sábado, 31 de maio de 2014

Mãos Unidas - AFRAM RAMATÍS:

AFRAM - Associação Mundial das Fraternidades Ramatís, dando continuidade ao projeto "Mãos Unidas": Grupo de Estudos Ramatís e Núcleo Espírita Francisca Julia em visita ao Grupo de Umbanda Triângulo da Fraternidade - Porto Alegre / RS.

quinta-feira, 29 de maio de 2014

Como a Umbanda se mantém? Pai Tomé.


PERGUNTA: Observamos que os frequentadores do terreiro vem sempre pedir algo para si, raro são os que vem doar, raríssimos os que atendem ao chamado da mediunidade para serem ativos trabalhadores. Como a Umbanda se mantém?

     PAI TOMÉ: Meus filhos amados, da nossa esfera de trabalho para a Terra, o terreiro é o Espaço Sagrado onde se realiza a ligação vibratória entre os dois planos da vida imortal. Os que nos procuram são como os viajantes exauridos que encontram no caminho uma parada para descanso com fecundo poço d'água, no qual saciam a sede imediata e enchem o cantil do bornal do espírito para continuarem a longa caminhada. Contudo, lá fora na estrada da existência diária, são para com os outros desertos áridos de individualismo, pela fixação mental do querer tudo para si mesmos.

        Reflitamos que é justo pedir; entretanto, é preciso igualmente saber receber a água das dádivas concedidas e redistribuí-las. Deus dá e é provedor sempre, igualmente a todos e nada pede para Si. A própria natureza, moldada por Deus oferece-nos as mais profundas lições neste sentido: a fonte recebe as águas e as espalhas em regatos cristalinos; a árvore frutífera ganha o benefício da seiva e dá os frutos curvando seus galhos para que os homens os alcancem; o mar forma as nuvens que fecundam a terra seca fazendo chover pingos de vida, e as montanhas em suas formações rochosas amparam os vales verdejantes. Somente os homens costumam receber e nada dar em troca.

      Se a Umbanda dependesse tão somente das criaturas de senso comum, que querem tudo da mediunidade para si próprias e quase nada realizam de doação para os outros, muito menos como médiuns a favor da Lei Divina e desta para a faina sofredora da humanidade, de há muito tempo o "poço" que mitiga a sede das almas teria secado.  A Umbanda se mantém pela abundância inesgotável da Fonte Divina da Criação, provinda do amoroso Deus Criador.

Psicografia médium Norberto Peixoto.

terça-feira, 27 de maio de 2014

DE “ADONDE QUE VÉVE OS MORTOS”...



- Dr. Inácio, alguns amigos dizem que se o senhor não fosse tão crítico em seus livros, eles poderiam vender bem mais do que vendem...
- Talvez, sim, pudessem vender mais do que vendem, mas, então, eu estaria vendendo com eles a minha própria consciência.

- Se, porventura, algo pudesse retificar em algum dos livros que, até o presente, o senhor escreveu e publicou, retificaria?...
- Nada, nem uma vírgula! A minha convicção em tudo o que escrevi é sempre, a cada dia, maior.

- Sequer abrandaria o seu estilo?...
- Mais ainda?! Caso viesse a fazê-lo, viraria “maria-mole”... Aliás, como doce, é muito gostoso, mas como estilo literário...

- A campanha contra os seus livros tem sido acirrada...
- A verdade sempre incomoda os... acomodados! Lamento o incomodo! Desculpem o mau jeito... na coluna dorsal de seu personalismo!...

- O senhor é proibido em muitas livrarias...
- Se algo eles tivessem escrito, teriam feito o mesmo com Sócrates e Jesus Cristo – portanto, estou em muito boa companhia, você não acha?! A um deram uma taça de cicuta, e ao Outro deram uma cruz... A mim, por enquanto, apenas censura – não mereci mais do que isto!...

- Dizem que o senhor é um espírito baixo...
- De fato, mas como é que um espírito tão baixo quanto sou pode perturbar a quem se coloca em patamar tão elevado?! Desconfio, portanto, que essa turma está no mesmo nível em que me encontro, ou seja: ao rés do chão, e...  comendo pó!...

- O senhor sempre foi assim? Quer dizer: quando encarnado, o senhor era exatamente assim?...
- Eu vou pedir a Dorival Caymmi alguns de seus versos emprestados: “Eu nasci assim/ Eu cresci assim/ Eu sou mesmo assim/ Vou ser sempre assim...”

- Dizem que, quando encarnado, o seu estilo literário era outro...
- De fato. Acho que estou melhorando... Segundo o meu amigo revisor, Prof. Fausto De Vito, apenas continuo cometendo os mesmos erros de Português! Realmente, estou precisando estudar...

- O senhor se comunicaria por outro médium?
- Não tenha nada contra, não, mas, cá entre nós, eu custei amansar este cavalo... Agora que ele está manso de coçar, cheio de cicatrizes das esporadas que levou, e só relincha para me cumprimentar quando chego para subir em seu lombo e me deixar cavalgar como quero...

- Dizem que os seus livros são muito apreciados na Umbanda...
- Oxalá, meu Pai! Se eu souber que vou contrariar um pessoal aí, essa gente do Elitismo, eu arranjo uma bengala, acendo um cachimbo, pego uma dor na lombar, me curvo em 45 graus, sento num banquinho e aprendo a falar mizifio...

- Outros dizem que o senhor é um “câncer” no Espiritismo...
- Sim, eu dou muitas metástases! Além do mais, sendo do mês de julho, o meu signo é de Câncer... Dizia o já mais que desencarnado Omar Cardoso, que uma das qualidades do canceriano é a tenacidade! Talvez, no meu caso, seja mera coincidência...

- O que o senhor escreve é supervisionado pelo Dr. Odilon Fernandes, Irmão José, ou outro espírito?...
- Todos esses são muito bons amigos, dos quais, sinceramente, eu não sou digno de desatar as sandálias, mas quem me supervisiona é Jesus Cristo! O dia em que Ele me vetar, eu estou vetado! Enquanto isto não acontecer, sinto, mas muita gente vai ter que me aguentar!...

- Suas considerações finais.
- Em minhas considerações finais, vou evocar o espírito do grande humorista Chico Anysio: - “Eu sou aquele que vem do aquém do além, adonde que véve os mortos! Tomou, papudo? Não creu neu, se finouce. Minha vingança será malígrina!...”


Uberaba – MG, 26 de maio de 2014.

segunda-feira, 26 de maio de 2014

Descrição de alguns fenômenos anômalos - incomuns - vivenciados na mediunidade de terreiro.

Refletindo o universalismo.

     

      O Espiritismo é Jesus ensinando
     A Umbanda é Jesus trabalhando
     Pai Tomé
               
      Os espíritos trabalhadores na linha de Umbanda, designados de pretos velhos, nos repassam constantemente uma lógica que infelizmente, nós encarnados ainda estamos demorando em aplicar.  Dizem eles, com sua maneira peculiar e simples de expressão, que no “mundo dos mortos” não existe raça, cor ou credo que diferencie as almas ou crie fronteiras, o que existe é o homem de bem e o homem que desaprendeu de ser bom.
     Baseado nisso, nos falam das lágrimas que insistem em cair de seus olhos, pela arrogância dos homens e de suas religiões que acabam se distanciando de Deus, pela pretensão de se adonar d’Ele, impondo a “sua” verdade.  As religiões ou os credos em geral, ainda existem por necessidade de nossos espíritos que se diferenciam na escala evolutiva, encontrando dentro de cada uma delas a melhor adaptação de “religar-se” ao Criador. O que fica desvalorizado aos olhos da Espiritualidade Superior é o combate que se trava entre os homens por questões religiosas como se vivessem em eterna disputa, chegando ao absurdo das ditas “guerras santas”. Como nos traduz o espírito Ramatís, “o rótulo religioso não passa de uma experiência transitória em determinada época do curso ascensional do espírito eterno.”
     Também nos dizem os bons espíritos, que o homem erra mais por ignorância do que por maldade, talvez por isso ao cessar os tempos inquisitórios, jorram do mais alto através de vários canais mediúnicos e por todos os cantos do planeta, muita informação vinda do Alto nos forçando à evolução. E se hoje, por força do ambiente energético denso da Terra não é mais possível a descida de Avatares entre nós, a bondade divina nos presenteia com Allan Kardec, com Zélio Fernandino de Moraes, com Francisco Cândido Xavier, além de outros espíritos iluminados, para retirar dos nossos olhos, o véu de Isis. Mostrando de novo a humanidade terrena, aquilo que havia sido roubado pelo interesse das religiões manipuladores, provam a imortalidade da alma, a existência do mundo espiritual e a lei da reencarnação. Abrindo novos horizontes através do concurso da mediunidade, que além de instruir promove o socorro dos que ainda no além túmulo, ignoram sua condição de espíritos imortais ou se aproveitam disso para dar continuidade às práticas antifraternas de quando encarnados. O Espiritismo chegou para esclarecer e caridosamente auxiliar.  A Umbanda e sua magia branca vem neutralizar as forças trevosas que insistem em conquistar a humanidade através da manipulação negativa dos elementos.
     Na religião Umbanda, embora todo o ritual e simbologia usados, têm a parte filosófica, científica e doutrinária, como no Espiritismo. Enquanto a Umbanda é mais ação, a Doutrina dos Espíritos é totalmente mentalista, mas ambas promovem e priorizam a reforma íntima dos seres, ensinando o bem viver para melhor morrer.
    Ambas foram inseridas no contexto do planeta num momento de extrema necessidade da humanidade, onde urge a higienização dos ambientes etéricos e astrais do planeta azul, na separação do joio e do trigo.
    Diante deste contexto, respeitando os preceitos e linhas de pensamento de cada uma, é inconcebível que possa haver entre estas duas linhas – Espíritismo e Umbanda - qualquer espécie de antagonismo ou preconceito. Inconcebível a intolerância com a fé alheia no homem moderno pertencente a qualquer religião, uma vez que se supõe, seja ele pensante e bem informado.  Principalmente nas linhas que se dizem cristãs, o exemplo do Mestre Jesus nos prova a todo instante que só existe um caminho, uma verdade e uma vida.  Por enquanto a humanidade percorre vários caminhos em busca dessa verdade, mas chegará o dia em que o Universalismo será pleno, então haverá um só rebanho para um só pastor.
     E como acontece no “andar de cima”, formaremos uma única corrente de trabalho, auxiliando a quem necessita, mostrando que a ferramenta mediunidade tem um só objetivo: - a caridade! Fora isso, tudo o mais fica por conta de nosso Ego.

     Leni W.Saviscki

     Dirigente do T.U.V.A  

sexta-feira, 23 de maio de 2014

Programação das reencarnações.

     

     Há leis, organizações, disciplina no Além Túmulo. Portanto, todo o processo reencarnatório é estudado e programado pelos mentores espirituais, em todos os seus detalhes: progenitores, constituição física e mental, temperamentos.
     São mobilizados todos os recursos possíveis para que o espírito, ao retomar à matéria, tenha êxito em seu projeto de vida; inclusive, com várias soluções secundárias. São programadas uma alternativa principal e outras secundárias, de modo a ser a vida material mais útil para o reencarnante. Mesmo os espíritos de consciência primária, que ainda são incapazes de traçar os programas de suas vivências na matéria, dominados pelos comportamentos decorrentes das forças coercitivas do instinto animal, são conduzidos à encarnação obedecendo a certo esquema "coletivo" e disciplinado pelos mestres da espiritualidade. Embora sejam, mais propriamente, "arrastados" pela lei gravitacional, em direção ao ventre da mulher terrena, os responsáveis por seus destinos na Terra vigiam-nos desde o seu nascimento, crescimento e até os derradeiros minutos de sua vida orgânica. São entidades que ainda renascem à luz da existência carnal entontecidos e ignorantes de sua destinação espiritual em individualização no seio do Universo.

Ramatís - Sob a Luz do Espiritismo.

quarta-feira, 21 de maio de 2014

Fundamento dos atabaques e dos cânticos na Umbanda.

OS ATABAQUES SÃO SAGRADOS

Pergunta -- Se a mediunidade, em suas especificidades na Umbanda, é um processo natural, qual o motivo da percussão de atabaques, danças rituais e a entoação de cânticos?
PAI TOMÉ -- Meu filho, contempla as rosas no jardim, como crescem. Quem de vós pode, com todos os cuidados, prolongar o ciclo de vida de uma flor sequer? Todavia, se não as regar, elas secarão, morrendo antes do tempo. Existe uma profunda afinidade entre a natureza, as coisas do espírito e a mediunidade. Os elementos de rito citados, quais sejam a percussão de atabaques, danças rituais e a entoação de cânticos, são regatos para o espírito do medianeiro, que o ajudam em sua floração espiritual. Podem ser considerados cuidados supérfluos pelos mais mentalistas, mas os seus ritmos e movimentos estão em harmonia com Deus. As danças rituais criam as condições ideais para essa catarse energética, havendo uma enorme interpenetração das vibrações dos Orixás rebaixadas pelos toques dos atabaques. Nesses momentos o campo eletromagnético do perispírito do médium fica aumentado em sua freqüência vibratória, facilitando a sintonia com o padrão de ondas mentais dos guias do lado de cá. Mantém-se por tempo adequado essa união de forças dos dois planos vibratórios com a entoação dos pontos cantados, ativando-se o emocional e acalmando o mental consciente do médium, que é "ocupado" pela mente dos espíritos mentores. A utilização desses elementos de rito não altera a estrutura da mediunidade, assim como a roseira que não é regada continua a ser a mesma, embora com rosas murchas e despetaladas.

Do livro "Aos Pés do Preto Velho". 

terça-feira, 20 de maio de 2014

Extremismo fanático do "não-dogma", "não-rito", "não-crendice" ou "não-adoração"...


- É tão censurável o fanatismo extremista de ritos, dogmas, crendices, adorações e superstições imposto por algumas seitas religiosas, assim como o extremismo fanático do "não-dogma", "não-rito", "não-crendice" ou "não-adoração", que muitos espíritas defendem a paus e pedras, humilhando e antipatizando os demais crentes da mesma fantasia religiosa que também cultuaram alhures! Deus não especificou "dogmas" e "não-dogmas", para atender a determinados grupos de indivíduos, mas criou a escola do Universo para os filhos alfabetizarem-se na conversação amorosa com o Pai! Todas as coisas são boas e úteis no seu devido tempo, por cujo motivo o próximo deve ser respeitado em sua crença, porque ele faz o melhor que pode, dentro do melhor que sabe! No campo do espiritualismo e da religiosidade do mundo, o Espiritismo deve contribuir com a sua generosa mensagem espiritual moderna para o esclarecimento humano, jamais na figura de um novo competidor belicoso na arena dos conflitos religiosos!

Ramatís – A Vida Humana e o Espírito Imortal.

segunda-feira, 19 de maio de 2014

Libertação espiritual.

      
Jesus ensinou as reações mais afins à libertação espiritual, quando assim exclamava: “Se te tirarem a túnica, dá-lhe, também, a camisa”, “Ama o próximo como a ti mesmo”, “Faze aos outros o que queres que te façam” e “Se teu adversário obrigar-te a andar uma milha, vai mais uma com ele”. Assim esquematizou perfeitamente o desprendimento total e necessário das nossas concepções comuns e egoístas do mundo físico, demonstrando a conduta imprescindível para o espírito poder libertar-se do jugo fascinante, mas ilusório da matéria.
     Não basta essa vivência tão sacrificial e desprendida, mesmo que o homem doe tudo de si a outrem, caso ele ainda não esteja possuído de tanta humildade, que possa perdoar a todos os seus adversários e autores de sua própria infelicidade. Zombado, escarnecido, caluniado e infamado pelas ingratidões de amigos mais estimados, dominados pelo orgulho, vaidade, ciúme, ambições, inveja e avareza, ainda é preciso que o iniciado na didática do Evangelho tenha consciência do benefício e do seu martírio opondo à sua chancela límpida de ressentimento, de perdoar tanto quanto o Cristo perdoou.

(Obra: Ramatís - O Evangelho a Luz do Cosmo, 9ª, Edição, pagina 177.)

quinta-feira, 15 de maio de 2014

ACORDANDO NO ALÉM - desencarne com assistência espiritual.

Como será o DESENCARNE COM ASSISTÊNCIA ESPIRITUAL?

     O Grupo de Umbanda Triângulo da Fraternidade é assistido do Espaço, desde a sua fundação, pelo Hospital do Grande Coração, complexo localizado na colônia espiritual denominada Metrópole do Grande Coração -- descrita com detalhes pelo espírito Atanagildo nos capítulos 3, 4 e 5 da obra "A Vida Além da Sepultura", psicografia de Hercílio Maes, Ed. do Conhecimento.

      Recentemente tivemos informações de um desencarne assistido, através da clarividência, tendo acesso a alguns recursos do Hospital do Grande Coração. Segue parte elucidativa do enredo:

     - "No caso narrado, de um espírito que desencarnou com assistência espiritual benfeitora, ele não acordou no quarto do hospital físico em que desencarnou. Havendo sido desligado do corpo físico logo após o último suspiro, foi retirado em um tipo peculiar de "sucção" pela atuação de potente campo de força magnético em forma de cilindro, indo para a "ala dormitório" do Hospital do Grande Coração. Neste local, um tipo de enorme pavilhão eles ficam em camas especiais, pois estão em profundo sono natural após a morte física. São monitorados, aplicam-se-lhes espécie de emplastros que os assistentes médicos passam no corpo perispiritual, alimentando-os e refazendo os órgãos lesados, mitigando gradativamente as repercussões sensoriais do antigo corpo de carne. Estas aplicações são concomitantes aos dias de magnetismo e eteriatria no Triângulo da Fraternidade. Então ocorre um acoplamento vibracional com o Hospital, e os fluídos ectoplásmicos dos médiuns são aproveitados como veículo para delicada operação medicamentosa e nutricional. Pouco antes de despertarem do sono letárgico, estes espíritos assistidos são transportados para a "Ala de Recepção", um departamento com recursos avançados que usa tecnologia holográfica -- plasmam o cenário exatamente igual ao local do desencarne terreno, minimizando o impacto emocional. A partir deste local, o espírito acorda e é recepcionado, sendo deslocado finalmente para o "Setor de Revigoramento e Apoio Psicológico", parecido com um condomínio de pequenas casas, uma do lado da outra, com lindos jardins à frente."

     Assim como nascemos e somos acolhidos, assim quando retornamos para o lado de lá, podemos acordar assistidos.

      Fraternalmente,
      Norberto Peixoto.

segunda-feira, 12 de maio de 2014

O lado oculto do Mercado Público de Porto Alegre

           
Na área central do Mercado Público de Porto Alegre, existe um assentamento de Exu ou Bará. E no Plano Espiritual, o que será que acontece no Mercado?


        Já faz algum tempo que ando sonhando com o Mercado Público, localizado no centro de Porto Alegre. Até aí nada de estranho, porque gosto de frequentar o local, passear por ali, sentir o aroma das especiarias, olhar as bancas, comprar produtos regionais, encher os olhos e a boca nos restaurantes que servem comidinhas deliciosas, passando sempre pela banca da salada de fruta com sorvete ou nata fresca. São tantas iguarias e gostosuras num só espaço que é impossível não exagerar e ainda ficar com vontade de quero mais. Deste modo, muitas vezes sonho que estou passeando no centro da cidade e passando em frente ao mercado ou então fazendo compras em alguma banca. Nessas ocasiões tenho uma leve lembrança quando acordo que estive no local, sem maiores detalhes do que estava fazendo. Entretanto nos últimos dias lembranças estranhas relativas ao lugar tem se apresentado pela manhã no ato de acordar, sem, entretanto conseguir reter na memória os fatos passados.

sexta-feira, 9 de maio de 2014

O médium "caído" ou fracassado.

  

        Nenhum espírito encarna-se na Terra com a tarefa obrigatória de ser médium...mas, na verdade, cada um o faz por sua livre e espontânea vontade, pois solicitou do Alto o ensejo abençoado para redimir-se espiritualmente num serviço de benefício ao próximo, uma vez que no pretérito também usou e abusou dos seus poderes intelectuais ou aptidões psíquicas em detrimento alheio. Mesmo na Terra, as tarefas mais perigosas devem ser aceitas de modo espontâneo, para que o seu responsável não venha a fugir posteriormente de cumpri-Ia por desistência pessoal. Sem dúvida, a escolha para o serviço perigoso sempre recai sobre o homem mais apto e capacitado para o bom êxito. A mediunidade..., portanto, é um serviço incomum, difícil e perigoso, cujos óbices vultosos e surpresas exigem o máximo de prudência, humildade, heroísmo e segurança moral.  
      O médium, antes de encarnar-se, sabe disso; se, depois, ele comercializa com os bens espirituais e fracassa no desempenho contraditório de sua função elevada, o Alto não deve ser culpado disso, só porque lhe proporcionou o ensejo redentor. As oportunidades mediúnicas redentoras são concedidas aos espíritos faltosos, mas quanto à responsabilidade do êxito ou fracasso, somente a eles deve ser atribuída. Conforme já dissemos, o médium é quem produz as próprias condições gravosas ou favoráveis no desempenho de sua tarefa mediúnica.      Infelizmente, os médiuns são criaturas que vivem a atual existência humana onerados por grandes responsabilidades ou débitos do passado; por isso, em face de qualquer descuido ou invigilância espiritual, eles se tornam vulneráveis às investidas perniciosas do mundo invisível... No entanto, os médiuns regrados, serviçais e magnânimos, alcançam a assistência dos espíritos técnicos benfeitores, que do "lado de cá" os protegem e os livram das interferências nocivas e conseqüências prejudiciais. 
      Sob esse controle espiritual amigo, o médium afasta ou retoma o seu duplo etérico sem o desperdício inútil de energias, uma vez que fica amparado contra a investida do astral inferior. Assim, ele se protege de infiltração de microrganismos perigosos à sua contextura etéreo-física, de uma desvitalização que lhe abale a saúde física.

Ramatís – do livro ELUCIDAÇÕES DO ALÉM.    

quarta-feira, 7 de maio de 2014

Magia cerimonial: evocações, encantamentos e conjuros.

RARIDADE HISTÓRICA: Salve o Povo da Bahia:

Tenda da Federação de Umbanda Nossa Senhora Aparecida; Um disco curioso, pois trata-se de um legítimo terreiro de Catimbó já integrado nas práticas ritualísticas umbandistas, mas o encarte traz informações relacionadas a Umbanda esotérica, com os nomes utilizados por essa outra escola onde fazem uma relação duvidosa com correspondências entre potestades africanas e indígenas. A parte musical é muito boa e sincera, remete aos cultos mais indígenas da encantaria de onde a Umbanda mística retirou muito de sua ritualística, os alabês são competentes, tocando quase todo o disco em Toruá, como é característico (com exceção do Tambor de Mina) dos templos de Toré, Catimbó e das Juremas de terreiro. O coro das meninas é muito simpático e estão presentes em vários discos clássicos de Umbanda e Kimbanda (escute o disco No Reino de Exu, o ponto de Tranca Ruas, impressionante); um registro muito bom e verdadeiro.


FAIXAS:
01- Saravá Filho de Pemba; 02- Marinheiro Só; 03- Esta Casa Tem Quatro Cantos; 04- Tem Areia; 05- Se Ele é Baiano; 06- Quando Cheguei da Bahia; Eu Quero Ver; 07- É Hora do Samba; 08- Na Bahia Tem; 09- Este Coco Tem Dendê; 10- Estrela D'Alva; 11- Estava no Mato; 12- Na Bahia Corre Água Sem Chover; 13- Baiano Que Vem da Bahia; 14- Vamos Pisa no Catimbó; 15- Me Senhor do Bonfim; 16- Baiana da Saia Rendada; 17- Salve a Bahia.

segunda-feira, 5 de maio de 2014

Na Luz de Obaluayê - oração de um morto pelos mortos.


      Jesus, compadece-Te dos novos Lázaros sepultados no túmulo das ilusões e ajuda-os para que sejam desenfaixados e ressuscitem, de fato, ao clarão da verdade eterna! Senhor, Tu que iluminaste os caminhos da vida, atende-nos a súplica e clareia também os caminhos da morte!...

        Ajuda-os por compaixão, a se desfazerem das ilusões que os prendem à inquietação e ao tormento íntimo, auxilia-os no aprendizado da arte difícil de dizer adeus! Dá-lhes a noção de que a existência última da corpo se lhes fechou à alma, como se cerra um livro de contas do mundo, e ampara-lhes o coração oprimido para que se ponham a caminho da liberdade espiritual! Que possam reconhecer, ao influxo de Teu amor, a cessação de todos os direitos transitórios da Terra, em face da morte renovadora, e que troquem os títulos convencionais, que lhes uniam o espírito na carne aos seres queridos, pelos títulos gloriosos da fraternidade imortal, sem limitações e sem fronteiras! Reconhecemos que todos eles, como nós outros, estão assinalados por débitos vultosos perante a Tua misericórdia e sabemos que é impossível fugir ao resgate. Todavia, nós Te suplicamos a bênção de luz, a fim de que se desfaçam as sombras que nos cercam.
   
ORAÇÃO DE UM MORTO PELOS MORTOS
Irmão X – Chico Xavier
DO LIVRO LÁZARO REDIVIVO
Ed. FEB.  

domingo, 4 de maio de 2014

Lá como cá...Tudo igual...

Prezados irmãos planetários,
Repasso email recebido de nossa irmã de axé, Mãe Leni / Dirigente Fundadora do Templo de Umbanda Vozes de Aruanda, de Erechim - RS.
Desejo sincero de paz a todos.
NORBERTO PEIXOTO.

---------- Mensagem encaminhada ----------
De: Leni <
Data: 4 de maio de 2014 12:26
Assunto: Recepção e Atendimentos no Triângulo da Fraternidade:
Para: Norberto
Bom dia Norberto
Lá como cá...tudo igual...Tivemos o mesmo problema no último atendimento de Preto Velho.
E olha que utilizamos o método: por fileira de cadeira.
Não basta a caridade...tem que ser testada...
Haja tolerância!!! Ah, mas depois eu reclamo, chamo a atenção dos consulentes, pois acho que precisamos educar esse povo em relação à Umbanda e à caridade.
Na mensagem de Vó Benta “Proveitos e Mal Feitos”  ela exemplifica esta, quase rotina,  dos nossos templos.
A fila andava e uma senhora distinta, bem vestida e coberta de jóias, sentava-se agora diante da preta velha.
- Saravá minha senhora. Como posso lhe ajudar?
Após um suspiro que mais parecia um bufo, ela desatou:
- Já estava quase desistindo de ser atendida. Pois isso está muito demorado e além do mais, aquelas moças que trabalham aqui, são umas tongas. Deixam as pessoas furar a fila e a gente fica aqui feito palhaça. Falta de respeito, pois nem cadeira tem para a gente sentar , sem falar desse calor horrível.......”
.......”- Pobres criaturas! Quanta dor ainda terão que suportar para poder despertar?
Mal sabe ela, que tudo que lhe aconteceu desde que adentrou a esta casa foi promovido pelo plano espiritual, para que pudesse quebrar seu orgulho e arrogância. Porém ela  preferiu acionar suas raivas, seus ranços. Se achando superior a tudo e a todos, só porque tem maior poder econômico, em vez de observar a energia maravilhosa do local, a limpeza, o perfume, a  presteza dos médiuns que se doam incondicionalmente e amorosamente,  a caridade dos guias que baixam suas vibrações para estar aqui junto dos encarnados, auxiliando-os,  cegou pelo ego e orgulho.
Não veio receber nada e muito menos doar-se. Veio buscando o mal, querendo que o mundo gire conforme sua vontade. Mas um dia ela aprenderá! A dor virá acordá-la.
E a gira continuou...”

Abraço de luz mano. Bom domingo!
Leni


Prezados irmãos planetários,
Ontem atendemos 230 pessoas. O nosso recorde até o presente momento.
Todos foram atendidos fraternalmente, como de costume, os aconselhamentos e passes encerrando as 21:30h.

Infelizmente, tivemos irmãos contrariados pelo tempo de espera, por terem ficado em pé no corredor fora da casa, ou por um ter passado na frente do outro. Como crianças, certas criaturas foram se queixar para os Pretos Velhos, por estarem magoadas pelo tempo de espera em pé.

Informamos que a partir desta data, DEFINITIVAMENTE não distribuiremos mais fichas numeradas.

Os assentos serão ocupados por ordem de chegada e a vez de entrar no ABASSÁ - Espaço Sagrado onde está o Congá - será rigorosamente por fileira de cadeiras, das primeiras para as últimas e assim sucessivamente.

Os irmãos que ficarem fora do templo, serão chamados a entrar pela PORTA LATERAL, conforme as primeiras fileiras de assentos forem sendo desocupadas.

Não distribuiremos mais fichas numeradas para ninguém.

É chegada mais que a hora de mostrarmos MATURIDADE EVANGÉLICA e deixarmos de tratar os CENTROS DE UMBANDA como se fossem senzalas serviçais dos mais comezinhos interesses frutos do egoísmo humano.

Quando vamos praticar o Evangelho???

Afinal, somos evangelizados???

Fraternalmente,

NORBERTO PEIXOTO.

O ser evangélico não significa ser evangelizado:

sábado, 3 de maio de 2014

IMPORTANTE - Recepção e Atendimentos no Triângulo da Fraternidade:


Prezados irmãos planetários,
Ontem atendemos 230 pessoas. O nosso recorde até o presente momento.
Todos foram atendidos fraternalmente, como de costume, os aconselhamentos e passes encerrando as 21:30h.

Infelizmente, tivemos irmãos contrariados pelo tempo de espera, por terem ficado em pé no corredor fora da casa, ou por um ter passado na frente do outro. Como crianças, certas criaturas foram se queixar para os Pretos Velhos, por estarem magoadas pelo tempo de espera em pé.

Informamos que a partir desta data, DEFINITIVAMENTE não distribuiremos mais fichas numeradas.

Os assentos serão ocupados por ordem de chegada e a vez de entrar no ABASSÁ - Espaço Sagrado onde está o Congá - será rigorosamente por fileira de cadeiras, das primeiras para as últimas e assim sucessivamente.

Os irmãos que ficarem fora do templo, serão chamados a entrar pela PORTA LATERAL, conforme as primeiras fileiras de assentos forem sendo desocupadas.

Não distribuiremos mais fichas numeradas para ninguém.

É chegada mais que a hora de mostrarmos MATURIDADE EVANGÉLICA e deixarmos de tratar os CENTROS DE UMBANDA como se fossem senzalas serviçais dos mais comezinhos interesses frutos do egoísmo humano.

Quando vamos praticar o Evangelho???

Afinal, somos evangelizados???


Fraternalmente,
NORBERTO PEIXOTO.

Segue um texto para REFLEXÃO:

Imagens

Não é somente o homem que escreve, a pessoa capaz de trazer monstruosas criações ao pensamento do povo, assim como não apenas o tribuno pode formar na mente alheia estados alarmantes de ansiedade e loucura.

Quantas vezes, nas tarefas cotidianas, traçamos nos outros destrutivas impressões de revolta e indiferença, com os nossos gestos impensados?

Quantas vezes nossa cólera terá gerado naqueles que nos cercam, o desânimo e a frustração?

Em quantos pequeninos lances da luta diária, damos passo à calúnia e à maledicência, pasmando ideias que, hoje vagas e imprecisas, podem ser amanhã, decisivos fatores de perturbação e delinquência?

Longe de ponderar as responsabilidades que nos enriquecem o espírito, frequentemente descemos a questiúnculas e bagatelas infelizes, sugerindo a maldade e disseminando a aflição, agravando, assim, nossos débitos, consolidando as forças da ignorância e da crueldade, em desfavor de nós mesmos.

No altar de nossa fé e no campo da caridade que o Senhor nos deu para lavrar, recorda que responderemos pelas imagens que os nossos pensamentos, palavras e atos estabelecem na alma dos outros, tanto os arquitetos se incumbem das construções que lhes obedecem aos planos.

E acordando para a luz que nos cabe acender na viagem da vida, não te esqueças da claridade de paz e bom ânimo, confiança e alegria que nos compete estender, na proteção aos que nos cercam, a fim de que possamos avançar livremente ao encontro da harmonia e do progresso, porque todas as nossas criações de pessimismos e indisciplina, desalento e amargura, em seus golpes de retorno, significarão para nós mesmos, penúria e dificuldade, infortúnio e provação.

Emmanuel

(De “Mãos marcadas”, de Francisco Cândido Xavier – Espíritos diversos)

sexta-feira, 2 de maio de 2014

Ogum - Palestra Pai Valdo:

NO EVANGELHO NASCENTE.


NO EVANGELHO NASCENTE Irmão X

Enquanto o Mestre ouvia alguns doentes na intimidade do lar de Simão Pedro, eis que um cavaleiro e duas damas se adiantam a consultá-lo.
Vinham de pontos diversos. Estranhos entre si. Contudo, partilhando a mesma expectativa, permutavam impressões dando-se a conhecer.
O rude pescador de Cafarnaum observava-os, atento.
As ciciantes palavras que trocavam eram realmente chocantes.
Supunham fosse Jesus um feiticeiro vulgar e buscavam-lhe os dons mágicos.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Google analytics