quarta-feira, 28 de março de 2012

Transição planetária - opinião.

Pai Valdo - Sacerdote Dirigente do T. E. do Cruzeiro da Luz. 
           Nos dias 17 e 18 de março tive a honra de participar do Encontro da Associação das Fraternidades Ramatís – AFRAM, na Sociedade Espírita Ramatis – SER. Dentre os assuntos importantes e de grande interesse espiritual, pude constatar a grande preocupação que existe em relação a Transição Planetária, que será, inclusive, o tema do próximo Congresso Ramatisiano da AFRAM aqui no Rio de Janeiro. Diante de tantas coisas faladas e ouvidas  a respeito da Transição Planetária, inclusive dando-se ênfase ao sentido catastrófico e destruidor em relação ao ambiente terrestre em que vivemos, e tratando-se de um tema abordado por Ramatis em suas obras com veemência, resolvi perguntar ao Pai Ventania, na sua visão,  o que seria a Transição Planetária.

       Se bem compreendi, ouvi meu grande amigo e orientador nesta encarnação dizer que a transição planetária não é outra coisa senão o chamado do Cristo para alturas maiores. Trata-se do estabelecimento do Reino de Deus nos corações. O Cristo, por meio de seus Prepostos, clama a todos para este momento planetário que culminará, num futuro mediato, na renovação de toda a vida natural terrícola. Se as dores e sofrimentos se avizinham pela necessidade de a natureza purificar e transformar o ambiente natural para a grande transformação espiritual do planeta, esse, contudo, não é o aspecto mais importante da famosa e falada transição, pois as catástrofes e dores se darão pelos motivos regeneradores e, portanto, em intensidade compatível com as energias emanadas pela população terrícola através de suas mentes e emoções comportamentais. Hoje, disse-me ele, é o momento de trabalhar com Jesus Amor para a realização da grande transição planetária interna. Cada espírito, encarnado ou não, é um mundo inteiro, é um cosmo, pois abriga a centelha divina envolvida na sombra da matéria ilusória e densa da má escolha. É hora da transição planetária interna, de fazer com que nosso planeta interior se regenere, transitando das sombras para a luz, por meio do caminho que é  Jesus, e explanado  pelo Seu Evangelho Redentor.
         Os Prepostos Divinos se acercam do Planeta Terra e, seja através da mediunidade bendita ou através de encarnações sacrificiais, tocam a trombeta do alerta, convidando a todos para a Transição Interna, a mudança de valores e vivência do verdadeiro amor. Vale entender que as palavras de Jesus no Evangelho de Mateus, cap. 24; 15-31 estão revestidas de linguagem simbólica e real. Não se trata de um drama a ser desenrolado diante de nossos olhos que só querem enxergar o concreto e físico, mas de uma mensagem cujo conteúdo só pode ser entendido com os olhos e ouvidos do espírito, e o entendimento do coração. Tudo se realizará em espaço de tempo que não é o nosso e, por isso, dizemos já está se realizando e poderá se estender por tempo indeterminado, pois não  se trata de um castigo de Deus para com a humanidade pecadora, mas de um ato do amor de Deus no processo de purificação e acolhimento dos alunos terrícolas que já estão formados, para conduzi-los a uma terra e trabalho compatível com seu estágio esclarecedor e evolutivo.
        Ramatis e tantos outros Espíritos de Luz se debruçam sobre o Planeta Terra, em nome de Jesus, para tocar os clarins, (Ele enviará seus anjos com uma grande trombeta; ao seu toque os eleitos serão reunidos dos quatro cantos da terra, de uma extremidade dos céus à outra - Mt. 24: 31) para chamar os bons para o trabalho de evangelizar e manter a sua reforma interior, ajudando seus irmãos a, também, realizarem a transição planetária interior, para que um dia, quando se der a Transição Externa possam estar na paz e alegria “do seu Senhor”, numa Terra de Regeneração.
         Não devemos permitir sejamos distraídos da essência da mensagem da Transição Planetária, ficando presos à materialidade, aos fatos e acontecimentos que poderão vir, como catástrofes e etc...  Com as datas e momentos em que isso se dará. Veja que o próprio Jesus nos afasta de tais preocupações escravizantes dizendo que “Quanto àquele dia e hora, porém, ninguém tem conhecimento, nem os Anjos do céu, nem mesmo o Filho, mas somente o Pai” (Mt. 24: 36). A principal mensagem da Transição Planetária é a da evangelização como instrumento único de cura de nossos sofrimentos e dores.
        As religiões atuais, especialmente os Movimentos Espiritualistas, são convocados com seus sacerdotes  e médiuns a levar a pessoa de Jesus às vidas. É necessário que  o homem de hoje passe por Jesus e é a isso que somos chamados a ajudar a acontecer. Diz Ramatis que “ninguém jamais passa por Jesus e sai o mesmo”.  Nossos Templos, portanto, devem ser o local onde se possa encontrar e passar por Jesus. Jesus que consola,  Jesus que orienta a vida, Jesus que cura os males, Jesus que leva ao Pai. Como entendi, os Espíritos, Prepostos Divinos, os Guias, Mensageiros de Jesus, têm essa única missão e razão de estarem voltados para o mundo físico, clamar e ensinar que Jesus é amor e que só através d’Ele e do seu Evangelho Redentor encontraremos a felicidade que almejamos, pois estaremos indo ao coração de Deus.
        É o momento de refletirmos sobre a nossa transição planetária interior e o nosso compromisso de, unidos aos amigos espirituais, trabalharmos pela evangelização, conclamando os irmãos a esta transição interior pela luz do Evangelho. Como? Paulo Apostolo nos diz: “Eu vos exorto, irmãos, pela misericórdia de Deus, a oferecerdes vossos corpos em sacrifício vivo, santo e agradável a Deus: este é o vosso culto verdadeiro.  Não vos conformeis com este mundo, mas transformai-vos, renovando vossa maneira de pensar e julgar, para que possais distinguir o que é da vontade de Deus, a saber, o que é bom, o que lhe agrada, o que é perfeito.” (Rom. 12: 1-2) (grifo meu)


Pai Valdo, 27/03/12 (Sacerdote Dirigente do T. E. do Cruzeiro da Luz)
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Google analytics