CURSO UMBANDA PÉ NO CHÃO COM NORBERTO PEIXOTO.

O CURSO FOI PROVISORIAMENTE SUSPENSO PELO RECESSO CORONAVÍRUS. REMARCAREMOS EM BREVE E TODOS OS INSCRITOS TEM SUA VAGA GARANTIDA.


CURSO UMBANDA PÉ NO CHÃO COM NORBERTO PEIXOTO.

- PRESENCIAL E GRATUITO.

O curso objetiva transmitir aos participantes uma consciência espiritual, dentro da tradição de oralidade da Umbanda de raiz; presencial, de boca a orelha. A palavra verbalizada é fundamento, conduz axé e um fluxo de consciência do espiritual para o material, do orientador para os “alunos”.

INÍCIO: dia 18 de março de 2020, encontros semanais, toda quarta-feira, com DURAÇÃO de 8 a 10 semanas.

HORÁRIO: das 20 h e 00 min às 21 h e 30 min (o portão de entrada abre às 19 h e 30 min).

LOCAL: Grupo de Umbanda Triângulo da Fraternidade

Rua Barão de Tramandaí, nº 23 – Passo d’Areia

Porto Alegre – RS

INSCRIÇÕES: somente 30 vagas e as inscrições serão presenciais em dia de Gira, na secretaria do Grupo de Umbanda Triângulo da Fraternidade, às sextas-feiras à noite, a partir do dia 28/02/20. Não faremos inscrições por email ou WhatsApp. É pré-requisito comparecer, se fazer presente para se inscrever. As aulas não serão gravadas nem transmitidas ao vivo.

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO:

As aulas serão dinâmicas – o primeiro tempo de sustentação oral pelo facilitador e o segundo interativo com perguntas e respostas. Não utilizaremos recursos audiovisuais e não concederemos certificado. Os conteúdos estão no livro UMBANDA PÉ NO CHÃO. Recomendamos a leitura do livro para melhor aprendizado de cada aula, conforme o programa a seguir:

Origem e história da Umbanda: advento do Caboclo das Sete Encruzilhadas

Estrutura astral do movimento umbandista

O que são Orixás, Guias e Falangeiros

Formas de apresentação dos espíritos

As linhas de trabalho

As firmezas e tronqueiras

O cruzeiro das almas

A Curimba, os cantos e os toques – a música sacra de terreiro

Os preceitos

As consagrações

A convergência universalista da Umbanda

As influências e diferenças dos cultos africanos, da pajelança indígena,

do catolicismo e do espiritismo

O axé através da mediunidade;

Estrutura energética do homem, Carma e regência dos Orixás

Finalidade dos amacis e banhos de ervas

A importância do ritual, o espaço sagrado nos terreiros e sua diversidade de culto

O transe nos terreiros

A incorporação consciente

As diferenças ritualísticas e a formação da consciência umbandista

A união nas desigualdades; Religião, filosofia, ciência e arte

A magia na Umbanda; as dimensões física, etérica, astral e a movimentação

mediúnica de energias entre elas;

O fundamento dos elementos e dos condensadores energéticos: ar, terra, fogo e água, álcool, ervas, a fumaça, o som; as guias; os pontos riscados; a pólvora; as oferendas; a água;

Os fundamentos do congá (atrator, condensador, dispersor, expansor,

transformador e alimentador)

A sessão de caridade;

O preparo

O desenvolvimento mediúnico

O que se aprende nas sessões de desenvolvimento?

Os passes e aconselhamentos espirituais

Por que os Orixás não incorporam?

A desobsessão na umbanda

O que sãos Orixás?

Os sítios vibracionais dos Orixás

Alguns tipos psicológicos associados aos Orixás; Oxalá, Yemanjá, Xangô, Ogum, Iansã, Oxum, Oxossi, Nanã Buruquê, Omulu.


sábado, 16 de outubro de 2010

Relato de incorporação em desdobramento astral


A sessão de caridade foi muito procurada naquela noite no terreiro. Vários consulentes com desequilíbrios sexuais, seja excesso ou ausência de intercurso com o sexo semelhante ou oposto, traições, trocas de parceiros. A maioria com vampirizações por espíritos densos no chacra básico.
Graças a Oxalá, sou médium consciente. Isto não quer dizer que terei lembrança de tudo que foi dito pela entidade quando me irradiava vibratoriamente. É me dado lembrar com mais vivacidade aspectos importante para o meu aprendizado ou para os trabalhos que continuarão ocorrendo à noite durante o sono físico.
Desdobramos parcialmente nosso corpo astral durante a sessão de caridade e completamente durante o sono físico, dependendo da especificidade do trabalho e da quantidade de fluído vital - axé – ectoplasma – que os guias necessitarão  durante os trabalhos de caridade.
A noite, após a sessão, tive uma experiência gratificante...Vou compartilhar...
Me vi desdobrado, em corpo astral,  na beira de um rio....
No meio deste rio de águas correntes, pomba gira das águas dança e roda ao redor de centenas de espíritos
Ressoam os atabaques...
A preta velha, Vovó Maria Conga, chega e se acopla no meu corpo astral...
Fico completamente dominado no mental, não sou mais eu, mas estou plenamente consciente, ouço e vejo tudo...
Pomba gira das águas, um Exu feminino cruzado com Oxum - água doce - chega perto dançando...
 
Não reconhece, inicialmente a preta velha "escondida" em meu corpo astral
A preta diz: sabe quem fala, é Vovó Maria Conga....
A pomba gira das águas chega até a entidade guia,  para de dançar, se ajoelha e beija as mãos da preta velha...
A entidade alisa os cabelos dela, num indizível amor, e diz:
"- Continua filha, continua com a tua dança que os atabaques não pararam...Continua ajudando os maninhos da Terra a se livrarem das suas cargas deletérias pelos seus descontroles sexuais. Todos eles estiveram na sessão desta noite (se referindo a sessão de caridade no terreiro)."
Mostraram-me, com a maior consciência que já tive, uma incorporação completa em desdobramento astral...
O médium não perde a consciência, escuta e ouve tudo, mas não é dono do seu mental. É como um garoto escondido  acocorado no cantinho do cinema, não pode sentar na poltrona. Compreendem?
Sente-se a entidade, o rosto se repuxa num envelhecimento, a voz fica rouca igual a dos velhos e um indizível amor e bem estar se instalam...Amor pelos espíritos ditos "marginais" aos fracos e hipócritas da Terra...Sem julgamentos....
Nem sabia que existia exu feminino de limpeza cruzado com água doce...pomba gira das águas....
Fiquei assistindo aquelas centenas de espíritos desdobrados "hipnotizados"  ao som dos atabaques. No centro do rio a pomba gira dançando e conforme sua sensualidade os hipnotizava eles entravam nas águas correntes, que  na sua correnteza  escurecia, ficavam turvas das impurezas dos desmandos sexuais dos encarnados. Foi uma experiência inesquecível.
Lembro novamente que houve vários consulentes com problemas sexuais na sessão de caridade da noite.
Fica a lição que o desdobramento astral, também o induzido pela apometria, pois condiciona os corpos do médium, não invalida a "incorporação".
Facilita a entidade no plano astral.
 O que ocorre no terreiro na gira é só uma pontinha da montanha... CREIO QUE O CONCEITO DE DESDOBRAMENTO ASTRAL DEVE SER CADA VEZ MAIS DIFUNDIDO NO MEIO DA UMBANDA...
Tudo isto muito CONSCIENTE. Vamos quebrar tabus.
A INCORPORAÇÃO É COMPLETA EM DESDOBRAMENTO POIS O CORPO FÍSICO É UMA BARREIRA ENERGÉTICA PARA A PLENITUDE DA MANIFESTAÇÃO QUANDO ESTAMOS EM ESTADO DE VIGÍLIA...CLARO, ESTOU FALANDO DE MÉDIUNS NA ATUALIDADE, CONSCIENTES.....
O médium desdobrado e incorporado no Astral pelo guia doa ectoplasma – fluído vital - através do cordão de prata e do duplo etéreo deslocado. Com esta energia, a força mental de Vovó Maria Conga  manteve todo aquele cenário plasmado. Os atabaques, uma vibração sonora próxima dos encarnados, criou potente campo de força de atração e retenção, oportunizando uma concha astral que manteve unidos todos os atendidos pelo tempo necessário para a descarga...
Todos desdobrados durante o sono físico. Dois espíritos conduzindo os trabalhos, uma preta velha  e uma pomba gira...
Ao menos os que eu vi... eram muitos mais... com certeza...
Na Umbanda, tudo é energia, tudo são vibrações, tudo é movimento e se expressa através dos orixás na natureza transmutadora... Não é LINDA a BANDA?!!
Saravá!
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Google analytics