CURSO UMBANDA PÉ NO CHÃO COM NORBERTO PEIXOTO.

O CURSO FOI PROVISORIAMENTE SUSPENSO PELO RECESSO CORONAVÍRUS. REMARCAREMOS EM BREVE E TODOS OS INSCRITOS TEM SUA VAGA GARANTIDA.


CURSO UMBANDA PÉ NO CHÃO COM NORBERTO PEIXOTO.

- PRESENCIAL E GRATUITO.

O curso objetiva transmitir aos participantes uma consciência espiritual, dentro da tradição de oralidade da Umbanda de raiz; presencial, de boca a orelha. A palavra verbalizada é fundamento, conduz axé e um fluxo de consciência do espiritual para o material, do orientador para os “alunos”.

INÍCIO: dia 18 de março de 2020, encontros semanais, toda quarta-feira, com DURAÇÃO de 8 a 10 semanas.

HORÁRIO: das 20 h e 00 min às 21 h e 30 min (o portão de entrada abre às 19 h e 30 min).

LOCAL: Grupo de Umbanda Triângulo da Fraternidade

Rua Barão de Tramandaí, nº 23 – Passo d’Areia

Porto Alegre – RS

INSCRIÇÕES: somente 30 vagas e as inscrições serão presenciais em dia de Gira, na secretaria do Grupo de Umbanda Triângulo da Fraternidade, às sextas-feiras à noite, a partir do dia 28/02/20. Não faremos inscrições por email ou WhatsApp. É pré-requisito comparecer, se fazer presente para se inscrever. As aulas não serão gravadas nem transmitidas ao vivo.

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO:

As aulas serão dinâmicas – o primeiro tempo de sustentação oral pelo facilitador e o segundo interativo com perguntas e respostas. Não utilizaremos recursos audiovisuais e não concederemos certificado. Os conteúdos estão no livro UMBANDA PÉ NO CHÃO. Recomendamos a leitura do livro para melhor aprendizado de cada aula, conforme o programa a seguir:

Origem e história da Umbanda: advento do Caboclo das Sete Encruzilhadas

Estrutura astral do movimento umbandista

O que são Orixás, Guias e Falangeiros

Formas de apresentação dos espíritos

As linhas de trabalho

As firmezas e tronqueiras

O cruzeiro das almas

A Curimba, os cantos e os toques – a música sacra de terreiro

Os preceitos

As consagrações

A convergência universalista da Umbanda

As influências e diferenças dos cultos africanos, da pajelança indígena,

do catolicismo e do espiritismo

O axé através da mediunidade;

Estrutura energética do homem, Carma e regência dos Orixás

Finalidade dos amacis e banhos de ervas

A importância do ritual, o espaço sagrado nos terreiros e sua diversidade de culto

O transe nos terreiros

A incorporação consciente

As diferenças ritualísticas e a formação da consciência umbandista

A união nas desigualdades; Religião, filosofia, ciência e arte

A magia na Umbanda; as dimensões física, etérica, astral e a movimentação

mediúnica de energias entre elas;

O fundamento dos elementos e dos condensadores energéticos: ar, terra, fogo e água, álcool, ervas, a fumaça, o som; as guias; os pontos riscados; a pólvora; as oferendas; a água;

Os fundamentos do congá (atrator, condensador, dispersor, expansor,

transformador e alimentador)

A sessão de caridade;

O preparo

O desenvolvimento mediúnico

O que se aprende nas sessões de desenvolvimento?

Os passes e aconselhamentos espirituais

Por que os Orixás não incorporam?

A desobsessão na umbanda

O que sãos Orixás?

Os sítios vibracionais dos Orixás

Alguns tipos psicológicos associados aos Orixás; Oxalá, Yemanjá, Xangô, Ogum, Iansã, Oxum, Oxossi, Nanã Buruquê, Omulu.


segunda-feira, 22 de abril de 2013

A postura do homem em relação a Deus




Do livro de Mirdad (baseado no texto publicado por Mikkail Naimy)
  
-Deus não dotou o homem de nenhuma fração de Si, mas de toda sua divindade. Que maior herança pode o homem esperar? E o que os impede de se apossar dela é a vossa própria timidez e cegueira.

-Em vez de serem gratos por essa herança os homens cegos e ingratos fazem de Deus uma espécie de quarto de despejo ao qual levam todas as suas dores de dentes e de barriga, seus prejuízos nos negócios, suas brigas, vinganças e noites de insônia.

-Outros fazem de Deus a sua casa do tesouro onde esperam encontrar o que desejam toda a vez que cobiçam a posse de todas as traquitamas do mundo.

-Outros fazem de Deus uma espécie de seu guarda-livros particular. Pretendem que Deus não só mantenha suas dívidas e contas em dia, mas que também cobre os que lhes é devido, conseguindo sempre um grande saldo a favor deles.

-São tantas e diversas as tarefas que os homens exigem de Deus. Mas pouco se lembram de que se isso estivesse a cargo de Deus, ele as executaria sozinho e não precisaria de homem algum para incitá-Lo a fazê-las ou Lhe recordar delas.

-Por acaso é preciso lembrar a Deus das horas em que deve nascer o sol ou pôr-se a lua?

-Lembrais a Deus de fazer brotar da terra o grão de milho no campo?

-Tendes de lembra-Lo para que aquela aranha acolá teça a sua teia?

-Precisais lembra-Lo dos filhotes de pardal no ninho?

-Por acaso tendes de lembra-Lo das inúmeras coisas que enchem este infinito universo?

-Porque fazeis pressão, com vossos insignificantes seres, em Sua memória? Sois menos favorecidos em Sua vista do que os pardais, o milho e as aranhas?

-Porque, como eles, não recebeis as vossas dádivas e não vos ocupeis com as vossas tarefas sem muito alarido, sem dobramento de joelhos e extensão de braços e sem ficar ansiosos a espiar o amanhã?

-E onde está Deus para que preciseis gritar nos Seus ouvidos os vossos caprichos e as vossas vaidades, vossos louvores, vossas queixas? Não está Ele em vós e em tudo ao vosso redor?

-Não está o ouvido de Deus muito mais próximo de vossa boca do que o está a vossa língua do vosso céu da boca?

-Se Deus tende-vos dado a semente da Sua divindade, tivesse de cuidar dela ao invés de vós, qual seria a vossa virtude? E qual seria o trabalho de vossa vida? E se o homem não tivesse trabalho algum a executar, mas Deus precisar executá-lo para vós, que sentido terá então a vossa vida? E de que valerão as vossas preces?

-Não peçais a Deus para abrir as portas das quais Ele vos deu as chaves, buscai-as na vastidão de vossos corações, pois ali se encontram as chaves de todas as portas. E na vastidão do coração estão todas as coisas pelas quais tendes sede e fome, seja do bem ou do mal.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Google analytics