CURSO UMBANDA PÉ NO CHÃO COM NORBERTO PEIXOTO.

O CURSO FOI PROVISORIAMENTE SUSPENSO PELO RECESSO CORONAVÍRUS. REMARCAREMOS FUTURAMENTE E TODOS OS INSCRITOS TEM SUA VAGA GARANTIDA.


CURSO UMBANDA PÉ NO CHÃO COM NORBERTO PEIXOTO.

- PRESENCIAL E GRATUITO.

O curso objetiva transmitir aos participantes uma consciência espiritual, dentro da tradição de oralidade da Umbanda de raiz; presencial, de boca a orelha. A palavra verbalizada é fundamento, conduz axé e um fluxo de consciência do espiritual para o material, do orientador para os “alunos”.

INÍCIO: dia 18 de março de 2020, encontros semanais, toda quarta-feira, com DURAÇÃO de 8 a 10 semanas.

HORÁRIO: das 20 h e 00 min às 21 h e 30 min (o portão de entrada abre às 19 h e 30 min).

LOCAL: Grupo de Umbanda Triângulo da Fraternidade

Rua Barão de Tramandaí, nº 23 – Passo d’Areia

Porto Alegre – RS

INSCRIÇÕES: somente 30 vagas e as inscrições serão presenciais em dia de Gira, na secretaria do Grupo de Umbanda Triângulo da Fraternidade, às sextas-feiras à noite, a partir do dia 28/02/20. Não faremos inscrições por email ou WhatsApp. É pré-requisito comparecer, se fazer presente para se inscrever. As aulas não serão gravadas nem transmitidas ao vivo.

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO:

As aulas serão dinâmicas – o primeiro tempo de sustentação oral pelo facilitador e o segundo interativo com perguntas e respostas. Não utilizaremos recursos audiovisuais e não concederemos certificado. Os conteúdos estão no livro UMBANDA PÉ NO CHÃO. Recomendamos a leitura do livro para melhor aprendizado de cada aula, conforme o programa a seguir:

Origem e história da Umbanda: advento do Caboclo das Sete Encruzilhadas

Estrutura astral do movimento umbandista

O que são Orixás, Guias e Falangeiros

Formas de apresentação dos espíritos

As linhas de trabalho

As firmezas e tronqueiras

O cruzeiro das almas

A Curimba, os cantos e os toques – a música sacra de terreiro

Os preceitos

As consagrações

A convergência universalista da Umbanda

As influências e diferenças dos cultos africanos, da pajelança indígena,

do catolicismo e do espiritismo

O axé através da mediunidade;

Estrutura energética do homem, Carma e regência dos Orixás

Finalidade dos amacis e banhos de ervas

A importância do ritual, o espaço sagrado nos terreiros e sua diversidade de culto

O transe nos terreiros

A incorporação consciente

As diferenças ritualísticas e a formação da consciência umbandista

A união nas desigualdades; Religião, filosofia, ciência e arte

A magia na Umbanda; as dimensões física, etérica, astral e a movimentação

mediúnica de energias entre elas;

O fundamento dos elementos e dos condensadores energéticos: ar, terra, fogo e água, álcool, ervas, a fumaça, o som; as guias; os pontos riscados; a pólvora; as oferendas; a água;

Os fundamentos do congá (atrator, condensador, dispersor, expansor,

transformador e alimentador)

A sessão de caridade;

O preparo

O desenvolvimento mediúnico

O que se aprende nas sessões de desenvolvimento?

Os passes e aconselhamentos espirituais

Por que os Orixás não incorporam?

A desobsessão na umbanda

O que sãos Orixás?

Os sítios vibracionais dos Orixás

Alguns tipos psicológicos associados aos Orixás; Oxalá, Yemanjá, Xangô, Ogum, Iansã, Oxum, Oxossi, Nanã Buruquê, Omulu.


quinta-feira, 12 de janeiro de 2012

Exu Caveira, fiel guardião do livro da Lei nas zonas abissais do planeta


Exu Caveira, fiel guardião do livro da Lei nas zonas abissais  do planeta.

"Inúmeras vezes, os trabalhadores de Umbanda recebem ordens do Alto para proteger determinados centros kardecistas, defendendo-os contra entidades agressivas..."

PERGUNTA: É certo que a Umbanda faz conluio com falanges malfeitoras, no Espaço, a fim de conseguir melhor êxito nos trabalhos de "desmanchos" de feitiços e magia negra?
             RAMATÍS: Realmente, na Umbanda, doutrina que opera no seio da fenomenologia mais densa e repugnante do astral inferior, certas vezes os pais de terreiro precisam negociar com as chamadas falanges da "esquerda", a fim de conseguirem o desmancho da magia negra ou feitiço muito complexo, tal qual a polícia do mundo convoca um arrombador para abrir o cofre de que ninguém conhece o segredo!

            Os espíritos da "esquerda" mais habituados ao mal, são entidades primárias, que obedecem cegamente aos seus chefes sem lhes indagar dos objetivos ou intenções. Desde que lhes seja feita a paga de praxe ou as obrigações secundárias da magia africana, a eles pouco importa fazer o bem ou o mal. São instrumentos inconscientes nas mãos dos magos ou feiticeiros, que aceitam as "encomendas" dos interessados e verdadeiros responsáveis pela continuidade dessa prática nefasta, que é a magia negra! As falanges cumprem a vontade desses magos ou chefes assim como os carregadores de uma gare ferroviária transportam indiferentemente uma caixa contendo medicamentos salvadores, ou uma bomba-relógio!
            A Umbanda opera nos desvãos nauseantes do subsolo astralino, no foco convergente das forças violentas e selváticas da criação inferior, enquanto o Espiritismo não mexe com "formigueiros" tão perigosos, pois a sua atividade no plano mental é menos acessível à investida agressiva dos magos das sombras. As falanges de Umbanda são agrupamentos de espíritos valentes, heróicos e experientes, que submergem nos pântanos da astralidade do planeta, a fim de neutralizar energias virulentas, desmanchar trabalhos de magia negra e reconduzir as vitimas à normalidade da vida física. São espíritos algo semelhantes aos serventes humildes, que abrem valas para as fundações dos alicerces dos nossos grandes edifícios.
            Inúmeras vezes, os trabalhadores de Umbanda recebem ordens do Alto para socorrer determinados seres ou livrá-las das amarras dos maus fluidos da magia negra; doutra feita são solicitados para proteger determinados centros cardecistas, defendendo-os contra entidades agressivas, que atacam os labores mediúnicos de fenômenos físicos, tiptologia ou de operações transcendentais.

- do capítulo sobre Umbanda do livro A MISSÃO DO ESPIRITISMO

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Google analytics