CURSO UMBANDA PÉ NO CHÃO COM NORBERTO PEIXOTO.

O CURSO FOI PROVISORIAMENTE SUSPENSO PELO RECESSO CORONAVÍRUS. REMARCAREMOS FUTURAMENTE E TODOS OS INSCRITOS TEM SUA VAGA GARANTIDA.


CURSO UMBANDA PÉ NO CHÃO COM NORBERTO PEIXOTO.

- PRESENCIAL E GRATUITO.

O curso objetiva transmitir aos participantes uma consciência espiritual, dentro da tradição de oralidade da Umbanda de raiz; presencial, de boca a orelha. A palavra verbalizada é fundamento, conduz axé e um fluxo de consciência do espiritual para o material, do orientador para os “alunos”.

INÍCIO: dia 18 de março de 2020, encontros semanais, toda quarta-feira, com DURAÇÃO de 8 a 10 semanas.

HORÁRIO: das 20 h e 00 min às 21 h e 30 min (o portão de entrada abre às 19 h e 30 min).

LOCAL: Grupo de Umbanda Triângulo da Fraternidade

Rua Barão de Tramandaí, nº 23 – Passo d’Areia

Porto Alegre – RS

INSCRIÇÕES: somente 30 vagas e as inscrições serão presenciais em dia de Gira, na secretaria do Grupo de Umbanda Triângulo da Fraternidade, às sextas-feiras à noite, a partir do dia 28/02/20. Não faremos inscrições por email ou WhatsApp. É pré-requisito comparecer, se fazer presente para se inscrever. As aulas não serão gravadas nem transmitidas ao vivo.

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO:

As aulas serão dinâmicas – o primeiro tempo de sustentação oral pelo facilitador e o segundo interativo com perguntas e respostas. Não utilizaremos recursos audiovisuais e não concederemos certificado. Os conteúdos estão no livro UMBANDA PÉ NO CHÃO. Recomendamos a leitura do livro para melhor aprendizado de cada aula, conforme o programa a seguir:

Origem e história da Umbanda: advento do Caboclo das Sete Encruzilhadas

Estrutura astral do movimento umbandista

O que são Orixás, Guias e Falangeiros

Formas de apresentação dos espíritos

As linhas de trabalho

As firmezas e tronqueiras

O cruzeiro das almas

A Curimba, os cantos e os toques – a música sacra de terreiro

Os preceitos

As consagrações

A convergência universalista da Umbanda

As influências e diferenças dos cultos africanos, da pajelança indígena,

do catolicismo e do espiritismo

O axé através da mediunidade;

Estrutura energética do homem, Carma e regência dos Orixás

Finalidade dos amacis e banhos de ervas

A importância do ritual, o espaço sagrado nos terreiros e sua diversidade de culto

O transe nos terreiros

A incorporação consciente

As diferenças ritualísticas e a formação da consciência umbandista

A união nas desigualdades; Religião, filosofia, ciência e arte

A magia na Umbanda; as dimensões física, etérica, astral e a movimentação

mediúnica de energias entre elas;

O fundamento dos elementos e dos condensadores energéticos: ar, terra, fogo e água, álcool, ervas, a fumaça, o som; as guias; os pontos riscados; a pólvora; as oferendas; a água;

Os fundamentos do congá (atrator, condensador, dispersor, expansor,

transformador e alimentador)

A sessão de caridade;

O preparo

O desenvolvimento mediúnico

O que se aprende nas sessões de desenvolvimento?

Os passes e aconselhamentos espirituais

Por que os Orixás não incorporam?

A desobsessão na umbanda

O que sãos Orixás?

Os sítios vibracionais dos Orixás

Alguns tipos psicológicos associados aos Orixás; Oxalá, Yemanjá, Xangô, Ogum, Iansã, Oxum, Oxossi, Nanã Buruquê, Omulu.


sexta-feira, 4 de abril de 2014

Os motivos para estudarmos as obras de Ramatís.


Devemos entender que embora Jesus tenha sido o Maior Sábio, dentre todos os homens que habitaram a Terra, o Mestre Nazareno foi enviado por Deus para especificamente deixar a derradeira mensagem do Evangelho capaz de libertar os homens dos ciclos reencarnatórios, quando exercitarem o mandamento que diz: “Amar a Deus sobre todas as coisas e ao próximo como a si mesmo”.

Os pormenores regentes da vida espiritual, embutidos nos seus ensinamentos, foram deixados para que os futuros mensageiros patrocinassem os detalhamentos desses conteúdos, em intensidades sempre correspondentes á compreensão da humanidade terrena, nos tempos em que forem divulgados.

Diante da realidade, á respeito do Ser Sublime que é Jesus, porque a incoerência em pensar, ou acreditar que a obra base da doutrina espírita, coordenada por Allan Kardec, não comporte acréscimos, se este mensageiro, ainda distante da magistral competência de Jesus, tenha sido enviado pelo Alto para codificar os ensinamentos da doutrina dos espíritos, cujo conteúdo foi ditado por seres também ainda distantes do poderio e da sabedoria do Mestre Nazareno.

Assim, usando o bom senso, e racionalizando o processo estruturado pelo Alto Comando Sideral para direcionar a evolução do Planeta Terra, chegaremos ao entendimento de que não é ofensa, nem desmérito, a qualquer que seja o mensageiro dos ensinamentos sobre o mundo espiritual, se acreditar que, mais tarde virá outro e mais outro acrescentar algo em sua mensagem, em atendimento ás necessidades dos mais capacitados ao aprimoramento espiritual, por meio de novas elucidações sobre o além túmulo.

A doutrina dos espíritos, o Espiritismo, segue lei regente em todo Universo, que é a do aprimoramento de toda a Criação de Deus. Portanto se acalmem os fieis espíritas sectaristas e ortodoxos, defensores da crença de que somente devem ser validados os escritos oriundos das obras do grande codificador do Espiritismo Allan Kardec.

Os espíritas sensatos, não devem somente atentar para enaltecer o nome do codificador, mas sim, devem se unir para valorizar a grande obra edificada por ele, e colaborar em seu aprimoramento, agregando á ela os novos conceitos que surgem, tão somente enviados á Terra por permissão do Alto e sobre tudo por Deus que a tudo dirige, permite ou impede.

Quanto às mensagens de Ramatís, vejamos porque considerá-las: Primeiramente, devemos considerar que se Ramatís já alcançou a marca considerável de 31 obras, sem dúvida quem usar o bom senso, há de convir que, se assim ocorreu foi sob a permissão dos Maiorais, designados para disciplinar, indicando a época, a dosagem, e quem se incumbirá de revelar a mensagem, renovadora ou que complementem antigos ensinamentos.

As mensagens de Ramatís, realmente são inovadoras. Ele tem o compromisso, o envolvimento com uma coletividade no Espaço, e com muitos que estão estagiando no ciclo carnal, sendo sua conduta regida por um carma grupal. Ramatís é referência de estudo para muitos que são simpáticos aos seus escritos, tendo um comprometimento com os maiorais sidéreos, nesse sentido esclarecedor.

Podemos confiar sim nas mensagens desse espírito iluminado, visto que já livre da obrigação da reencarnação, continua desde os tempos da velha Atlântida, a colaborar na formação, de mentes mais aprimoradas no sentido do conhecimento das Verdades Universais, embora para nós ainda distantes do sentido real, mas aos poucos passadas para seus simpatizantes de forma a implantar na cultura ocidental, os conhecimentos milenares da filosofia oriental.

Nas obras de Ramatís, Mensagens do Astral, no Capítulo Explicando, e Evolução no Planeta Azul, no Capítulo 4 – Orixás – vibrações cósmicas, se pode conhecer a grandiosidade desse espírito, e ampliar a confiabilidade que ele nos transmite, pela suas vivências nas lides nos mundos físico e espiritual, conquistando nesses milênios a competência para nos ensinar sobre a vida do espírito imortal.

Cada consciência segue seu livre-arbítrio, criando sua liberdade de ação, ampliando seus conhecimentos, ou estacionando, segundo o direcionamento que der á seus atos de conformidade com seus ideais, ou como que julga ser o mais proveitoso para o aperfeiçoamento do seu espírito. A verdade está acima das opiniões e pontos de vistas particulares, das doutrinas, técnicas e religiões da Terra, e muito menos á vontade dos homens.

A evolução dos conteúdos ramatisianos, é patente, quando analisamos o conteúdo sobre a formação do corpo espiritual na obra Elucidações do Além em comparação ao mesmo enredo, na obra Vozes de Aruanda. Na primeira, limita-se ao dizer que para aquele momento satisfazia o entendimento de que a manifestação do espírito na Terra era realizada pelo complexo formado pelo perispírito, duplo etérico e corpo físico. Na segunda obra citada, para enriquecer nossos conhecimentos esotéricos, temos uma ampliação do conceito sobre o corpo espiritual.

Assim a manifestação do espírito no âmbito físico, é descrito de maneira mais abrangente, relatando que se faz por meio de um complexo formado pelos corpos: Físico, Etérico, Astral, Mental Inferior, Mental Superior, Búdico e Átmico.

Essa é uma demonstração da renovação e da ampliação, dos ensinamentos de Ramatís, assim como esta reformulação do conceito sobre o corpo espiritual, também encontraremos muitos outros conhecimentos novos, sobre temas até então não foram comentados por outros mensageiros.

Ramatís está incumbido de oferecer na atualidade um curso de aperfeiçoamento aos espíritos, seus seguidores de outrora, e para os novos adeptos, que aos poucos vão compreendendo e simpatizando com suas mensagens. É a lei da renovação em ação, na qual, tudo tende a se modificar, ou se constituir em formas mais apuradas e atraentes.

Na Doutrina dos Espíritos, a lei da transformação também está atuante. Entendam os intransigentes, aqueles que temem a dissolução doutrinária, pela infiltração de informações complementares, ou novos ensinamentos esclarecedores sobre a evolução do espírito, que na vida oculta aos nossos olhos, entidades do quilate de Allan Kardec e Ramatís, como muitos outros, não endossam as intrigas ou disputas entre os encarnados que empunhando bandeiras, defendem a posse de ser detentor da verdade.

Essas entidades entendem que a evolução dos homens, é coisa de difícil conquista, e sempre unidos colaboram para que o entendimento esteja presente entre nós para que seja abreviado o tempo em que falaremos a mesma linguagem, e teremos como objetivo, vibrar na freqüência do Cristo, para que possamos unidos, caminharmos sem atropelos em direção ao Pai.

Vamos entender que, a doutrina dos espíritos, chegou á Terra, marcando uma nova era na evolução do homem terreno. Sem prévia atitude de rejeição, vamos estudar as novas propostas, verificar as fontes de origens e sob a análise que dispensa a simpatia que aniquila o uso da razão, roguemos ao Alto que nos inspire a compreender o que há de melhor nas comunicações vinda do mundo dos espíritos, para podermos realmente crescer, nos desviando do perigo da crença ilusória que detém o homem no mundo da matéria.

Os que validam somente os escritos que compõem a codificação, estão equivocados, em sua determinante idéia de que sua fidelidade ás obras base da Doutrina Espírita seja a colaboração ideal á possibilitar sua sobrevivência na face da Terra.
Enganam-se esses ferrenhos defensores da chamada pureza doutrinária, ainda não atentaram para que assim como na ida de Jesus, o cristianismo contou com apóstolos extremamente dedicados com Paulo de Tarso, dentre outros, para dar seqüência á tarefa do Mestre Jesus, Allan Kardec, também precisa de novos propagadores.

Nesse tempo moderno, quando a ciência e a tecnologia se fazem presentes, os pregadores atuais devem estar abertos á novas propostas, para que efetivamente possam resguardar a doutrina espírita do perigo da desatualização e com o passar dos tempos, venha a sucumbir.

Aos fanáticos, que erroneamente nomeiam a Doutrina de Espiritismo Kardecista, um lembrete: É de Allan Kardec a seguinte frase: “A fé inabalável é somente aquela que pode encarar a razão face a face, em todas as épocas da humanidade” Portanto, cuidado não professar uma crença pautada na fé cega que aniquila a possibilidade de acompanhar o desenvolvimento necessário a formação da nova humanidade do terceiro milênio

Texto:  A.Cavalcanti

Fonte: gruporamatis.org.br
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Google analytics