segunda-feira, 23 de abril de 2012

Socorro! Preciso de um milagre!


      
- Bem... Eu estou em busca de orientação por que... Já procurei vários meios... Ainda não consegui ajuda... Pois... Fiquei sabendo... Minha “ex- amante”... Fez um feitiço... Um trabalhinho sabe?... E fiquei... (colocando ambas as mãos no órgão genital)... Prejudicado... Entende?


      Era gira de Exu.


      Naquela noite o trabalho de caridade estava sendo desenvolvido com a vibração de EXU. Entidades amigas e sábias, que se condoem da ignorância e da falta de interesse geral, para a compreensão do momento atual em que passa a humanidade. Quando a maioria, afetada pelos apelos da modernidade e da materialidade, sequer tem tempo para acompanhar o desenvolvimento de seus filhos.
       Relegando-os a companhia de equipamentos eletroeletrônicos, jogos e computadores,  de última geração, de empregados, muitas vezes sem qualificação, deixando-os carentes de amor e companhia dos pais. Esquecendo-se que filhos precisam de acompanhamento, de limites e principalmente que educação vem do “berço”, isto é, deve ser dada pelos pais, uma vez que o papel da escola é educar no sentido de instruir e que cobrar dos educadores é repassar a eles o dever inerente aos pais.
       Criando então, adultos que não estão preparados para enfrentar a vida, que não suportam ser contrariados e que não tem estrutura para os reveses profissionais tão comuns, familiares e pessoais de cada ser.


       EXUS!


       Amigos, guardiões, verdadeiros irmãos, interessados no despertar da humanidade para o amor e para a fraternidade. Aplicando a justiça doa a quem doer. Conceitos antagônicos e interessantes, de vez que aquilo que dói para nós talvez seja motivo de alegria para outros.
       Perda para um... Ganho para terceiros, felicidade para uns... Tristeza para outros. E assim por aí vai. Pois na atualidade, de acordo com o modo de vida vigente a civilização moderna é particularmente interessada, única e exclusivamente, no próprio bem estar e os outros que se danem.
      Cada um na “sua”.
     Como se vivêssemos ilhados, sem fazer parte do contexto de crescimento e desenvolvimento material, espiritual e moral da humanidade planetária, contribuindo e trocando para crescimento e aprimoramento de todos.
      Ambos, EXU e médium, devidamente harmonizados, refletiam sobre o comportamento e interesse geral e mesquinho das pessoas, enquanto no salão principal o palestrante da noite, falava sobre o Evangelho de Jesus e seus sábios ensinamentos.
      Diga-se de passagem, que naquele momento o espírito amigo, sabedor das imperfeições do (a) médium, não se importava de estar ali, sendo recepcionado por alguém que ainda lutava consigo mesmo, na tentativa de se tornar melhor ou pelo menos procurar compreender o seu papel na atualidade, e estar despertando para a vida espiritual.
     Assim, EXU amorosamente divagava com seu aparelho, para que este impregnado do amor cristão, pelos companheiros de jornada terrena, deixasse os julgamentos de lado, servindo com desinteresse à causa que abraçou antes de reencarnar.
     Vários consulentes se seguiram e ambos dedicados ao serviço fraterno perderam-se no tempo esquecendo-se de si por alguns momentos, sem prestar atenção ao que acontecia ao seu redor e a quanto andava a gira daquela noite.
      Eis que frente a eles surge um senhor, aparentando meia idade, com semblante abatido a solicitar ajuda para seu problema, que estava causando um sério transtorno em sua vida familiar e social.
      Conversa daqui... Explica dali... Diz-se incompreendido... Atormentado... Fala sobre as diversas perdas que estava enfrentando... Desinteresse pelos negócios que não andavam bem... Vida familiar cheia de incompreensões... A esposa perdera a paciência com ele... Os filhos cobravam em excesso...  Divaga sobre temas irrelevantes, sem, entretanto referir-se ao verdadeiro motivo de estar solicitando ajuda.
     Passados vários minutos de procrastinação, o amigo EXU, conhecedor das mazelas humanas e tendo percebido de início o “problema”, pergunta direta e amorosamente, enfim...
- Qual a causa do irmão buscar ajuda neste templo humilde? 
     Recebendo a seguinte resposta em tom baixo e reticente:
- Bem... Eu estou em busca de orientação por que... Já procurei vários meios... Ainda não consegui ajuda... Pois... Fiquei sabendo... Minha “ex- amante”... Fez um feitiço... Um trabalhinho sabe?... E fiquei... (colocando ambas as mãos no órgão genital)... Prejudicado... Entende?


     Após este breve diálogo pode o (a) médium compreender porque estava desde que chegou, para o trabalho da noite, sendo preparado (a) pelo exu amigo, para não fazer nenhum tipo de julgamento. As pessoas reagem aos fatos da vida de diversas formas e de acordo com sua bagagem pretérita aliada aos novos valores e aquisições morais e espirituais conquistados ao longo de suas jornadas reencarnatórias.
     Alguns aproveitam as oportunidades e adquirem novos valores que vão juntar-se aos já existentes, outros infelizmente ficam anestesiados pelas ilusões e prazeres sensórios, sem acrescentar nada em suas formas de pensar e agir, repetindo ao longo dos milênios os mesmos erros e passando pela vida sem saber exatamente aonde querem chegar.


     Salve os Exus!  


     Exu é Mojubá!


Lizete
Médium do Triângulo da Fraternidade


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Google analytics