sexta-feira, 9 de março de 2012

As influências astrológicas determinam o destino?

As influências astrológicas "predispõem" o temperamento ou as iniciativas das criaturas, mas não determinam nem "impõem" destinos, pois estes já estão tra­çadas de há muito tempo. Eles se sucedem ao surgir de tal astro ou sob certo signo astrológico, porque forarn marcados e previstos. Não são as combinações planetárias, como o ascendente, o descendente ou a dominante de alguns astros e signos astrológicos, que criam os “bons” ou os “maus” presságios na navegação marítima, no transporte rodoviário, aé­reo ou ferroviário, os eventos felizes ou as perturbações trágicas nas famílias e nos agrupamentos humanos.  Eles só marcam e predispõem os acontecimentos de há muito tempo já delineados sob a disciplina da Lei do Carma.
Não é a visita de tal ou qual astro ou o efeito de certa conjunção planetária que desata os fatos indesejáveis, mas é a imperícia, impru­dência, estultícia ou embriaguez dos dirigentes dos veículos terrestres, marítimos ou aéreos, quase sempre os responsaveis por isso. Aliás, embora os acontecimentos trágicos vos pareçam ocasionais ou imprevistos, eles podem ter sido traçados pela Administração Sideral devido a uma coincidência cármica. Então ali se escolhem e se agrupam, justamente, criaturas cuja ficha moral as condiciona a um determinado fato, ocorrência ou acidente de resgate coletivo, ensejando lhes a liquidação dos débitos cármicos das existências  passadas.

Sob qualquer aspecto planetário de boa ou má lnfluência astrológica, Jesus sempre revelaria o mesmo caráter impoluto e a mesma capacidade de renúncia aos bens da Tida humana, porquanto essas qualidades eram próprias de sua alma evoluída e não das interferências benfeitoras de astros e signos.


Ramatís - do livro SUBLIME PEREGRINO.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Google analytics