quinta-feira, 15 de dezembro de 2011

“A cada um será dado segundo as suas obras”

PERGUNTA — Há alguma relação científica com as leis do Cosmo, no conceito evangélico que diz: “A cada um será dado segundo as suas obras”?
RAMATÍS — Assim como o Espírito cósmico de Deus é o regente absoluto de todas as atividades do Universo, revelando-se através de leis inteligentes e imutáveis, o homem é o microcosmo divino que evolui no comando das ações e reações das atividades educativas do mundo físico. Além da conceituação moral dos ensinamentos do Mestre Jesus, há, também, o fundamento derivado das próprias leis do Universo. Jesus não foi apenas um instrutor espiritual, sociólogo ou expositor de um “Código Moral”, mas, acima de tudo, um avançado espírito, que já tinha sintetizado num único conceito os demais conceitos de filosofia, ciência e religião, num processo incomum no cenário do vosso orbe. Sob a vestimenta das parábolas evangélicas, transparecem nos seus ensinos os princípios científicos de bem viver, como base da libertação do espírito encarnado.

PERGUNTA — Assim, o conceito de “cada um colhe o que semeia” é, então, uma lei científica, malgrado a sua expressão de ensino moral ou advertência espiritual?
RAMATÍS — Sem dúvida o conceito de Jesus de “cada um colhe o que semeia”, em equivalência com outras máximas, “a cada um segundo as suas obras”, “quem com ferro fere, com ferro será ferido” ou, ainda, “pagarás até o último ceitil”, evidencia a presença de um princípio, legislativo de “causa” e “efeito”, que decorre da própria Lei única de “ação” e “reação” do Cosmo. O conceito de que devemos “colher conforme a semeadura”

O Evangellho à Luz do Cosmo
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Google analytics