CURSO UMBANDA PÉ NO CHÃO COM NORBERTO PEIXOTO.

O CURSO FOI PROVISORIAMENTE SUSPENSO PELO RECESSO CORONAVÍRUS. REMARCAREMOS FUTURAMENTE E TODOS OS INSCRITOS TEM SUA VAGA GARANTIDA.


CURSO UMBANDA PÉ NO CHÃO COM NORBERTO PEIXOTO.

- PRESENCIAL E GRATUITO.

O curso objetiva transmitir aos participantes uma consciência espiritual, dentro da tradição de oralidade da Umbanda de raiz; presencial, de boca a orelha. A palavra verbalizada é fundamento, conduz axé e um fluxo de consciência do espiritual para o material, do orientador para os “alunos”.

INÍCIO: dia 18 de março de 2020, encontros semanais, toda quarta-feira, com DURAÇÃO de 8 a 10 semanas.

HORÁRIO: das 20 h e 00 min às 21 h e 30 min (o portão de entrada abre às 19 h e 30 min).

LOCAL: Grupo de Umbanda Triângulo da Fraternidade

Rua Barão de Tramandaí, nº 23 – Passo d’Areia

Porto Alegre – RS

INSCRIÇÕES: somente 30 vagas e as inscrições serão presenciais em dia de Gira, na secretaria do Grupo de Umbanda Triângulo da Fraternidade, às sextas-feiras à noite, a partir do dia 28/02/20. Não faremos inscrições por email ou WhatsApp. É pré-requisito comparecer, se fazer presente para se inscrever. As aulas não serão gravadas nem transmitidas ao vivo.

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO:

As aulas serão dinâmicas – o primeiro tempo de sustentação oral pelo facilitador e o segundo interativo com perguntas e respostas. Não utilizaremos recursos audiovisuais e não concederemos certificado. Os conteúdos estão no livro UMBANDA PÉ NO CHÃO. Recomendamos a leitura do livro para melhor aprendizado de cada aula, conforme o programa a seguir:

Origem e história da Umbanda: advento do Caboclo das Sete Encruzilhadas

Estrutura astral do movimento umbandista

O que são Orixás, Guias e Falangeiros

Formas de apresentação dos espíritos

As linhas de trabalho

As firmezas e tronqueiras

O cruzeiro das almas

A Curimba, os cantos e os toques – a música sacra de terreiro

Os preceitos

As consagrações

A convergência universalista da Umbanda

As influências e diferenças dos cultos africanos, da pajelança indígena,

do catolicismo e do espiritismo

O axé através da mediunidade;

Estrutura energética do homem, Carma e regência dos Orixás

Finalidade dos amacis e banhos de ervas

A importância do ritual, o espaço sagrado nos terreiros e sua diversidade de culto

O transe nos terreiros

A incorporação consciente

As diferenças ritualísticas e a formação da consciência umbandista

A união nas desigualdades; Religião, filosofia, ciência e arte

A magia na Umbanda; as dimensões física, etérica, astral e a movimentação

mediúnica de energias entre elas;

O fundamento dos elementos e dos condensadores energéticos: ar, terra, fogo e água, álcool, ervas, a fumaça, o som; as guias; os pontos riscados; a pólvora; as oferendas; a água;

Os fundamentos do congá (atrator, condensador, dispersor, expansor,

transformador e alimentador)

A sessão de caridade;

O preparo

O desenvolvimento mediúnico

O que se aprende nas sessões de desenvolvimento?

Os passes e aconselhamentos espirituais

Por que os Orixás não incorporam?

A desobsessão na umbanda

O que sãos Orixás?

Os sítios vibracionais dos Orixás

Alguns tipos psicológicos associados aos Orixás; Oxalá, Yemanjá, Xangô, Ogum, Iansã, Oxum, Oxossi, Nanã Buruquê, Omulu.


domingo, 27 de fevereiro de 2011

Os Orixás e as Sete Linhas de Umbanda

Assista o vídeo 8 do estudo sistematizado:



            Gostaríamos de deixar uma orientação para quem está começando a estudar a Umbanda, ou qualquer tema espiritista ou espiritualista, que é sempre tentar buscar a interpretação ou a opinião de diversos autores sobre um determinado tema. O importante para o estudante é sempre tentar buscar a universalidade e o sentido prático do que se está estudando. Conforme se vai assimilando as diversas sínteses dos autores e seus contextos, que provêm de suas práticas e vivências, pode também o estudante com seu universo elaborar suas próprias conclusões e sínteses.

            A partir desse vídeo começamos a trabalhar um dos assuntos mais importantes e complexos da Umbanda: os Orixás. Não temos nenhuma pretensão ou intensão de sermos definitivos e nem os donos da verdade, sobre esse e outros assuntos de cunho espiritual, queremos apenas democratizar as nossas próprias sínteses sobre os temas, sempre baseados em nossos estudos pessoais e práticas coletivas nas sessões. A umbanda se faz com os pés no chão e o coração no Cristo, é essa a fonte de nossa força, inspiração e motivação.

            O tema Orixás é muito complexo, pois faz parte do contexto histórico/cultural de várias religiões onde cada uma tem suas interpretações, ritos de louvação, fundamentos e oferendas. Na ótica da Umbanda que praticamos na Choupana do Caboclo Pery concebemos os Orixás como sendo “Princípios da Divindade”, “Manifestação dos aspectos da Divindade” ou ainda “As características que compõem o universo Divino” Consideramos que Deus só existe um, os Orixás seriam alguma parte de Sua manifestação nos diversos planos e subplanos, com seus respectivos níveis e subníveis de existência cósmica. Para melhor ilustrar podemos tomar por exemplo dois dos Orixás mais conhecidos e relacioná-los a sua função cósmica:

1.      Xangô: como sendo o “Aspecto Divino” do equilíbrio universal - a Justiça Divina;
2.      Ogum: como sendo o “Aspecto Divino” da luta pela evolução de todos os seres e almas – Guerreiro Divino.

Os Orixás como energias emanadas do criador possuem um conjunto de características que vão entrando em ressonância com os espíritos de encarnados, conforme vão adquirindo consciência de seus potenciais e natureza espiritual. Esse envolvimento magnético é a energia que vai agrupar os espíritos por afinidades, habilidades e até mesmo pela personalidade, formando as denominadas falanges. Esses agrupamentos de entidades são muito harmônicas e organizados, pois todos os seus membros possuem ideais e objetivos comuns de trabalho espiritual, que é de sempre estarem atentos para auxiliar aqueles de menor compreensão de suas realidades sagradas internas, bem como, direcioná-los para o despertar de seus potenciais.

Na nossa visão de Orixás temos nove “Aspectos Divinos” considerados como básicos, ou seja, seriam as características mais primordiais de Deus. A partir das nove vibrações básicas ocorrem entrecruzamentos vibratórios entre duas ou mais realidades, que formarão um aspecto tão diferente que acaba sendo um novo conjunto de características dando origem aos outros Orixás conhecidos.

Os nove Orixás básicos são:

1.      Oxalá
2.      Iemanjá
3.      Oxum
4.      Iansã
5.      Xangô
6.      Ogum
7.      Oxoce
8.      Omulu
9.      Nanã Buruku

As linhas de trabalho das entidades na umbanda são sete, compostas por espíritos já completamente ligados vibracionalmente às energias dos Orixás (entidades alinhadas), que possuem como missão trazer e fazer vibrar em nós os atributos das divindades. As sete linhas de trabalho na Umbanda são:

1.      Paz Divina: Linha dos Pais universais – Oxalá;
2.      Consolo e acolhimento Divino: Linha das Mães Universais – Iemanjá;
3.      Equilíbrio Universal: Xangô
4.      Ação para a Divindade: Ogum
5.      Caçadores de Almas: Oxoce
6.      Pureza Divina: Crianças
7.      Transmutação para a Divindade: Linha das Almas – Pretos Velhos
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Google analytics