas complementares. Entenda melhor os atributos de cada um e como ambos são inseparáveis.

terça-feira, 13 de setembro de 2016

TERREIRO DE UMBANDA; NÚCLEO DE APRENDIZAGEM E SAÚDE.

PALESTRA REALIZADA POR NORBERTO PEIXOTO NO IV ENCONTRO MIRUA-EXPORELIGIÃO 2016, QUE TEVE COMO TEMA CENTRAL RELACIONAMENTO HUMANO, DESAFIOS E PERSPECTIVAS. 
- o evento realizou-se no Rio de Janeiro, no dia 10 de setembro de 2017.

domingo, 11 de setembro de 2016

ATOTÔ MEU PAI....Por Norberto Peixoto.


Em sua misericórdia infinita, dai-me a saúde plena! 
Permita-me assim, com saúde, concretizar o propósito da minha existência humana em Terra. 
Ajuda-nos a curar as doenças geradas pelo preconceito e intolerância, e dá-nos alívio às dores carnais e espirituais causadas pela ignorância daqueles que se acham mais evoluídos e proprietários da verdade... 
Pai Amado, Atotô! 
Em sua força de compaixão louvo-te em profunda gratidão pela vida!!! Mantenha meu Ori forte e firme nos caminhos que me foram designados aos pés de Orunmilá! 
Atotô!!!

sexta-feira, 9 de setembro de 2016

A UMBANDA É UMA RELIGIÃO CRISTÃ ORTODOXA?

- CABOCLO DAS SETE ENCRUZILHADAS em 1908, em sua primeira manifestação, num centro espírita federativo carioca, deu a seguinte mensagem: 

- "Se julgam atrasados os espíritos de pretos e índios, devo dizer que amanhã estarei na casa deste aparelho, para dar início a um culto em que estes pretos e índios poderão dar sua mensagem e, assim, cumprir a missão que o plano espiritual lhes confiou. Será uma religião que falará aos humildes, simbolizando a igualdade que deve existir entre todos os irmãos, encarnados e desencarnados. E se querem saber meu nome que seja este: Caboclo das Sete Encruzilhadas, porque não haverá caminhos fechados para mim."

 
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Google analytics