quarta-feira, 31 de agosto de 2011

Equilibrando o chacra básico

1) Aprender a relaxar e reservar algum tempo para todas as necessidades básicas, como dormir, comer, fazer sexo e rir;


2) Fazer uma coisas de cada vez sem a distração de telefones, televisão ou trabalho;


3) Criar oportunidades de caminhar em meio à natureza, principalmente descalço. Descubra uma árvore que realmente o atraia e encoste-se ou sente-se apoiado nela. Entre em contato com sua força, seus alicerces e sua altura, e imagine suas raízes firmemente plantadas na terra, enquanto seus barcos se estendem para o céu;


4) Se você sabe que é controlador, crítico ou perfeccionista, pegue leve. Aprenda a segurar a língua, a contar até dez antes de falar e a se concentrar mais na relação afetiva do que em provar que você está certo;

terça-feira, 30 de agosto de 2011

O feitiço pega?

PERGUNTA: - Por que há criaturas boníssimas, de conduta reconhecidamente evangélica, que se afirmam vítimas de enfeitiçamentos? Como se explica isso?
RAMATÍS: - Nem todo o santo de hoje foi magnânimo, virtuoso ou ordeiro no passado! Certas criaturas, que presentemente se devotam à prática do bem, ainda não podem furtar-se à lei cármica e oferecer defesas seguras contra as forças destrutivas que movimentaram em existências pretéritas. Colhem agora os frutos amargos da sementeira imprudente, enquadrados na lei de que "será dado a cada um segundo as suas obras"! Ademais, o simples fato de precisarem reencarnar-se na Terra os obriga a suportarem as contingências e as energias agressivas do plano terrestre ainda tão primário.

segunda-feira, 29 de agosto de 2011

As "subversivas" e incompreendidas Bombogiras

Falar de pombogiras (ou pomba-giras ou ainda bombogiras) é uma tarefa complexa – talvez mais complexa que falar dos exus, demonizados pela tradição católica da nossa colonização. Essa complexidade ocorre porque além de serem demonizadas tanto quanto os exus – haja vista que as pombogiras são também classificadas como “exus femininos”, não estando, portanto, isentas desse sincretismo com o diabo bíblico – mas também porque a identidade brasileira é formada e calcada não apenas em valores religiosos, existe uma ideologia (ainda que sustentada pela religião européia) que configura a nossa sociedade, e o machismo é um de seus traços marcantes. Assim, se as entidades que trabalham na Umbanda (e nos cultos afro-ameríndios de uma forma geral) já são estigmatizadas, mas quando se trata de entidades femininas, esse estigma só tende a aumentar e ganhar um caráter ainda mais marginalizado, pois além de ser um ícone de uma crença já rotulada negativamente, ainda são mulheres e como tais, sob a ótica e a tradição cristã-européia, deveriam comportar-se de forma exemplar dentro dos padrões estabelecidos há tantos séculos.

Sobre a iniciação...


Sobre   a   iniciação   tem-se   geralmente   a   idéia   de que   é   apenas   uma   cerimônia   pela   qual alguém se converte em membro de uma sociedade secreta e que, na maioria dos casos, pode ser conferida a qualquer um disposto a pagar certo preço ou soma em dinheiro.
Se   é   verdade   que   seja   assim   a   chamada   iniciação em   ordens   fraternais   e   também   na maioria das ordens pseudo-ocultistas, a opinião é completamente errônea quando aplicada às iniciações nos vários graus das verdadeiras Fraternidades Ocultas, conforme uma rápida compreensão dos verdadeiros requisitos exigidos e de sua razoabilidade, logo esclarecerão.
Em  primeiro   lugar,   o   ouro   não   serve   como   chave para o Templo. Toma-se em conta o mérito, não o dinheiro, pois o mérito não se adquire num dia: é o produto acumulado das boas ações passadas. De modo geral, o candidato à iniciação é totalmente inconsciente de que é candidato. Quase sempre vive sua vida na comunidade, servindo   ao   seu   próximo durante dias e anos, sem outro pensamento para o futuro, até que um dia aparece em sua vida o instrutor,   um   Hierofante   dos Mistérios   Menores, apropriado   ao   país   em   que   ele reside.   Até   esse momento   o   candidato   esteve cultivando   internamente certas   faculdades, acumulando certos poderes para servir e ajudar, dos quais é quase sempre inconsciente ou não sabe como usar corretamente. A tarefa do iniciador é então muito simples: mostra ao candidato as faculdades latentes, os poderes adormecidos, e inicia-o no seu uso: explica-lhe ou demonstra-lhe pela primeira vez como o candidato pode despertar essa energia estática, convertendo-a em poder dinâmico.

Artigo completo em:

http://lojatriangulodafraternidade.blogspot.com/2011/08/iniciacao.html


domingo, 28 de agosto de 2011

Omulu: um orixá incompreendido

Nos dias de hoje, mesmo com tantas informações esclarecedoras sobre os verdadeiros propósitos dos trabalhos de Umbanda, através de livros psicografados, estudos e divulgação de sites e blogs sobre a religião, ainda é possível se deparar com alguns mitos, obras do imaginário popular.
Um dos casos mais evidentes é o tratamento que se dá à força de Omulu (ou Obaluaê). Segundo a mitologia Iorubá, o seu verdadeiro nome seria Xapanã, mas em alguns terreiros é proibido até se mencionar este nome, pois ele traria a peste e a morte. Por isso, se adotaram as demais denominações: Obaluaê (que representa a fase mais jovem do Orixá) e Omulu (a mais velha).
A tradição popular ainda conta que Omulu seria filho de Nanã Buruquê e teve o seu corpo marcado por chagas, sendo rejeitado assim que nasceu. Foi criado por Iemanjá que, temendo que ele fosse discriminado pelos outros, cobriu seu corpo com palha e o escondeu em um lugar bem seguro.

quinta-feira, 25 de agosto de 2011

As velas e o seu simbolismo

Trabalho apresentado em 28/10/2004 no Centro de Estudos Maçônicos DUQUE DE CAXIAS

pelo M.:I.: Luiz Roberto Dias Nunes

Antes de tratarmos das velas é necessário que falemos sobre o fogo, um dos quatro elementos.
Triste deveria ser, em tempos remotos, a vida do homem sem o fogo. A única fonte de luz que conheciam era o Sol. Nada lhes garantia que esse benfeitor, ao desaparece todas a tardes, não os abandonasse definitivamente ao final de cada dia.
Apavorado, fugia quando uma descarga elétrica provocava algum incêndio. Sua condição de ser racional, com certeza já preparado para o conhecimento, imaginava ser uma vingança dos deuses. Raiou, porém, o dia em que descobriu um processo de, por intermédio do atrito, obter aquilo que mudaria toda a sua história e seu destino, colocando os demais seres vivos em maior desvantagem que antes. O homem era capaz de obter o fogo no momento em que desejasse, de mantê-lo aceso e de transportá-lo. Era o início do domínio das travas. Passou a ser um mágico que podia obter e controlar um elemento espetacular.
A partir do momento em que começou a usar o raciocínio e a inteligência, abstraindo-se de coisa materiais, o homem passou a ter um fascínio pelo fogo. A luz sempre representou o poder do bem para a humanidade. Em contraste, a escuridão significava ignorância, estupidez, maldade e apego ao materialismo.
Esse elemento, despertando um ar de mistério e magia, aproximava-o de algo superior que ele não compreendia. Assim, desde a antiguidade vem utilizando a chama para simbolizar a magia. Achava-se que o verdadeiro mago era aquele que sabia manipular as forças da natureza, com o objetivo de atrair harmonia, de expandir a consciência e de promover o amor universal.
Um dos mais poderosos elementos da natureza, o fogo, esteve sempre associado, entre outros atributos, à transmutação e à purificação. Nos textos da Bíblia, Deus manifestou-se a Moisés em forma de línguas de fogo, daí se usar as velas como forma de magia. Uma ou mais velas, consoante o caso e necessidade, ativam os nossos pensamentos e forças da natureza serão ativadas. Por isso a luz da vela simboliza a vida ascendente e da luz da alma.

quarta-feira, 24 de agosto de 2011

Ondas mentais


Ao pensar, a mente vibra e irradia vibrações ou ondas que se propagam pela matéria afim circundante com que ela sintoniza. Como o universo está permeado de “matéria” mental, a propagação se faz em todos os sentidos, tal como a luz de uma lâmpada, e atinge distâncias incomensuráveis (mesmo porque, no campo mental superior, não há espaço,  pois a mente é INESPACIAL, ao contrário do físico, do etérico e do astral, que ocupam espaço, e do intelectual que é limitado em fronteiras vibratórias).
Sendo a mente um “reflexo”, também capta qualquer onda mental que a atinja, se ambos vibrarem na mesma faixa sintonica. Para que isso ocorra, indispensável que o pensamento emitido tenha clareza e nitidez, ao mesmo tempo que força propulsora na fonte irradiadora.

terça-feira, 23 de agosto de 2011

Apometria é magia?




PERGUNTA: - Apometria é magia?
            RAMATÍS: - Se verificardes os compêndios disponíveis, que são considerados tratados de magia pelas escolas esotéricas e de ocultismo, podereis verificar que o pressuposto básico de todo trabalho mágico é a força mental utilizada conscientemente para determinados fins, que envolvem a manipulação de energias relacionadas com o Universo manifestado, dos planos astral, físico e etérico. As invocações dos espíritos da natureza, as formas geométricas, como pontos de apoio à concentração mental, a criação de campos de força magnéticos, os cânticos e mantras, as contagens e o estalar de dedos são milenares, e associados aos trabalhos práticos de magia. Sendo assim, afirmamos que apometria é a mais pura magia.

            Isso não denota nada de excepcional, misterioso ou fantástico. A magia sempre esteve fundamentada em princípios científicos, da física, da química e da matemática, entre outras ciências. Por ser oculto, não quer dizer que não possa ser conhecido e dominado racionalmente à luz da inteligência e capacidade mental dos cidadãos da atualidade. O desconhecido e os planos suprafísicos se regem por leis harmônicas, como tudo no Cosmo. Gradativamente, os homens vão tendo acesso a esses conhecimentos da magia, e o secreto, o misterioso, vai se tornando de senso comum.


segunda-feira, 22 de agosto de 2011

Ação dos objetos enfeitiçados


PERGUNTA: - De que modo os objetos enfeitiçados podem baixar as vibrações do ambiente onde permanece a pessoa visada por esse ato de bruxaria?
RAMATÍS: - Os objetos usados e trabalhados pelos feiticeiros desempenham a função de captadores de energias inferiores e servem de condensadores, que baixam as vibrações fluídicas do ambiente em que são colocados. Embora sendo matéria, tais objetos vibram no campo etéreo-astral, porque são também energia condensada. Sob a vontade vigorosa dos feiticeiros, que agem na intimidade eletrônica da substância, ou seja, no seu "elemental", produz-se uma excitação magnética ou superatividade, mas em sentido negativo, que depois atinge a aura da vítima a que eles estão vinculados pelo processo de bruxaria, rebaixando o campo vibratório para alimentar expressões deprimentes de vida oculta.

domingo, 21 de agosto de 2011

Atendimentos espirituais e comprometimento

VAMOS FAZER UMA REFLEXÃO?

Muitas vezes as pessoas acham que a Umbanda, mais precisamente os Guias Espirituais, estão a disposição para adivinhações, para dizer se as coisas que almejam, como marido, negócios estão para acontecer, e detalhe, muitas vezes tem que acontecer do jeito que foi planejado, saber de amores que sumiram, e por ai vai…! Claro que os Guias têm a permissão de falar algumas coisas, como: “tem tudo para dar certo, mas faça a sua parte”, “a pessoa que você almeja está próximo, mas olhe para os lados”, “estamos ajudando para que tudo aconteça, mas não vacile nos caminhos”, “orai e vigiai”, alguns trabalhos de ajuda como mandalas, magias, descarrego, desobsessão… Mas, seguramente, nunca adivinhações ou previsões, se assim fosse não precisaria mais ter pessoas desaparecidas, era só ir a um Terreiro de Umbanda. Também não precisaríamos mais de remédios e nem de médicos encarnados, estaríamos famosos pelos nossos milagres… O que existe meus irmãos é força, determinação, fé, vontade, aliados aos trabalhos espirituais que nossos queridos Guias, através de Jesus, nos oferecem, e assim podermos alcançar o merecimento de sermos curados, de recebermos os bens materiais que lutamos para obter, mas o maior de todos, o de receber os bens espirituais para crescermos e evoluirmos.

sábado, 20 de agosto de 2011

O cristão e o crístico

Pergunta: - Qual é a diferença que existe entre o conceito de "amor crístico" e "amor cristão"? Ambos não definem a mesma coisa?
 Ramatís: - "Crístico" é um termo sideral, sinônimo de Amor Universal, sem quaisquer peias religiosas, doutrinárias, sociais, convencionais ou racistas! É o Amor Divino e ilimitado de Deus, que transborda incessantemente através dos homens independente de quaisquer interesses e convicções pessoais! "Cristão", no entanto, é vocábulo consagrado na superfície do orbe e que define particularmente o homem seguidor de Jesus de Nazaré, isto é, adepto exclusivo do Cristianismo! Os cristãos são homens que seguem os preceitos e os ensinamentos de Jesus de Nazaré; mas os "crísticos" são as almas universalistas e já integradas no metabolismo do Amor Divino, que é absolutamente isento de preconceitos e convenções religiosas. Para os crísticos não existem barreiras religiosas, limites racistas ou separatividades doutrinárias, porém, flui-lhes um Amor constante e incondicional sob qualquer condição humana e diante de qualquer criatura sadia ou delinqüente! Em sua alma vibra tão-somente o desejo ardente de "servir" sem qualquer julgamento ou gratidão alheia!

sexta-feira, 19 de agosto de 2011

Elementos e condensadores energéticos

Fundanga - queima de pólvora com finalidade de dispersão de fluídos pesados
"Os elementos materiais não são indispensáveis e não devem se tornar bengala psicológica. As vibrações dos orixás respondem à invocação pela força mental. Obviamente essa resposta varia de indivíduo para indivíduo. Experiências sacerdotais de vidas passadas utilizando essas energias fazem parte do inconsciente dos médiuns magistas da atualidade. Temos de considerar que a aparelhagem fisiológica do médium, quando vibrada junto com os guias por meio da incorporação, fornece abundantes fluidos que serão movimentados para a caridade.
Por outro lado, sabemos que os elementos materiais são importantes condensadores energéticos. Na prática do terreiro, aprendemos que, em determinados atendimentos, se utilizássemos só a força mental, os trabalhos ficaram por demais prolongados e muito cansativos. Outro fato que reforça essa opinião é que somos naturalmente desconcentrados, ainda mais depois de duas a três horas de extenuantes passes e consultas, em que nos defrontamos com as mais inimagináveis mazelas humanas."

quarta-feira, 17 de agosto de 2011

A função das consultas.

Existem muitas pessoas que 'gostam' da situação de se sentirem 'vítimas', de terem um 'problema' que não tem solução, e que as obriga a 'peregrinar' de um médium a outro, de um centro a outro, de uma religião a outra, sempre com aquele 'fardo' que as 'fazem sofrer'.

Essas pessoas chegam mesmo a criar bloqueios durante a consulta espiritual, talvez de maneira inconsciente, porque sentem 'medo' de 'parar de sofrer', pois isto significa reconhecer a própria responsabilidade pelos seus atos e deixar de ser o coitadinho(a), correr o risco de perder a atenção dos amigos e parentes, o que as contraria, dado que não conseguem se imaginar sem ninguém sentindo pena delas já que elas sentem pena de si mesmas: AUTO-COMISERAÇÃO*.

terça-feira, 16 de agosto de 2011

Como Servimos de "Repastos Vivos" aos Espíritos das Trevas

PERGUNTA: - Podeis nos explicar de que modo os espíritos das trevas conseguem satisfazer os seus desejos viciosos ou renovar suas sensações carnais obsidiando os encarnados?
            RAMATÍS: - Os espíritos malfeitores, desencarnados, devido a lhes faltar o corpo físico, vivem sempre acicatados pelos desejos inferiores da matéria, os quais não podem ser saciados no mundo astral. Então procuram saciar-se de seus vícios e desregramentos buscando apoderar-se de criaturas desprotegidas, a fim de transformarem-nas em verdadeiras "pontes vivas" e assim conseguirem o meio de se fartar nos seus desejos mórbidos e desregrados. Através de processos e ciladas diabólicas, eles esgotam a vitalidade das infelizes criaturas que imprudentemente lhes caem sob o jugo satânico.
            São almas tenazes em seus objetivos torpes, que se debruçam incessantemente sobre o mundo da carne à procura de vítimas passivas e desleixadas, nas quais se apóiam para realizar os seus intentos malfazejos e usufruírem a volúpia das paixões pervertidas. A energia do mundo astral é vigoroso multiplicador da freqüência vibratória do perispírito liberto da carne; por isso, enquanto as almas elevadas centuplicam suas emoções dignas e mais se elevam aos planos angélicos, os espíritos inferiores sentem os seus desejos torpes ainda mais superexcitados pois, devido à lei vibratória de que os "semelhantes atraem os semelhantes", suas paixões também recrudescem em contato com as energias sensuais detestáveis.

segunda-feira, 15 de agosto de 2011

Ritual é um processo disciplinador da própria vida?


PERGUNTA: - Como entenderíamos que o ritual, em qualquer, circunstância, é um processo disciplinador da própria vida?
RAMATÍS: - O ritual, em si, é uma operação que disciplina a sucessão de fases, atos e operações destinadas a promover o desenvolvimento gradativo e lógico dos acontecimentos da Natureza, em comunhão com a atividade do espírito encarnado. Não se trata de um acontecimento excêntrico e supersticioso, mas é um processo científico e técnico, presente em todos os acontecimentos do mundo profano, embora seja mais específico da esfera religiosa, iniciática, maçônica e esotérica. O ritual nada tem de crendice ou mistério, mas é ordem, graduação técnica e coerência desdobrativa, regendo e consagrando o ritmo, a sucessão e a manifestação das coisas.

domingo, 14 de agosto de 2011

Acerca do Pai espiritual na Umbanda que praticamos

     Eu gostaria de primeiramente definir a palavra "espiritualidade" no sentido que almejamos dar para este artigo. Quando falamos de espiritualidade falamos de certas expressões de nossa vida espiritual, tal como a oração, meditação e, no caso da Umbanda que praticamos, na busca da educação da mediunidade e de se conhecer e perceber os espíritos que vão nos guiar. Importante reforçar que a espiritualidade consiste na realização da ação espiritual em nós. Ou seja,  espiritualidade não é o que designamos habitualmente por esta palavra, mas antes a manifestação interna de um processo que nos leva a espiritualização, a uma vivência mais fraterna e amorosa.
     E isto nos coloca imediatamente em uma posição muito nítida em relação à paternidade espiritual, pois se trata de auxiliar na formação de um médium – filho de fé - seguindo certos princípios morais e éticos para educar e desenvolver sua mediunidade para manifestar os espíritos segundo alguns  padrões rituais. Há de ficar claro que a manifestação mediúnica é tarefa do médium e é independente do Pai espiritual.

sábado, 13 de agosto de 2011

Temos hora certa para morrer? Você acredita em determinismo?

Muitas vezes nos referimos a morte de uma pessoa como "tendo chegado a hora", ou ainda "ninguém morre antes da hora".
Daí a pergunta que muitos fazem: temos pré-determinada a hora de nossa morte? Ninguém morre antes da hora determinada?
Dentro da visão espírita, temos que analisar dois aspectos importantes quando do nascimento (reencarnação) de um ser humano.
O primeiro aspecto é o potencial genético do corpo formado, resultante da fusão de óvulo e espermatozóide, que determinam a formação de um corpo com determinados potenciais e determinadas limitações.
O segundo aspecto é o potencial energético do perispírito, pois este último promove a ligação do espírito com o corpo físico, arrastando para esse corpo energias positivas e/ou negativas, de acordo com as suas características evolutivas específicas. Essas energias provocam alterações nos potenciais genéticos e de funcionamento do corpo físico.

sexta-feira, 12 de agosto de 2011

Poema de Exu, por Jorge Amado



Não sou preto;
branco ou vermelho;
Tenho as cores e formas que quiser;
Não sou diabo nem santo, sou Exú;
Mando e desmando;
Traço e risco;
Faço e desfaço;
Estou e não vou, Tiro e não dou;
Sou Exu;
Passo e cruzo;
Traço, misturo e arrasto o pé;
Sou rebuliço e alegria;
Rodo, tiro e boto;
Jogo e faço fé;
Sou nuvem, vento e poeira;
Quando quero, homem e mulher;
Sou das praias, e da maré;
Ocupo todos os cantos;
Sou menino, avô, maluco até;
Posso ser João, Maria ou José;
Sou o ponto do cruzamento;
Durmo, acordo e ronco falando;
Corro, grito e pulo;
Faço filho assobiando;
Sou argamassa;
De sonho carne e areia;
Sou a gente sem bandeira;
O espeto, meu bastão;
O assento? O Vento;
Sou do mundo, nem do campo;
nem da cidade; Não tenho idade;
Recebo e respondo pelas pontas;
Pelos chifres da nação;
Sou Exu;
Sou agito, vida, ação;
Sou os cornos da lua nova;
A barriga da rua cheia;
Quer mais? Não dou;
Não estou mais aqui!

quinta-feira, 11 de agosto de 2011

Os abusos de fiéis nas religiões

Pergunta: O abuso dos fiéis é baseado num sistema religioso em que o “sagrado” é intocável, infalível. Como conciliar isso com o fato de que os líderes religiosos são humanos e falíveis?
Ramatís – A “infalibilidade” das doutrinas religiosas da Terra tem levado ao longo da história a centenas de milhares de assassinatos fratricidas. Inquestionavelmente, o maior derramamento de sangue, as culpas e medos acumulados no inconsciente coletivo do orbe se vinculam às guerras santas e disputas religiosas. Todo sistema religioso deveria levar os cidadãos a uma ligação com o sagrado reforçada na convivência fraternal, amorosa e altruística com as outras crenças. Assim como o corredor manco não se mostra capenga enquanto a maratona não se inicia, assim as índoles duvidosas dos líderes religiosos são negadas e ocultadas para que suas autoridades não sejam questionadas.   

quarta-feira, 10 de agosto de 2011

Sinopse: O Triunfo do Mestre

Sinopse: É característica de Ramatís, mentor sideral que impulsiona a evolução do planeta Terra, esclarecer o que ninguém ensinou e dizer o que ninguém disse. Suas obras propõem um novo patamar evolutivo, e colocam luz nos recantos “desagradáveis” da experiência humana, mostrando o avesso e o lado oculto do óbvio. Este novo texto disseca corajosamente uma prática que ainda resta como herança dos velhos cultos da primeira infância da humanidade: os sacrifícios animais em ritos de religiosidade e trocas interesseiras com o mundo oculto.
        Com a precisão que lhe é peculiar, Ramatís mostra o que realmente está por trás dos bastidores desse universo sanguinolento – uma rede de dominação e usufruto de energias vitais que mantém a inferioridade planetária em alta, patrocinando obsessões, violência e desregramentos diversos.

Direito dos animais


Assista este vídeo até o fim.
Pense a repeito!? 



Rituais usados nos processos de enfeitiçamentos

PERGUNTA: - Em face de nossa formação espiritista, sempre julgamos que o ritualismo é coisa extravagante e supersticiosa. Que dizeis, quanto ao ritual usado no processo de enfeitiçamento?
RAMATÍS: - No Universo tudo se move, vibra e circula através do Éter transmissor da vitalidade cósmica. Conforme seja a variação da escala e do modo das vibrações, também se manifestam os diferentes estados da matéria. O espírito do homem atua num campo de forças em perpétua ação vibratória, as quais se movem em todos os sentidos e também obedecem à vontade potencializada dos que conheçam as leis de sua regência e atividade no Cosmo. Os magos antigos produziam fenômenos excêntricos, incomuns e atemorizantes, porque além de conhecerem profundamente o campo de forças manifestas pelo microcosmo e macrocosmo, eles eram senhores de uma vontade poderosa a serviço da Mente adestrada no comando do mundo oculto!

terça-feira, 9 de agosto de 2011

Por que os médicos hoje acreditam que a fé cura?

Deparamos com esta questão na revista "Seleções", edição de agosto de 2001, página 43, e nos apressamos em conhecer o conteúdo da matéria, elaborada por Lydia Strchl. E confirmamos o que já havíamos lido em outras fontes: Hoje, os médicos, apoiados em pesquisas que vêm sendo feitas em vários hospitais do mundo estão descobrindo que a fé realmente cura, ou pelo menos ajuda em muito os tratamentos médicos. Estamos certos de que uma olhadela nessa matéria ajudará muita gente que ainda vê a oração como simples ato místico, sem fundamento científico. Ei-la:
Um grupo de alunos de medicina vestidos de branco cerca um leito no Hospital Universitário de Georgetown. O paciente deitado na cama, Tom Long, fora esfaqueado no coração, estomago e, baço durante uma briga doméstica. Depois de sete cirurgias, foi liberado do hospital, com uma grande ferida no abdômen coberta por um enxerto cutâneo. Decorrido um ano, a lesão ainda não tinha cicatrizado. Assim, em dezembro de 1999, ele voltou ao hospital para se submeter à operação que por fim lhe fechou o abdômen.

segunda-feira, 8 de agosto de 2011

A missão das plantas


Ao entender que a maioria das doenças conhecidas da humanidade são derivadas dos pensamentos e emoções em desequilíbrio, começamos a ter uma maior noção de conjunto com relação à missão das plantas para a humanidade.
Começamos, também, a ter mais claro em nossas mentes que, se aprendermos a manter a harmonia de nossa personalidade inferior, também aprendemos a nos curar, tornamo-nos responsáveis por nossa cura, assim como sempre somos responsáveis por nossa dor e doença.
Seguindo nessa linha de raciocínio, pegamos carona em uma das leis principais do universo: a Lei da Evolução Constante. Esse é um modelo mostrado pelo universo a todos nós: a vida segue seus ciclos naturais em evolução constante. Assim sendo, não podemos nos separar desse contexto, portanto, nossa missão aqui na Terra também é evoluir.

domingo, 7 de agosto de 2011

Quem nos garante que o médico e o Preto-velho não são um só?

Um livro, Ramatís - Ainda estou lendo um livro de Ramatis e para variar, ele é muito interessante nas suas análises.Infelizmente, existe uma corrente anti-Ramatis, que nasceu não sei onde e tampouco por quê, que deixa de ler as suas obras e perde uma grande oportunidade de aprendizado.O livro Jardim dos Orixás, é um obra que, como sempre, é polêmica por falar de um assunto que a muitos "espíritas" chega ser repulsivo: A Umbanda e seus Orixás.Eu, como já ouvi de um pseudo-espírita que a Umbanda não é espiritismo e sim espiritualismo, este livro vai mais além, o contradiz e eleva um trabalho realizado na Umbanda, que em muitas casas espíritas já não mais se realiza, devido ao seu grau de "periculosidade": a desobsessão. Eu mesmo já conheci belos palestrantes que fogem desse trabalho com medo dos ataques das sombras. São os alunos que estudam e fogem das provas!

Os Orixás à Luz da Umbanda Espírita Cristã

Congá do Cruzeiro da Luz

Fonte: Boletim Eletrônico Doutrinário do T. E. do Cruzeiro da Luz

Ano 2011 – 148
http://www.cruzeirodaluz.net/

O Templo Espiritualista do Cruzeiro da Luz, através da Umbanda Espírita Cristã, vivência religiosa dentro do movimento umbandista, tem a meta de buscar na sua doutrina a essência religiosa, ou seja, a sua instrumentalização capaz de religar o ser humano com a sua essência infinita, que é Deus.  Todo o culto, rituais, estudos visam sempre conscientizar as pessoas que o procuram, da realidade final de suas existências, ou seja, a realização não ilusória, mas permanente, da paz e alegria só encontrada na união com Deus, através do caminho, verdade e vida que é Jesus Cristo. Não existe, por parte do Cruzeiro da Luz preocupação ou intensão de impor sua visão crística, holistica, evangélica e doutrinária, mas apenas a de expor a sua visão, dentro deste grande Movimento Umbandista, a todos aqueles que buscam e se abrem ao conhecimento esclarecedor, esperando servir, os seus ensinamentos, para conduzir os irmãos ao encontro do verdaeiro Guia e Mentor, que é Jesus.

sábado, 6 de agosto de 2011

Ramatís - "O Triunfo do Mestre" - lançamento livro



 * * *


"O servidor do Pai, inspirado pelo Evangelho, tanto admira a urtiga que fere quanto a violeta que perfuma; tanto tolera a serpente rastejante, que atende ao sagrado direito de viver, quanto admira a andorinha que corta os espaços. Sabe que Deus não cometeu distrações na contextura dos mundos; que não criou "coisas ruins ou impuras" e que não cabe ao homem o direito de criticar supostos equívocos do Pai! O bálsamo, que alivia a dor, tem o seu correspondente no ácido, que cauteriza a gangrena. Eis porque não podemos nos cingir a um sistema único de comunicações mediúnicas, de modo a vos entregarmos mensagens confeccionadas especialmente para o cabide do vosso comodismo mental. Não deveis criar a separação, exigindo preferência exclusiva para o que vos é simpático, pois, não existindo coisa alguma absolutamente impura, à medida que realmente evoluirdes descobrireis os valores que se acham ocultos nas coisas consideradas inúteis ou daninhas."

Ramatís - em Mensagens do Astral

sexta-feira, 5 de agosto de 2011

Mês dedicado a Obaluayê - Omulu


O mês de agosto é muito importante tanto para católicos, quanto para os afro-umbandistas. É o mês dedicado a São Lázaro e São Roque ou Obaluaê e Omolu no sincretismo religioso. A Gruta de São Lázaro em Salvador é um símbolo para as religiões de matriz africana e foi descoberta ainda no período da escravidão, e é usada desde então, pela população crente, para curar doenças. Lá os fiéis se lavam e através da fé, curam suas enfermidades.
Os orixás são reverenciados durante todo o ano, porém a ultima segunda-feira, 16 de agosto, foi ainda mais especial. Pois esta data é dedicada aos santos católicos, e também aos orixás.

A pipoca de Obaluaê



O mês de agosto na Umbanda é dedicado a Obaluaê, os terreiros enchem de pipoca e saudão este grande Orixá da Cura, saiba um pouco sobre esta divindade: 
Obaluaê é uma flexão dos termos: Oba (rei) – Oluwô (senhor) – Ayiê (terra), ou seja, “Rei, senhor da Terra”. Omulu também é uma flexão dos termos: Omo (filho) – Oluwô (senhor), que quer dizer “ Filho e Senhor”. Obaluaê, o mais moço, é o guerreiro, caçador, lutador. Omulu o mais velho, é o sábio, o feiticeiro, guardião. Porém, ambos têm a mesma regência  e influência. No cotidiano significam a mesma coisa, têm a mesma ligação e são considerados  a mesa força da natureza.

quinta-feira, 4 de agosto de 2011

Que tipo de umbandista você é?


Infelizmente uma verdade

Jamais devemos esquecer de que o que é falado para amigos, conhecidos, familiares ou até a assistência de um terreiro, também por nós deve ser praticado. De nada serve falar em pureza, na luz, e no branco se queremos viver sujos, no escuro e enredados...
"Entre todos os terreiros espalhados por este país e pelo mundo, podemos encontrar casas cheias de “médiuns”, todos, ou quase todos, presentes no dia de sessão, afim de cumprir, por mais uma vez sua missão.

quarta-feira, 3 de agosto de 2011

Diferenças na prática do enfeitiçamento

PERGUNTA: - Há alguma diferença na prática do enfeitiçamento atual, comparada às mesmas atividades tenebrosas de antigamente?
RAMATÍS: - Não há propriamente diferença, mas ensejos novos! A faculdade mediúnica está-se generalizando entre os homens, o que permite interferência mais positiva dos desencarnados sobre o mundo material. Pouco a pouco enfraquece-se a fronteira entre o oculto e o visível aos sentidos físicos; o Além revela-se cada vez mais nítido na tela do mundo terreno. Isso favorece a penetração incessante dos desencarnados malévolos, na vida dos encarnados, não tardando a Crosta terráquea a transformar-se num subúrbio das metrópoles edificadas nas regiões do reino astral inferior!

terça-feira, 2 de agosto de 2011

A Umbanda possui um livro de codificação?


" O que nós queremos para a Umbanda? "
" Queremos que a Umbanda cresça e seja respeitada como uma instituição religiosa ou queremos ainda a cultura de fundo de quintal: lá dentro funciona um terreiro, mas eu não sei o que é... "


Nós praticamos e sugerimos uma Umbanda com o Cristo-Jesus, ética, que preserva a natureza, incentiva a vida, respeita as diferenças, não objetiva quaisquer ganhos pessoais com a mediunidade e fomenta o respeito, a concórdia, o amor e a fraternidade em favor da coletividade.

Eteriatria - reorganização celular


- toda terça-feira trabalho especializado na vibração de Obaluayê / Omulu com 3 níveis de ectoplasmia e magnetismo ( eteriatria ) no duplo etéreo - triagem e marcação no dia - portão de entrada abre 18h e fecha pontualmente 19h.

A conscientização do indivíduo sobre a causa da doença ajuda a acelerar o processo da cura, de forma mais consciente. O microcosmo dentro deste laboratório corpóreo (corpo físico) tem condição de se organizar com a ajuda do mundo energético ou espiritual. Este tratamento independe da fé, religião, crença ou filosofia de vida. Durante o tratamento, é importante que o indivíduo, esteja aberto para as mudanças necessárias, é o investimento em si mesmo. O homem é um grande laboratório plasmador, receptor, emanador das energias. As doenças são plasmadas inconscientemente, através do corpo emocional que é, dos corpos, o mais difícil de ser equilibrado. A cobrança em todos os sentidos tem sido o veículo das somatizações gravadas pelas suas glândulas, dependendo de como o indivíduo recebe cada emoção. Consideramos o corpo físico como um aparelho que comporta uma carga xis de energia (pensamentos e sentimentos), quando esta carga é exagerada, a hipófise (glândula pituitária) transfere o excesso desta carga para os órgãos na tentativa de ajudar o corpo físico, a não ter choque fulminante, a glândula divide esta carga para os órgãos. Muitas vezes não suportam o excesso, eles se danificam gerando aparecimento de outras doenças. Após a palestra de conscientização, a aplicação do magnetismo - eteriatria -  auxilia as células do corpo etéreo-físico a se refazerem. Durante os atendimentos, há a utilização de aparelhos energéticos plasmados no mundo espiritual.  Não há cortes no corpo físico em nenhum de nossos atendimentos.

Jesus Nazareno - Huberto Rohden


Poucos personagens históricos exerceram sobre a humanidade uma influência comparável à de Jesus de Nazaré. Sua ação nas áreas religiosa, filosófica, política e social produziu as mais profundas alterações na cultura da maioria dos povos. Jesus Nazareno — como os Evangelhos o descrevem e como minha alma o contempla (1936), parcialmente reescrito e sem a linguagem teológica das edições anteriores, relata, com profunda emoção e visão histórica, a vida e a obra de Jesus, desde o seu nascimento até a sua paixão, morte e ressurreição. Rohden, como outros biógrafos inspirados, proclama Jesus como supremo modelo de vivência humana e espiritual. Jesus Nazareno é um dos livros mais lidos de Rohden. A leitura e o estudo desta obra são uma lição espiritual de Vida.

Martin Claret Editora



segunda-feira, 1 de agosto de 2011

Requisito básico da magia


PERGUNTA: - Apometria é magia?
RAMATÍS: - Se verificardes os compêndios disponíveis, que são considerados tratados de magia pelas escolas esotéricas e de ocultismo, podereis verificar que o pressuposto básico de todo trabalho mágico é a força mental utilizada conscientemente para determinados fins, que envolvem a manipulação de energias relacionadas com o Universo manifestado, dos planos astral, físico e etérico. As invocações dos espíritos da natureza, as formas geométricas, como pontos de apoio à concentração mental, a criação de campos de força magnéticos, os cânticos e mantras, as contagens e o estalar de dedos são milenares, e associados aos trabalhos práticos de magia. Sendo assim, afirmamos que apometria é a mais pura magia.
            Isso não denota nada de excepcional, misterioso ou fantástico. A magia sempre esteve fundamentada em princípios científicos, da física, da química e da matemática, entre outras ciências. Por ser oculto, não quer dizer que não possa ser conhecido e dominado racionalmente à luz da inteligência e capacidade mental dos cidadãos da atualidade. O desconhecido e os planos suprafísicos se regem por leis harmônicas, como tudo no Cosmo. Gradativamente, os homens vão tendo acesso a esses conhecimentos da magia, e o secreto, o misterioso, vai se tornando de senso comum.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Google analytics