segunda-feira, 2 de fevereiro de 2015

UM DESABAFO - A MANUTENÇÃO DE UM TERREIRO DE UMBANDA.




           Por Norberto Peixoto.

     Que bom seria se todos nós tivéssemos o desapego de um “santo”, de um espírito que serve incondicionalmente a humanidade. Mesmo se assim o fosse, tivéssemos em nós as qualidades morais de um Francisco de Assis, Buda ou Gandhi, ainda assim não conseguiríamos nos reunir e dar passes nos consulentes em baixo das copas das árvores, sem teto, sem luz, sem água, sem banheiro, sem cozinha ou geladeira para o lanche, abaixo das intempéries climáticas do verão causticante ou do inverno gélido, como era na época de Jesus, e com certeza seríamos assaltados se tentássemos, tal a violência e insegurança que grassa nos centros urbanos na atualidade.
       Os críticos de plantão, sempre apontando defeitos nos outros e exaltando atributos que eles mesmos não adquiriram, não fazem a mínima ideia do que é manter um centro de Umbanda, com tudo que deriva disto: água, luz, manutenção, material de higiene e limpeza, faxina, materiais litúrgicos e ritualísticos como velas, flores, perfumes, outros...
        Uma casa espiritualista caritativa não vive do prana e precisa materializar as condições básicas para a sua preservação, manutenção e expansão. Por exemplo, uma assistência de 200 pessoas precisa ter cadeiras para todos sentarem, adaptação de rampas de acesso para cadeirantes e no mínimo 2 amplos e limpos banheiros. Na maioria dos terreiros, somente a módica mensalidade do corpo mediúnico não é o suficiente para tudo que se tem de custeio de uma organização religiosa caritativa, pois muitos têm baixos salários e por vezes estão desempregados, contribuindo de outra forma com a casa já que ficam impedidos de auxílio monetário.

        Pensemos a respeito, antes de criticar a iniciativa daqueles que estão realizando.

              Paz e luz,

         Norberto Peixoto.
         Dirigente e fundador.

         Grupo de Umbanda Triângulo da Fraternidade.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Google analytics