quinta-feira, 1 de setembro de 2011

Falando de eteriatria


Pergunta: Pedimos maiores elucidações sobre a atuação no complexo etereoastral pela técnica dita apometria.
 Ramatís – Devido a que a atuação no duplo etérico se sobressai em importância, em nosso singelo modo de ver podeis denominar de “eteriatria” a forma de tratamento magnético que compõe a técnica de apometria e objetiva interferir nas camadas dos éteres desse corpo mediador, duplo do corpo físico.
Associai a energia magnética de origem animal – ectoplasma – direcionada pela aplicação da força mental, conjugado-a com as energias de alta freqüência vibratória provenientes da imensidão cósmica, movimentada pelos espíritos responsáveis do lado de cá, adequadamente enfeixada e projetada através da mente do operador encarnado sobre o consulente. Tende em mente os estados naturais da matéria: a água é líquida e tem moléculas afastadas, o que permite alta maleabilidade a sua forma. Quando congelada solidifica-se, com as moléculas justapostas aumentando-lhe a densidade. Ao se evaporar gaseifica-se, pelo afastamento das moléculas umas das outras. Assim a área visada do duplo etérico, que é formado por camadas adjacentes e interpenetradas no corpo astral - perispírito - se torna mais maleável, de conformidade com a quantidade e intensidade de energia mental-magnética que lhe é projetada.

“Eteriatria”, pois, é um meio de tratamento do duplo     etérico, interferindo positivamente na sua constituição. A sua fisiologia e a interrelação com o corpo físico decorrem da interpenetração de ambos. Os fulcros energéticos desarmônicos oriundos do perispírito,  pela força centrífuga que no complexo etéreoastral vibra num movimento de rebaixamento na direção do corpo físico, repercutem no mesmo na forma de doenças, muitas vezes de metástases e desestrutura atômico - molecular.
Sabeis que o fulcro gerador das patologias nos encarnados, inclusive do câncer, se situa naquela zona limítrofe entre o corpo astral e o duplo etérico.  Porém, deveis ter como foco e área de atuação o duplo etérico. Devido a sua avançada fisiologia, cremos já vos basta na presente encarnação ter este mediador como alvo de interferência anímico-mediúnica. O Divino Mestre Jesus assim procedia; fazia eclodir poderosos e balsâmicos fluídos no mundo interior dos enfermos infelizes, recompunha tecidos, refazia órgãos, levantava paralíticos; verdadeiro médico das almas, esclarecia as mentes, instruindo-as pela força magnética de suas palavras. Mas advertimos os terrícolas: era um processo que não causava espanto aos anjos que o acompanhavam e nem desvios das leis criadoras, lidando sensatamente com as forças cósmicas da física transcendental, interferindo exclusivamente nos corpos do quaternário inferior que envolvem o homem espírito. Os incautos procuram rotular a apometria e seu conjunto de técnicas como um remédio milagroso fenomenal, indo aonde nenhum homem jamais foi na face do orbe, em sua ânsia de reconhecimento e ganhos, e em consequência estabelecendo para si mesmos, na balança da justiça universal,  um plano de voo no qual o futuro endereço não é nada alvissareiro.
A apometria como técnica de intervenção, através da criação de campos de força focalizados nos órgãos etéricos, pela aplicação da força mental e fornecimento de energia animal, o ectoplasma, é ferramenta auxiliar que o Cristo vos enviou para ajudar-vos na evolução. Obviamente, quando socorreis desencarnados sofredores que estão em faixa de sintonia com o encarnado em atendimento, também atuais em seus ferimentos astrais, recompondo membros, cicatrizando feridas... Tudo sob coordenação do lado de cá.

 Nota - Em verdade o duplo etérico é o mais qualitativo e complexo veículo de coordenação e relação dos fenômenos da vida encarnada,  estando intimamente relacionado com as funções orgânicas e aspectos ligados à saúde e às doenças.   É um veículo aprimorado, cuja dinâmica é utilíssima no atual estado de consciência do homem porque, embora no mundo da matéria, ele relaciona a criatura com seus veículos superiores...
Os espíritos costumam operar curas daqui, agindo exclusivamente no campo etérico; em seguida, o molde do órgão em que atuaram vai se modificando lentamente e, pela repercussão vibratória, modela-se também a sua contraparte física...
Como o agente energético responsável pela patogenia do câncer provém de uma energia astral corrosiva, ele se situa basicamente no duplo etérico, onde tem seu habitat favorável. 


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Google analytics