CURSO UMBANDA PÉ NO CHÃO COM NORBERTO PEIXOTO.

CURSO UMBANDA PÉ NO CHÃO COM NORBERTO PEIXOTO.

- PRESENCIAL E GRATUITO.

O curso objetiva transmitir aos participantes uma consciência espiritual, dentro da tradição de oralidade da Umbanda de raiz; presencial, de boca a orelha. A palavra verbalizada é fundamento, conduz axé e um fluxo de consciência do espiritual para o material, do orientador para os “alunos”.

INÍCIO: dia 18 de março de 2020, encontros semanais, toda quarta-feira, com DURAÇÃO de 8 a 10 semanas.

HORÁRIO: das 20 h e 00 min às 21 h e 30 min (o portão de entrada abre às 19 h e 30 min).

LOCAL: Grupo de Umbanda Triângulo da Fraternidade

Rua Barão de Tramandaí, nº 23 – Passo d’Areia

Porto Alegre – RS

INSCRIÇÕES: somente 30 vagas e as inscrições serão presenciais em dia de Gira, na secretaria do Grupo de Umbanda Triângulo da Fraternidade, às sextas-feiras à noite, a partir do dia 28/02/20. Não faremos inscrições por email ou WhatsApp. É pré-requisito comparecer, se fazer presente para se inscrever. As aulas não serão gravadas nem transmitidas ao vivo.

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO:

As aulas serão dinâmicas – o primeiro tempo de sustentação oral pelo facilitador e o segundo interativo com perguntas e respostas. Não utilizaremos recursos audiovisuais e não concederemos certificado. Os conteúdos estão no livro UMBANDA PÉ NO CHÃO. Recomendamos a leitura do livro para melhor aprendizado de cada aula, conforme o programa a seguir:

Origem e história da Umbanda: advento do Caboclo das Sete Encruzilhadas

Estrutura astral do movimento umbandista

O que são Orixás, Guias e Falangeiros

Formas de apresentação dos espíritos

As linhas de trabalho

As firmezas e tronqueiras

O cruzeiro das almas

A Curimba, os cantos e os toques – a música sacra de terreiro

Os preceitos

As consagrações

A convergência universalista da Umbanda

As influências e diferenças dos cultos africanos, da pajelança indígena,

do catolicismo e do espiritismo

O axé através da mediunidade;

Estrutura energética do homem, Carma e regência dos Orixás

Finalidade dos amacis e banhos de ervas

A importância do ritual, o espaço sagrado nos terreiros e sua diversidade de culto

O transe nos terreiros

A incorporação consciente

As diferenças ritualísticas e a formação da consciência umbandista

A união nas desigualdades; Religião, filosofia, ciência e arte

A magia na Umbanda; as dimensões física, etérica, astral e a movimentação

mediúnica de energias entre elas;

O fundamento dos elementos e dos condensadores energéticos: ar, terra, fogo e água, álcool, ervas, a fumaça, o som; as guias; os pontos riscados; a pólvora; as oferendas; a água;

Os fundamentos do congá (atrator, condensador, dispersor, expansor,

transformador e alimentador)

A sessão de caridade;

O preparo

O desenvolvimento mediúnico

O que se aprende nas sessões de desenvolvimento?

Os passes e aconselhamentos espirituais

Por que os Orixás não incorporam?

A desobsessão na umbanda

O que sãos Orixás?

Os sítios vibracionais dos Orixás

Alguns tipos psicológicos associados aos Orixás; Oxalá, Yemanjá, Xangô, Ogum, Iansã, Oxum, Oxossi, Nanã Buruquê, Omulu.


domingo, 19 de janeiro de 2014

Refletindo o relacionamento com Deus na Umbanda sob a Irradiação Divina dos Orixás.

       
       
          Em nosso relacionamento com Deus, na Umbanda sob a Irradiação Divina dos Orixás,  no mais das vezes julgamos que haveremos de encontrá-lo no templo religioso. Muitos ainda acreditam que poderão acha-Lo seguindo um sacerdote para chegar a Deus e aos Orixás, e entregam-se completamente como se fossem totalmente dependentes de outro ser humano para isto. E realmente o são. Não desmerecemos o sacerdócio, mas há que se registrar que é uma armadilha adorarmos um indivíduo, seja que título sacerdotal tenha, como se Ele fosse o único caminho para chegar-se ao Sagrado e a nossa espiritualização. Alias, se Deus é o Espírito Universal, a Mente Cósmica, Ele está em todos os lugares, dentro e fora dos templos, assim como dentro de cada um de seus filhos, criaturas criadas por Ele. Então Orixás sendo Irradiações Divinas, como o vento é livre e não conseguimos reter a luz do Sol numa garrafa, impossível seres humanos imperfeitos serem seus proprietários, como vemos muitos por aí se achando. E agradá-Lo, não é freqüentar templos religiosos, em dias e horas certas, ou então, utilizando práticas exteriores e obrigações rituais sob ameaça de não realiza-las e a vida ir para trás,  esquecendo-nos do fundamental, que é o combate às nossas imperfeições, no esforço de renovação íntima que marca a verdadeira religiosidade, sem adoração a egos, igrejismo e falsas perfeições aparentes. Temos que ser verdadeiros (diante dos ensinamentos universais do evangelho) em todos os lugares e em todas as religiões, dentro e fora dos templos, na comunidade, no lar, no trabalho, na rua, no trânsito, etc . . . A vida templária e em comunidade religiosa tem a sua valência quando o objetivo é para buscarmos forças que nos conduzem ao entendimento e o fortalecimento para enfrentarmos os problemas, as dores, as aflições que apareçam em nossas vidas, pois UNIDOS SOMOS MAIS FORTES e na vivência com os irmãos de fé na prática da mediunidade caritativa nos nutrimos.

         Todo o tempo, independente de lugar, é preciso e nosso dever, procurarmos Deus “em espírito e verdade”, seja que nome a religião que professamos dá para o mesmo, pois Deus é um só.
       Neste sentido, foi emblemático o fato do padre que colocou um vídeo nos telões da Igreja, a Globeleza dançando semi nua toda pintada e o vídeo durou uns 15 segundos. O povo da Igreja ficou todo escandalizado, então o padre perguntou:
- “Alguém se incomodou com esse vídeo aqui na casa de Deus ?”
É claro que o povo se incomodou, mas não falaram nada, então ele disse:
- “Aqui na casa de Deus não é lugar de passar essas coisas, mais na casa de vocês isso passa o dia todo e vocês não fazem nada! Será que a casa de vocês não é também a casa de DEUS? Hipócritas, são os que se escandalizam quando falam dos erros que ocorrem na casa dos outros, na igreja do outro, na vida do outro, na religião do outro... e se esquece dos erros que comete em sua própria casa.”
E para terminarmos nossa reflexão, lembremos que a samaritana perguntou à Jesus no poço da Samaria:
- Senhor, vejo que és profeta. Dize-me, então: nossos pais adoraram Deus neste monte (Garizin) e vós outros dizeis que em Jerusalém é o lugar onde se deve adorá-Lo...
      Este momento é dos mais importantes no Evangelho. Porque o Mestre lança os fundamentos da verdadeira adoração dizendo:
- . . . Mulher, crede-me. Virá a hora em que não será nem neste monte, nem em Jerusalém que adorareis o Pai. Deus é espírito e em espírito e verdade é que o devem adorar os que o adoram.

      Muita paz, saúde, força e união.

      Norberto Peixoto.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Google analytics