domingo, 26 de fevereiro de 2012

Mediunidade consciente


“A Umbanda existe para ser, na vida daqueles que a procuram, uma religião, ou seja, um instrumento de ajuda à sua religação com Deus. Ela não é um conjunto de rituais e “guias” incorporados, oferecendo falsos fenômenos e falsas esperanças, com idéias sem nenhum credencial cientifico-religiosa que cumpra a sua função específica de libertar o homem, e levá-lo à felicidade e ao equilíbrio pela harmonia no viver.”  Pai Valdo.


Neste indispensável e fundamental momento que estamos passando em nosso sétimo ano de fundação, convidamos a todos que são frequentadores e membros da corrente do Triângulo da Fraternidade a dedicarem maior atenção à chamada "mediunidade consciente", dentro da qual o inter­mediário é compelido a guardar suas verdadeiras noções de responsabilidade no dever a cumprir. Como ser instrumento de libertação dos que procuram o  Templo Religioso que laboramos na mediunidade se o trabalha­dor não cultiva o seu campo de meditação, educando a mente indiscipli­nada e enriquecendo os seus próprios valores nos domínios do conhecimento, multiplicando as afinidades com a esfera supe­rior, esforços a benefício de seus irmãos e de si mesmo. Sobretudo, ninguém se engane relativamente ao mecanicismo da mediunidade. Todo intérprete da espi­ritualidade no decurso dos processos psí­quicos, é obrigado a cooperar, fornecendo alguma coisa de si próprio, segundo as características que lhe são peculiares, por­quanto, se existem faculdades semelhantes, não encontramos duas mediunidades absolutamente iguais.
Lembremo-nos de que não nos achamos empenhados em edificações exteriores, para os olhos do mundo,  onde a forma deva sacrificar a essência, e sim na cons­trução de uma vida melhor, notadamente no círculo de nossas experiências no Templo Religioso, com o objetivo de conduzir-nos a felicidade e plenitude no mundo profano e oportunamente quando retornarmos para o outro lado da vida. Guarde cada frequentador e membro da corrente do Triângulo da Fraternidade a consciência, a responsabilidade e o espírito de ser­viço à maneira que é necessário valorizar e multiplicar com Jesus. Não nos esqueçamos de que é através dos canais mediúnicos que o Divino Mestre está derraman­do a sua luz sobre toda a carne, mas que é preciso melhorarmos nossa recepção enriquecendo nossas mentes e disciplinando nossas condutas internas, a fim de que sejamos, de fato, intérpretes fieis da Divina Luz - Umbanda - e dos nossos abnegados guias espirituais.


Muita paz, saúde, força e união a todos,


Norberto Peixoto.


Texto adaptado do livro  "Coletânea do Além", ditada por André Luiz ao médium Francisco Cândido Xavier. Obra editada pela Livraria Man Kardec-LAKE - São Paulo
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Google analytics