quinta-feira, 31 de maio de 2012

Sublime catalisador angélico - fundamen­tos indestrutíveis


      Jesus, sublime catalisador angélico, deu forma e vida no mundo exterior, às suas próprias idéias e às que lhe foram inspiradas pela amizade pura dos Essênios. O que eles pensavam, sentiam e cultuavam, afinava-se per­feitamente com a alma eleita de Jesus, o qual deu maior vivência aos seus elevados princípios e os tornou fundamen­tos indestrutíveis do sublime Código Moral da humanidade — o Evangelho!

quarta-feira, 30 de maio de 2012

Fatalismo da lei do carma: todo efeito tem uma causa geradora


             Através do mecanismo comparativo das parábolas, Jesus expôs idéias e preceitos ao nível da compreensão humana, mas que se referiam, especificamente, à vida espiritual. Ele sempre usou de uma linguagem imperativa e taxativa, quando aludia sobre a colheita inglória dos que falseiam na escalonada espiritual. Ele sempre deixou transparecer que todos os homens são "pecadores" e, por isso, ninguém pode julgar ninguém. Daí a sua advertência incisiva e evangélica à alma imprudente, que ao apontar o "argueiro" no olho do vizinho, não enxerga a trave nos seus olhos.

segunda-feira, 28 de maio de 2012

Cada um será julgado segundo suas obras - O Evangelho À Luz do Cosmo

      
      Deus não patrocina nem administra propositadamente nenhuma instituição punitiva ou departamento específico de correção espiritual. Em verdade, toda conseqüência ou efeito desagradável, trágico, doloroso e infeliz do homem é sempre fruto do seu descaso aos ensinamentos e às advertências dos instrutores espirituais. A sua violência ou rebeldia aos princípios salutares e evolutivos decorrentes da Lei Maior, que regula o equilíbrio, a harmonia e a coesão do Cosmo, é que, então, produzem as conseqüências indesejáveis futuras. Ninguém é castigado porque "peca", assim, como ninguém é premiado porque é "virtuoso", mas todo desvio do ritmo eletivo e da ascensão do ser espiritual resulta em atrito e reação retificadora da entidade imortal existente em cada ser. O estado de erro é vitalizado pelo consumo de energias de baixa vibração, porque são forças oriundas do reino animal primário e que sustentam o campo instintivo inferior. Após o gasto do combustível primário, então resta a fuligem aderida ao perispírito, que é resultante da movimentação dos desejos inferiores ou da violência mental e astral do homem.


Ramatís - O Evangelho À Luz do Cosmo

sexta-feira, 25 de maio de 2012

Obsessões em família. Quem não as tem?


"...sendo todos nós espíritos com uma programação a ser cumprida a fim de trilharmos o caminho da evolução, somos responsáveis não só pelo efeito de nossas ações para conosco mas também pela maneira como estas influenciam aqueles que nos cercam . Muitas vezes, por nossa imaturidade espiritual, podemos estar perpetuando obsessões e prejudicando irmãos de caminhada em situações que poderiam ser resolvidas simplesmente seguindo as lições de amor e misericórdia do Evangelho de Jesus."

      Ovelha negra da família...Certamente para cada dez  pessoas que questionarmos a respeito da existência de algum familiar que se enquadre nesta descrição, nove irão dar uma resposta positiva. Este termo é usado para definir alguém diferente, fora do padrão de normalidade para determinado grupo familiar ou social, com dificuldades de relacionamento ou alterações de conduta na convivência diária. Muitas vezes temos a nítida impressão que determinada pessoa não tem absolutamente nada em comum com o restante do grupo familiar, gerando inclusive inconformidade nos demais em virtude das ações  dos mesmos.
Não existe no cosmo nenhuma ação que não cause uma reação de igual intensidade. Portanto, tudo que fazemos em nossas vivências encarnatórias irão fatalmente reverter em bônus ou "malus" na nossa contabilidade cármica. Muitas vezes uma jornada encarnatória  que esteja indo de vento em popa no sentido de condutas acertadas, gerando um considerável  saldo positivo  que terá  como consequência a anulação de igual quantidade de carma negativo pregresso, pode repentinamente ser desviada por algum fator desencaminhador (tinha uma pedra no meio do caminho...) e lá se vai ladeira abaixo toda uma existência pródiga desperdiçada pelo famoso "minuto (ou horas,dias) de bobeira". Depois, resta somente aquela sensação de frustração, e este episódio tendo funcionado como precedente negativo em uma vivência de ações positivas, fatalmente acaba gerando outros naquela conduta de "agora que já fiz uma vez, mais uma não vai fazer diferença mesmo...". A partir daí a tendência é a coisa desandar definitivamente com a famosa queda evolutiva que, em muitas ocasiões, de acordo com a gravidade das ações cometidas, pode comprometer toda a caminhada desta vivência, ensejando mais saldo devedor para uma próxima encarnação.

quinta-feira, 24 de maio de 2012

O rival

                   Corria o ano de 1920.
                   Interior de uma cidadezinha do interior do estado do Rio Grande do Sul.
                  Imigrantes, alemães, sírio-libaneses, italianos, turcos, franceses. Uma verdadeira babilônia de línguas, vários dialetos, difícil de entender. Mas a linguagem dos gestos, repetidos incansavelmente e a boa vontade ajudavam a quebrar o gelo e eles conseguiram o milagre da boa convivência.
                Vindos para o Brasil em busca de uma vida melhor, porque na Europa havia-se instalado a recessão econômica, a falta de emprego e a fome. Sonhavam em plantar, produzir, alimentar as famílias e principalmente fugir dos horrores da guerra. Entretanto muito destes homens jamais chegara perto de uma lavoura, eram pintores, engenheiros, operários da indústria e do comércio, mas vieram cheios de sonhos com a terra da fartura.
             Foi assim que Francesca, de origem alemã, vinda com a família da Floresta Negra (Bavária), cujo pai era pintor de quadros famoso, com uma sala com suas obras expostas no museu desta cidade, conheceu Armandinho um turco, manhoso, moreno, bonitão.

terça-feira, 22 de maio de 2012

Humildes comentários de um sacerdote umbandista - Pai Valdo.


Por Pai Valdo - Sacerdote dirigente do Templo Espiritualista do Cruzeiro da Luz

Abaixo postei alguns  textos do “livro dos médiuns” de Allan Kardec sobre o que, nós umbandistas espíritas, e principalmente os dirigentes de centros, deveríamos ler, estudar e meditar para libertar a umbanda da ignorância, da falácia e das perturbações provocadas por encarnados e desencarnados, iludidos com supostos procedimentos mentirosos adivinhatórios e resolvedores de problemas materiais e mesquinhos, que aprisionam e viciam os caminhantes encarnados à baixa vibração, e à estagnação moral e religiosa, ao que muitos acertadamente chamam de “baixo espiritismo”.
É uma verdadeira escravização de seres à busca constante de uma paz e resolução de problemas, em suas vidas, que jamais alcançam, pois a ignorância é a mãe da ilusão que, por sua vez, emana a desilusão, fonte da inquietude, perturbação e desarmonia.
No Templo Espiritualista do Cruzeiro da Luz, que se propõe a ser uma casa religiosa que ensina, orienta e ajuda os irmãos, que nos procurem e queiram, na senda do evangelho e da doutrina raciocinada, quantas vezes temos a tristeza de receber pessoas completamente desequilibradas e perturbadas, buscando adivinhos e feiticeiros, perturbando o ambiente religioso com palavras como essas:


- O guia tem que adivinhar o meu problema.
- O guia tem que ter mais luz para resolver e adivinhar o que tenho.
- Nas casas de umbanda em que estive os guias advinham, e não ficam nesse blá, blá, blá de evangelho.
- Isso aqui é mesmo umbanda? Nas casas em que vou não tem esse negócio de palestra e cantorias.
-Nunca vi guia de umbanda falar de evangelho, eles têm é que resolver os problemas.
-Aqui demora muito, com preces, cantorias e palestra. e as consultas?
- Aqui só tem cantoria, nas casas em que conheço você fala logo com o guia e vai embora, aqui vocês prendem a gente com tanta cantoria e palavreado
- Quero falar com um guia forte, não com qualquer um.
- Esse guia presta?
-Casa que não cobra consulta e trabalhos, não tem força.
-Aqui é casa Kardecista, não é?

e por aí vai....!

sexta-feira, 18 de maio de 2012

Ramatís - Nos Momentos Críticos da Transição Planetária




"Assim, não deveis temer os momentos mais críticos de transição planetária, eis que as transformações geológicas que acontecerão são efeitos de vossas próprias ações e sinalizam as adequações necessárias na fisiologia doente do organismo planetário terrícola para que tenhais uma morada melhor. A fraqueza humana que exalta o medo da morte nos momentos fatídicos deve ser fator de domesticação das forças primárias alojadas em si mesmos e ainda dominantes na face frágil e ilusória da crosta física. O homem de maturidade evangélica que busca a ininterrupta espiritualização, não se abala e sabe que todos os bens são transitórios e não duradouros e devem ser instrumentos para fortalecer as qualidades do espírito imortal.” 
Ramatís.


         Meus irmãos,
         Somos indestrutíveis, eis que criados por mecanismos de desdobramentos da essência divina, eterna mantenedora da vida no Cosmo. Infindáveis voltas deram os ponteiros do relógio do tempo pelo calendário convencional terrícola, em que tivemos os primeiros movimentos diferenciados do infinito indiferenciado, assim como as gotas do mar que respingam da onda oceânica. A simultaneidade da existência de espíritos novos e infantis, que convivem com os mais velhos e adultos, no sentido de já terem burilado em si a compreensão mais abalizada do evangelho de Jesus e das verdades cósmicas, delineiam os caminhos ascensionais no Cosmo Espiritual, vicejando em todas as latitudes do Universo a convivência recíproca, fazendo com que nos relacionemos uns com os outros num ambiente de diferentes níveis de compreensão ou de consciência. O gabarito espiritual ou graduação consciencial é proporcional à linha temporal de causalidade que cada individualidade tem anotada em seus anais cármicos e principia com a noção de existir.

quinta-feira, 17 de maio de 2012

Distúrbios psiquiátricos e mediunidade


   
          O que diferencia um médium que semanalmente veste o branco e através de seu canal de comunicação com o plano espiritual recebe as mensagens dos planos superiores seja por clarividência, clariaudiência ou intuição daqueles irmãos que, apresentando um histórico clínico de “alucinações” auditivas ou visuais, permanecem muitas vezes sedados com medicamentos psiquiátricos em clínicas especializadas para controle dos seus “sintomas”? Qual a linha que separa a referida mediunidade das doenças psiquiátricas como a esquizofrenia com sintomas de paranóia e delírios ou os transtornos obsessivos com fases de mania ou depressão? Qual o médium que não está costumeiramente a mercê de oscilações de humor quando fraqueja no seu equilíbrio e abre brechas em seu psiquísmo para a ação de entidades umbralinas?

terça-feira, 15 de maio de 2012

Entrevista Rádio Boa Nova

Programa Chama Crística - Norberto Peixoto:
Ouça agora entrevista completa;

Fiz tudo certinho. E agora!?


           Aconteceu em noite de Exu.
        Numa sexta feira de intenso frio.
        Mas nem o frio espantou o público que frequentava a casa de caridade, um templo umbandista espírita, que recebia a todos com respeito e fraternidade.
        Uma casa pequena, porém com direção espiritual segura e baseada no Evangelho. Dedicada ao estudo e aos cursos sistematizados e doutrinários, levando o esclarecimento aos interessados em progredir através do autoconhecimento, da educação mediúnica.  
        Aquela mulher chegou para consulta com Exu. Participou da palestra, mas não entendeu o recado do palestrante que dizia:
        - Nesta casa de caridade não fazemos trabalho para tirar marido ou mulher de ninguém. Não arrumamos casamento para ninguém. Não fazemos trabalho para ganhar promoções, principalmente à custa de outros. Não fazemos sacrifício de animais. Não fazemos trabalho para fertilidade ou infertilidade de ninguém. Não fazemos trabalhos para acertar na loteria. Não trabalhamos com artes divinatórias. Não cobramos.

domingo, 13 de maio de 2012

Seja trigo e não joio - Evangelho à Luz do Cosmo

                                                                                 Mateus, 13:24-30,36-40  
            Devemos seguir os preceitos que nos esclarecem, que o evangelho é muito mais que um código de procedimentos morais onde  balizamos nossas vivências e anseios. Em verdade é uma reprodução em escala microcósmica das leis que refletem os princípios macrocósmicos da mente Universal.
           Utilizando essa didática educativa que nos impulsiona evolutivamente, JESUS nos apresenta através de seus exemplos, e com a utilização de parábolas, certos questionamentos que podem orientar em qualquer época, qualquer tipo humano. 
          - De que maneira devemos compreender os ensinamentos contidos na  parábola do joio e do trigo?
             Embora o joio seja uma gramínea da mesma família do trigo, é considerado uma planta de má qualidade, pois sempre sufoca ou prejudica a espécie útil.
      O joio oferece aspectos tão semelhantes ao trigo, que é muito difícil distingui-lo durante o seu crescimento. Quando começa a germinar é facilmente confundido com o trigo, pois lembra certas criaturas que, apesar de sua figura convencional e aparentemente correta, minam sub-repticiamente as atividades produtivas e benfeitoras dos outros seres.
          - Por qual motivo JESUS usou este exemplo?




            Jesus recorreu ao exemplo do trigo sadio e do joio nefasto, talvez evocando certo acontecimento muito comum no Oriente, quando, por motivos de ciúmes, vingança ou maldade, o lavrador inconformado e vingativo mandava os seus agregados semearem ocultamente o joio no meio da seara de trigo plantada pelo vizinho concorrente. Isso era feito à noite, às escondidas, quando dormiam os lavradores prejudicados, jamais à luz do Sol. O joio era semeado de modo tão sorrateiro, que as vítimas da indigna façanha só percebiam o prejuízo mais tarde, quando já havia crescido a erva nociva, e produzido os frutos inúteis.

sexta-feira, 11 de maio de 2012

AGENDA: Ramatís - Uma Proposta de Luz.


Neste sábado o programa Ramatís - Uma Proposta de Luz - dia 12.05.12 às 17h00min -  transmitido pela TV Mundo Maior, apresenta nos seus 2 módulos  entrevista com NORBERTO PEIXOTO - Umbanda, Exu, Bombogira, Magia, Condensadores Energéticos, Remoções Umbralinas, e outros assuntos espirituais, dando continuidade ao programa da semana passada. 


ASSISTA EM TEMPO REAL PELO SITE DA TV MUNDO MAIOR:
 http://redemundomaior.com.br/


Assista agora a primeira parte da entrevista, ocorrida em 05/05:




Muita Paz!

Muita Luz!

"Camelôs" da espiritualidade

     Embora muitos médiuns sejam inteligentes e mentalmente desenvolvidos, o orgulho, a vaidade, a ambição, a prepotência, a cupidez ou a leviandade ainda os fazem tombar de seus pedestais frágeis, porque se crêem magos excepcionais ou indivíduos de poderes extraordinários para a produção de fenômenos extemporâneos ou revelações incomuns. A Terra ainda é pródiga de magos de feira, curandeiros mercenários ou iniciados sentenciosos que, através de rituais extravagantes, atraem e exploram as multidões ignorantes. São verdadeiros "camelôs" da espiritualidade que, beneficiados pela graça mediúnica concedida pelos espíritos benfeitores, exploram-na sob o disfarce da magia ou dos poderes esotéricos, mas sempre evitando a disciplina do Espiritismo que, sem dúvida, lhes exigiria conduta ilibada e o absoluto desinteresse no trato das coisas espirituais.


Ramatís - do livro Mediunismo.

quinta-feira, 10 de maio de 2012

Médico e Umbandista sim, com muito orgulho


 "Prefiro, sinceramente, deixar de atender certas pessoas preconceituosas quando visto o jaléco branco da profissão do que não poder servir de instrumento ao amparo de quem tem merecimento, quando visto o branco da Umbanda." 


Racionalismo versus espiritualidade, aparências sociais versus desprendimento, materialismo versus fé... Estes são somente alguns dos muitos conflitos pelos quais já passei e continuo passando desde o momento em que realmente resolvi abraçar sem restrições o caminho do exercício da mediunidade e do trabalho caritativo na Umbanda. Escolher uma carreira profissional essencialmente mentalista e racional onde somos ensinados a buscar na anatomia e na fisiologia humana uma explicação plausível para todas as doenças, tendo na anamnese clínica e no  exame do corpo físico as ferramentas fundamentais para chegar aos diagnósticos e lá pelo meio de nossa caminhada encarnatória entendermos que existem muito mais coisas entre o céu e a terra, realmente cria dilemas  em qualquer espírito imperfeito.

quarta-feira, 9 de maio de 2012

O obsessor de Janaína

            Janaína, carinhosamente chamada de Naná, mulher entrando na madureza, ou como diriam os maldosos: balzaquiana. Casou-se quando estava começando a pintar um sentimento de que ia ficar para “titia”, quando surgiu em sua vida Antônio Fernando, um descendente de Cabral, emigrado para o Brasil. 
             O casal tinha uma filha adolescente de 13 anos, Manoela, e que em virtude da idade, de estar em plena adolescência, seu corpo transformando-se de menina para mulher, parecia um vulcão, com as glândulas sexuais ativas a despejar energias descontroladas no ambiente. Deixando os garotos a rondar a casa e os pais com os cabelos em pé, procurando arrefecer os ímpetos e arroubos mais ardorosos dos futuros pretendentes da garota.

segunda-feira, 7 de maio de 2012

A esposa de Xangô

                Entre o público frequentador das casas de caridade podemos traçar alguns paralelos, quais sejam os motivos que levam estas pessoas a buscar ajuda, para os problemas que os afligem. É interessante observar que uns procuram consolo espiritual através da palavra sábia dos amigos espirituais. Outros, desesperados ante a doença que ronda suas famílias ou pela perda de entes queridos, buscam a cura ou desejam notícias de seus parentes que partiram para o além-túmulo, como se fossem de trânsito fácil tais informações. Esquecem que este correio funciona de um só lado, o que quer dizer de lá para cá. 
      Muitos buscam solução para a perda de empregos, derrocadas econômicas, perda de cargos, marido ou mulher que saiu de casa, companheiros que se foram. Namorados que ainda não apareceram. Parentes que causam problemas perturbando a ordem e o sossego das famílias. Mazelas de toda ordem, receitas para alcançar os tão sonhados bens de consumo, que afinal, toda a vizinhança tem, menos nós. O que será mesmo que eles fazem que ganhando menos, conseguem ter mais do que nós? Qual será o milagre?

sexta-feira, 4 de maio de 2012

A Linha do Oriente na Umbanda


Lá do Oriente vem a Luz,
Chama Sagrada que orienta e nos conduz,
Ó Luz Divina, ó Luz de Deus,
Luz ilumine e abençoe os filhos seus.
     
O Círculo Luminoso do Grande Oriente é uma imensa escola iniciática... É uma ordem iniciática verdadeira, mas no astral , na luz viva e divina do plano celestial. É  uma grande escola de aceleração do conhecimento, para atuação em diferentes dimensões planetárias.
Esse Círculo Luminoso é sustentado por Orixás e por seus Guias... que não se manifestam em incorporações, pois suas funções estão ligadas à sustentação astral da religião e de suas diferentes linhas de atuação. É nessa egrégora que são concebidas as formas de atuações religiosas e são preparados os guias e protetores que atuarão nos templos, por meio das incorporações mediúnicas.

quarta-feira, 2 de maio de 2012

Lixo umbandista



“na cosmogonia das religiões africanistas, especialmente a ioruba, o ato de “ arriar “ uma oferenda estabelece e perpetua uma troca de força sagrada entre dois mundos: o divino oculto e o profano visível; tudo é energia e tem mais afinidade com este ou aquele Orixá. Essa energia deve estar sempre em movimento em ambos os sentidos: entre o plano concreto – material e o invisível – astral. Assim como a água em seu ciclo sucessivo de chuva, evaporação, resfriamento e degelo, a dinâmica de transferência energética é considerada essencial e parte da vida. “ Ramatís no livro A Missão da Umbanda, editora do Conhecimento, na página 94

       Na prática litúrgica da Umbanda, a oferenda é um dos atos mais sagrados de conexão entre fiel e Divindade.
      Toda religião tem sua prática ofertatória, quer seja uma fruta no Congá ou até uma nota de R$ 10,00 no envelope. Não importa, este é um ato de oferta, um ato de fé e cada religião tem a sua leitura própria de como deve ser esta prática.
      Nas religiões naturais, de culto a Deus e Divindades na natureza, no geral estas religiões tem como pratica ofertatória a oferenda daquilo que vem da natureza, ou seja, flores, frutos, grãos etc.
      A Umbanda é uma religião natural, ela entende a natureza física como pontos de força, santuário natural, sítio sagrado ou mesmo casa dos Orixás. E encontramos variadas formas de oferendas, tem oferenda para tudo, para energização, para descarrego, para abertura de caminhos, para prosperidade, para amor e por aí vai. O fato é que oferenda está presente no dia a dia do Umbandista.
     Já que é tão comum o ato ofertatório e principalmente depositado na natureza ou nos pontos de força, como: cachoeira, mata, bosque, mar, encruzilhada… Fica a pergunta: o Umbandista foi sendo preparado para ter consciência ambiental ?
     Nunca se falou tanto em meio ambiente, efeito estufa, caos planetário como nestes últimos anos. Todavia se não fosse algo tão sério não se falaria tanto. Claro que podemos ajudar muito fazendo cada um a sua parte, como diminuir o tempo do banho, selecionar o lixo, diminuir o uso do carro, etc.
Mas é realmente preocupante o que fazem por aí os Umbandista e demais religiões quando entram na natureza para uma prática sagrada e acabam profanando o espaço sagrado. É isso mesmo, profanando !
    Você já observou a quantidade de lixo que fica no pé da árvore ? Na beira do rio ?
    Assustado ? Como é que falo lixo ???
    Sim, é lixo mesmo !
    Este artigo vai ser assim mesmo, um tanto indigesto, é para provocar náuseas e quem sabe ao final, no seu vômito, você comece a evitar que os Orixás continuem tendo que tolerar nosso lixo.
     Vamos à parte prática. Reflita comigo, ok ?

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Google analytics