CURSO UMBANDA PÉ NO CHÃO COM NORBERTO PEIXOTO.

CURSO UMBANDA PÉ NO CHÃO COM NORBERTO PEIXOTO.

- PRESENCIAL E GRATUITO.

O curso objetiva transmitir aos participantes uma consciência espiritual, dentro da tradição de oralidade da Umbanda de raiz; presencial, de boca a orelha. A palavra verbalizada é fundamento, conduz axé e um fluxo de consciência do espiritual para o material, do orientador para os “alunos”.

INÍCIO: dia 18 de março de 2020, encontros semanais, toda quarta-feira, com DURAÇÃO de 8 a 10 semanas.

HORÁRIO: das 20 h e 00 min às 21 h e 30 min (o portão de entrada abre às 19 h e 30 min).

LOCAL: Grupo de Umbanda Triângulo da Fraternidade

Rua Barão de Tramandaí, nº 23 – Passo d’Areia

Porto Alegre – RS

INSCRIÇÕES: somente 30 vagas e as inscrições serão presenciais em dia de Gira, na secretaria do Grupo de Umbanda Triângulo da Fraternidade, às sextas-feiras à noite, a partir do dia 28/02/20. Não faremos inscrições por email ou WhatsApp. É pré-requisito comparecer, se fazer presente para se inscrever. As aulas não serão gravadas nem transmitidas ao vivo.

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO:

As aulas serão dinâmicas – o primeiro tempo de sustentação oral pelo facilitador e o segundo interativo com perguntas e respostas. Não utilizaremos recursos audiovisuais e não concederemos certificado. Os conteúdos estão no livro UMBANDA PÉ NO CHÃO. Recomendamos a leitura do livro para melhor aprendizado de cada aula, conforme o programa a seguir:

Origem e história da Umbanda: advento do Caboclo das Sete Encruzilhadas

Estrutura astral do movimento umbandista

O que são Orixás, Guias e Falangeiros

Formas de apresentação dos espíritos

As linhas de trabalho

As firmezas e tronqueiras

O cruzeiro das almas

A Curimba, os cantos e os toques – a música sacra de terreiro

Os preceitos

As consagrações

A convergência universalista da Umbanda

As influências e diferenças dos cultos africanos, da pajelança indígena,

do catolicismo e do espiritismo

O axé através da mediunidade;

Estrutura energética do homem, Carma e regência dos Orixás

Finalidade dos amacis e banhos de ervas

A importância do ritual, o espaço sagrado nos terreiros e sua diversidade de culto

O transe nos terreiros

A incorporação consciente

As diferenças ritualísticas e a formação da consciência umbandista

A união nas desigualdades; Religião, filosofia, ciência e arte

A magia na Umbanda; as dimensões física, etérica, astral e a movimentação

mediúnica de energias entre elas;

O fundamento dos elementos e dos condensadores energéticos: ar, terra, fogo e água, álcool, ervas, a fumaça, o som; as guias; os pontos riscados; a pólvora; as oferendas; a água;

Os fundamentos do congá (atrator, condensador, dispersor, expansor,

transformador e alimentador)

A sessão de caridade;

O preparo

O desenvolvimento mediúnico

O que se aprende nas sessões de desenvolvimento?

Os passes e aconselhamentos espirituais

Por que os Orixás não incorporam?

A desobsessão na umbanda

O que sãos Orixás?

Os sítios vibracionais dos Orixás

Alguns tipos psicológicos associados aos Orixás; Oxalá, Yemanjá, Xangô, Ogum, Iansã, Oxum, Oxossi, Nanã Buruquê, Omulu.


terça-feira, 15 de março de 2011

Ogum


Se quisermos alguma transformação em nossa vida seja ela externa, no campo material, ou interno no campo moral e espiritual temos que ter vontade, fé e força para a luta inicial. É a vibração de Ogum se encarregará de nos deixar mais fortes, colocando em nossos caminhos obstáculos para que possamos superá-los e nos tornar cada vez melhores.
Orixá Ogum possui os atributos: vontade de lutar, de avançar e de progredir, independentemente da situação que estamos vivendo. É o primeiro passo para a ação em qualquer demanda ou projeto.
A vibração de Ogum é daquele que avança sem medo do desconhecido. É, também, daquele que abre os caminhos para que os demais possam trilhá-los, sem preocupações ou receios.
Quando estamos desequilibrados, com falta de Ogum temos vontade fraca, desânimo, apatia. Dificuldade de demarcar o nosso limite, deixando que todos decidam por nós. Temos dificuldades de dizer “não”, de nos impor. Somos ciumentos, medrosos e teimosos. Alimentamos cada vez mais o egoísmo e não sabemos perdoar.
Quando estamos no excesso desta vibração somos déspotas e determinados em demasia, usando de todos os meios para obter aquilo que quero.
Quando vibramos harmoniosamente em Ogum transmitimos sinceridade e franqueza. Temos uma personalidade de liderança, somos corajosos e decididos. Não nos amedrontamos com as mudanças. Somos dóceis, amáveis e generosos.
Como não conseguimos estar vibrando o tempo todo no aspecto positivo e, também, não estamos vibrando unicamente no negativo, podemos dizer que os tipos psicológicos dos filhos de OGUM podem ser irascíveis, excessivamente diretos em suas opiniões, francos em demasia e até impulsivos. São tenazes e agem com muita vontade e energia para alcançarem seus objetivos e não descansam enquanto não atingirem a vitória, onde muitos já teriam desistido da luta e perdido as esperanças. Por serem demasiados francos, às vezes são arrogantes e auto-suficientes, melindrando pessoas de estima baixa com certa facilidade. No entanto, pela franqueza e transparência em suas intenções, acaba angariando muitos amigos e admiradores, o que poderá deixá-lo um tanto vaidoso. Raramente são odiados.
Ogum é o general da Umbanda, grande Orixá da Lei e da Ordem, e, amparado pela Lei nada o detém, pois sua determinação é como ferro. É a força mantenedora da ordem, da justiça, da vida. Senhor dos caminhos e das demandas.
Ogum é o ferro e o fogo. Se necessário for utilizará sua energia destrutiva, eliminando, transformando. É o Fogo Purificador. É o sangue nas veias, o calor, a iniciativa, a força de vontade, a manutenção da vida.
Seu ponto de força está na rua, na estrada e caminhos, estradas de ferro e, principalmente, nas encruzilhadas. É Ogum quem decide quem passa e quem não passa; quem vai para o norte ou quem vai para o leste e assim por diante. Assim podemos associar Ogum à solução dos problemas, nossa evolução, nossas demandas, nossas necessidades espirituais e de liderança. Ogum está no começo, no meio e no fim.
Ogum é quem está em ronda, vigiando nossas ações, palavras e pensamentos.
Sincretizado com o santo católico São Jorge, seu dia é 23 de abril, representa a luta permanente com as nossas imperfeições (dragão). São as nossas emoções, atitudes e pensamentos inferiores que precisamos controlar, burilar e transformar.  Atua no plexo solar.
Seu símbolo é a espada, instrumento de corte utilizado para abrir as trilhas. Cortamos e eliminamos aquilo que não queremos. Sua flor o cravo vermelho.
Ogum está em todos os reinos originando vários entrecruzamentos, tais como:
Ogum Beira Mar: atua sob a energia da areia do mar- Reino de Yemanjá e Omulu.
Ogum Sete Ondas: atua sob a energia das ondas- Reino de Yemanjá e Oxalá. Trabalha na ronda da Calunga Grande (mar e oceano).
Ogum Rompe-Matas: atua sob a energia das matas – Reino de Oxossi.
Ogum das Pedreiras: atua sob a energia das pedreiras – Reino de Xangô.
Ogum Megê: atua sob a energia da Calunga pequena (cemitério) na calçada que o cerca e diretamente com as almas – Reino de Omulu.
Ogum Naruê: atua sob a energia da Calunga pequena (cemitério) trabalhando basicamente no desmanche de magias negras, exercendo domínio sobre as almas quimbandeiras – Reino de Omulu.
Ogum Matinata: atua sob a energia dos campos abertos e colinas – Reino de Oxalá. Não há muitos médiuns que conseguem tê-lo como Orixá de trabalho, pois são bastante raros e difíceis de incorporar.
Ogum Iara: atua sob a energia dos rios, lagos e cachoeiras – Reino de Oxum.
Ogum Delê: traz consigo a vibração pura de Ogum e trabalha em todos os pontos de força. É a própria lei regendo reajustes cármicos.  

Fonte: Umbanda Pé no Chão
            Apostila dos Estudos Sistematizados - CCP

Assista o vídeo: 


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Google analytics