segunda-feira, 5 de agosto de 2013

Quem nunca sentiu ansiedade?

                            
          Não vos inquieteis, pois, pelo dia de amanhã, porque o dia de amanhã, cuidará de si mesmo. Basta a cada dia, o seu mal.

          Psicologicamente, este convite de Jesus nos chama a atenção a uma questão muito comum nos nossos dias, que é a ansiedade. Vivemos numa época em que este problema nunca foi tão grave. Uma das causas da ansiedade é a tentativa de controlar o tempo, especialmente o tempo futuro.
Podemos ter em relação ao tempo, três posturas: Pós-ocupação; preocupação; ocupação.


            Pós-ocupação: Centrada no passado. Está relacionada com a lamentação em relação aquilo que passou. Gera culpa; angústia, por ter agido de forma equivocada no passado. Assumimos uma atitude de irresponsabilidade pela condução de nossa vida. Ficamos lamentando pelas atitudes do passado, sem, contudo, corrigi-las.

       Preocupação: Centrada no futuro. Geralmente nos preocupamos negativamente, fantasiando ocorrências do futuro com características sombrias e negativas, produzindo o pessimismo. Criamos expectativas maiores que as nossas possibilidades de realizá-las, gerando um falso otimismo.

           Não precisamos nos preocupar, despendendo energia, tentando controlar um tempo que ainda não ocorreu. O futuro é o vir a ser, portanto incontrolável.  A maioria das pessoas oscila entre pós-ocupação e a preocupação. Lamentamos pelo que aconteceu e tentamos projetar os resultados dos acontecimentos negativos do passado, no futuro, preocupando-nos com o fato daquele resultado negativo vir a ocorrer novamente, gastando muita energia que poderíamos utilizar no momento presente.

         Ocupação: Centrada no presente. Gera resolução de conflitos e problemas. O indivíduo utiliza toda a sua energia refletindo na melhor maneira de superar os obstáculos que surgem no momento que eles aparecem.  Podemos nos ocupar com o passado refletindo, e tirando dele um aprendizado.  Podemos também nos ocupar com o futuro , planejando , estabelecendo metas a serem cumpridas.

      O problema não é pensar no amanhã, é pensar no mal de amanhã.

     Jesus nos chama a atenção para os pensamentos negativos, geradores de ansiedade, que turbam o nosso coração e nos tiram a paz, ontem, hoje ou amanhã.  

      Como só podemos viver verdadeiramente, o tempo presente, após termos planejado as ações, em relação ao futuro, necessitamos passar a cumpri-las, concentrando todo nosso esforço em ações positivas no aqui e agora. Com esse procedimento estaremos nos concentrando no bem do dia de hoje, transmutando o seu mal para que procedamos bem amanhã.

Do Livro: Psicoterapia à luz do Evangelho de Jesus; Capítulo 06. 
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Google analytics