CALENDÁRIO VERÃO 2018.

ENCERRAMENTO 2017

08/12/17 – 6ª Feira: Sessão Pública.

15/12/17 – 6ª Feira: Última Sessão Pública.

Calendário Verão 2018

Atenção: Janeiro e Fevereiro Sessões Quinzenais!

12/01/18 – 6ª Feira – Sessão Pública.

26/01/18 – 6ª Feira Sessão Pública.

09/02/18 – 6ª Feira – Sessão Pública.

23/02/18 – 6ª Feira – Sessão Pública.

09/03/18 – 6ª Feira – Sessão Pública.

terça-feira, 15 de julho de 2014

Médium - servidor ou usuário.

Incorporação é um dos mais de 60 tipos de mediunidade catalogados por Allan Kardec. É um dom sagrado que nos permite relacionar com irmãos espirituais e assim aprendermos com suas experiências de vida. Através da incorporação sentimos o comprometimento espiritual de cada entidade e na entrega de nosso corpo para este encontro sagrado vamos educando nosso caráter e desenvolvendo nossas virtudes. Portanto, incorporação é um dom de SERVIÇO que envolve as partes médium e entidade.  Este serviço sagrado tem a função de despertar, inspirar, moldar a todos que buscam a verdade. Porém muitos médiuns, buscam soluções, fórmulas imediatas para resolverem seus males.

Os médiuns, logo que chegam numa casa de Umbanda querem incorporar, dar passagem às suas entidades, sem antes aprender a servi-lás na função de cambono. Pensam que cambonar é atrasar o seu desenvolvimento mediúnico. Deixam a ansiedade e imaginação serem os estímulos de seus objetivos. Atravessam a mensagem verdadeira da entidade, sem ao menos dar-lhes a chance de conhece-las. É Caboclo que não é flecheiro soltando flecha, é Preto Velho que não usa a fumaça como elemento magístico mas seu aparelho já providenciou o cachimbo, enfim, atropelam literalmente os momentos que deveriam ser encontros sagrados por pura pressa.  Consequentemente se a casa não corrigir estes equivocados comportamentos, estes médiuns distanciarão do verdadeiro compromisso. Serão médiuns vaidosos, arrogantes e usuários da religião. Não estarão dispostos a estudos contínuos muito menos estar à serviço de suas entidades. Pelo contrário, terão posses de suas entidades e tenderão a trabalhar somente com aquela entidade que tem mais afinidade. Não darão oportunidades a outras entidades alegando que “a entidade não deixa outros chegarem”. E neste currículo desastroso acumularão mensagens e comportamentos equivocados pois seu dom esta sendo corrompido pelo seu próprio ego.  Enfim, desvirtuarão totalmente a doutrina da Umbanda, pois serão cada vez mais individuais e interesseiros.

Mediunidade de incorporação não é brincadeira. Nenhuma entidade comprometida com o bem levará seu médium à exposição do ridículo e desvios morais. Entidades de Umbanda trabalham sob a lei da caridade e evolução, com ordem, disciplina e ética.


Mãe Márcia Moreira – Templo de Umbanda Caboclo Pena Branca – 15/07/2014.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Google analytics